sábado, 30 de agosto de 2014

Carteira do Executivo Pobre - AGO/14

Olá Pessoal !!! Vamos as compras de Agosto e ao detalhamento da minha carteira de investimentos.


1 - Compras do Mês:

Realizei as compras deste mês de Agosto, logo após contabilizar o prejuízo com as duas festas de casamento (e presentes) que fui convidado no mês passado - mesmo assim, foi possível fazer um aporte bem próximo do planejado em Agosto. As Compras foram feitas no seguinte ativo:

KNRI11 - 30 cotas ao preço de R$ 118,73 (dividend yeld de 0,77% a.m.)

Já estava monitorando esse fundo há algum tempo e ele sempre me atraiu bastante pela governança do administrador e pela qualidade dos imóveis. Trata-se de um misto de lajes corporativas + centros logísticos. O fundo tem vacância histórica baixa e é muito bem administrado; logo um dividend yeld de 0.77% a.m. para um fundo com esse histórico, me parece um rendimento aceitável.


2 - Composição da Carteira:

Com as compras feitas até o momento, minha carteira ficou com a seguinte composição::


Minha participação em FII´s na carteira subiu para 17%. Ainda não estou na alocação pretendida de 30%, mas já houve uma boa evolução frente ao mês de Julho - onde a participação de FII´s era de 11,67% da carteira.

No próximo mês, pretendo continuar priorizando aportes em FII´s para equilibrar a carteira.


3 - Preço Médio:

Atualmente, a carteira possui os seguintes preços médio:

Preço Medio ABEV3 = R$ 16,25
Preço Medio CIEL3 = R$ 39,17
Preço Medio CMIG3 = R$ 16,29
Preço Medio BEMA3 = R$ 8,45

Preço Medio RNGO11 = R$ 82,20
Preço Medio BBPO11 = 107,73
Preço Medio AGCX11 = 999,28
Preço Medio KNRI11 = 118,73


4 - Estratégia:

Conforme divulgado anteriormente, minha carteira ideal de ações possui 10 ativos - e eu ainda estou buscando o equilíbrio e formação da carteira (atualmente possuo apenas 4 dos 10 ativos pretendidos). 


Pretendo ir comprando os outros ativos e formando a carteira, mas neste momento as ações não são minha prioridade devido ao ambiente de rali eleitoral e incerteza na Bolsa, com estatais puxando as cotações para cima conforme cada resultado das pesquisas eleitorais; portanto,  eu pretendo continuar aportando em FII´s até ter uma situação um pouco mais definida, ou seja, até próximo das eleições.


Neste mês comprei mais um FII - consolidando assim minha posição no setor de escritórios (RNGO11 e KNRI11) e também no setor de agencias (BBPO11 e AGCX11). Agora, estou monitorando o setor de logistica e educação - mas acredito que minha próxima compra será em FCFL11B - marcando abertura de posição no segmento Universidades (este é o Fundo Campus Faria Lima - cujo inquilino principal é o INSPER, com contratos de longa duração).

Agora, eu fiz algumas contas e fiquei em duvida em relação ao Tesouro Direto - eu verifiquei alguns titulos que estão pagando em torno de 5,8% + IPCA. Se considerarmos o IPCA como 6,5% a.a - teremos então um total de 12,3%. Posso então aplicar os descontos de 0,4% a.a (taxa de custodia) e 0,08% a.a (taxa da minha corretora) e terei então uma taxa de 11,82% a.a.

Aplicando o IR (15%) sobre este rendimento, terei uma taxa liquida de 10.04% a.a ou 0.83% a.m.

Se considerarmos que os valores dos alugueis pagos no FII também serão reajustados pelo IPCA ou outro indice de inflação - nós temos 6,5% a.a (IPCA) + 9,24% (dividend yeld medio da minha carteira), ou seja, uma taxa anualizada com inflação de 15,74% a.a ou 1.31% a.m.

Os valores dos rendimentos com FII continuam superior ao rendimento do TD; então entendo que abrir posição no TD seria apenas para posicionar na Renda Fixa e ter liquidez para aproveitar novas promoções em caso de queda na Bolsa e para tornar a carteira um pouco mais estável e defensiva.

Como ainda não atingi meu percentual programado para FII na carteira, então não abrirei ainda posição no TD - mas considero reavaliar o percentual de cada ativo e incluir TD nos investimentos em uma proporção de 70% Ações x 15% FII x 15% TD, ou ainda,  60% ações x 20% FII x 20% TD.

Qual a representatividade de FII e TD na carteira de vocês ?

Um grande abraço,

sábado, 23 de agosto de 2014

Comentários sobre Educação

Olá Pessoal !!! Algumas semanas atras eu fiz uma postagem com meus comentários sobre segurança e pena de morte - que teve uma participação muito grande e boas discussões nos comentários. Então, aproveitando que estamos em plena campanha eleitoral e horário politico obrigatório no rádio e na TV - eu decidi aproveitar e continuar dividindo meus comentários sobre os principais temas que os candidatos discutem em período eleitoral.

Óbvio que não sou candidato a nada - mas como sempre escutei que não basta criticar; tem que apresentar propostas para resolver os problemas - eu decidi imaginar quais seriam minhas propostas caso fosse candidato. Pelo menos, me pareceu um exercício divertido para pensar nos problemas do nosso país e nas formas possíveis de solução.



Hoje, vou deixar aqui registrado os meus comentários sobre educação. Novamente, não vou aqui falar sobre teorias de ensino e filosofia da educação; porque seriam temas a ser explorados em outra conversa com muito mais profundidade. Minha ideia é apenas abordar alguns problemas e apontar soluções que considero possíveis de serem implantadas no Brasil.

1 - Alocar alunos em escolas particulares subsidiadas pelo governo: o governo tem um gasto médio mensal de R$2.200,00 por aluno na rede publica de ensino. Sabemos que, apesar de mensalidade em escola particular ser muito alta, o valor de R$2.200,00 é o suficiente para pagar a mensalidade em uma escola particular de boa qualidade. Para os que quiserem matricular seus filhos em escolas com valor de mensalidade maior - o governo oferece o subsidio até R$2.200,00 sendo que o  restante a família deve complementar. Com esta medida, o governo se torna mais enxuto pois irá reduzir gasto com folha de salário dos mais de 2,32 milhões de professores e mais de 3 milhões de funcionários da rede de ensino que não são professores. Além disso, a concorrência entre as escolas tende a manter o valor das mensalidades competitivos e a garantia de recebimento dos valores pagos pelo governo irá diminuir o valor cobrado nas mensalidades para cobrir a inadimplência no setor que chega a mais de 12%. 

Além de ajudar a combater a inflação, essa medida ainda libera verba extra para o governo pois os funcionários públicos passarão a ser funcionários de empresas privadas que irá recolher os impostos e contribuições. Logo, o governo deixa de ter despesas com recolhimento de encargos trabalhistas destes funcionários. Estimativa, considerando o salário médio de R$1.800,00 para professor e despesas com encargos trabalhistas na ordem de 103% para o empregador - o governo faria uma economia de R$1.854,00 por professor. E ampliando o conceito para todos os profissionais de educação (professores, diretores, inspetor de aluno, merendeira, faxineira, etc...) temos o total de 5 milhões de empregados x R$1.854,00 de economia por empregado - totalizando uma economia de algo próximo a R$ 9.3 Bilhões.

Outro beneficio seria a possibilidade de alugar as atuais escolas para as futuras escolas particulares - o dono da escola particular paga um aluguel pelo uso da estrutura já construída e disponível (ficando responsável pela sua manutenção - onde pode estabelecer uma parceria com o governo para utilizar mão de obra presente na população carcerária - reduzindo assim os custos de manutenção), abrindo uma nova fonte de receita para o governo.

2 - Investimento no Ensino Técnico / Superior: A verba para esses novos investimentos viria do dinheiro hoje destinado ao sistema prisional - uma vez que o preso arcaria com os custos da sua permanência (conforme minha proposta sobre segurança). De acordo com o estudo do CNJ sobre população carcerária, nós temos hoje 715.655 pessoas em unidades prisionais no Brasil - com um custo médio de R$22.000,00 por detento por ano. Logo, nós temos aproximadamente R$15,8 Bilhões / ano de custo com o sistema carcerário, considerando ai todos os gastos - o número parece absurdo mas lembrem que o Brasil possui a terceira maior população carcerária do mundo, atrás apenas de China e Russia. A ideia seria repassar esse dinheiro para as universidades publicas e instituições de pesquisas. Notem que também aqui não haveria aumento de gasto publico, mas sim a simples transferência de recursos. Além disso, trata-se de um investimento adicional ao que já existe no orçamento atual.

3 - Investimento em Pesquisa: esse dinheiro adicional viria de um novo imposto a ser aplicado sobre as instituições religiosas. O Brasil é um pais laico e por isso mesmo não deveria subsidiar nenhuma religião ou profissão de fé. Portanto, nada mais justo que igrejas e os negócios a elas atrelados paguem impostos como qualquer outra atividade. Como a maior parte do dinheiro das igrejas vem da doação de fieis (que já são tributados), a doação de valores e bens a igrejas seria isenta no Imposto de Renda. Com isso, além de evitar a bitributação, você também incentiva que os fieis declarem os valores doados a igreja e ai você consegue fiscalizar melhor. Considerando as estatísticas oficiais de que 47% da população brasileira é praticante de alguma religião (ou seja, frequenta a Igreja - os que tem religião mas não são praticantes estão fora da estatística) isso nos dá que 94 milhões de pessoas se declaram fieis a alguma religião. Considerando que metade das pessoas façam doação e levando em conta um valor médio de R$100,00; nós temos aqui um potencial de arrecadação de R$1.3 Bilhão - considerando alíquota de imposto de 27,5% (acho que a alíquota deveria ser maior). Trata-se então de um investimento adicional ao que já existe no orçamento atual.

4 - Material escolar com preço reduzido (ajudando a reduzir o valor de repasse das mensalidades para escolas particulares): o valor que o governo gasta para adquirir cadernos, borracha e lápis (para falar de itens mais básicos) seria tremendamente reduzido com a criação de fábricas para produção destes materiais com papel reciclado e madeira reciclada. O governo poderia dar incentivos fiscais para essas empresas, que seriam classificadas como essenciais, desde que as mesmas cumprissem determinados requisitos, como por exemplo: empregar mais de 30% de seu quadro de funcionários com pessoas oriundas do Programa Bolsa Família. Como as pessoas que recebiam a bolsa estariam trabalhando, não seria mais necessário pagar bolsa para elas; gerando redução no pagamento de benefícios e mais disponibilidade de recursos para o governo investir em outras áreas.

5 - Criação de Centros Esportivos de Referencia: cada escola deverá realizar seletivas para jovens a partir de 12 anos de idade e encaminhar os chamados "talentos" para os centros esportivos de referencia. Esses jovens irão praticar a modalidade onde ele se destaca sob a orientação de treinadores profissionais e receberão uma bolsa atleta. Para ter acesso a bolsa, o atleta deverá conseguir avaliações exemplares nos estudos, sendo que uma eventual reprovação significará a suspensão da bolsa. Esta é uma forma de incentivar o desenvolvimento dos esportes olímpicos no Brasil (não só o futebol).

6 - Aumentar a demanda por leitura: com a simples transferência pra o sistema privado de ensino, já teríamos um aumento de horas de leitura por aluno. Mas ainda assim, acredito que o MEC poderá ditar normas para classificação do nível de qualidade das escolas (e esse nível de qualidade estará atrelado ao valor do repasse que a escola receberá por aluno matriculado) incluindo um requisito de "demanda literária", ou seja, as horas de leitura que cada aluno tem de fazer durante o ano letivo.

7 - Transporte escolar gratuito: criar uma rede de transportes credenciada e gratuita para levar as crianças para escola e também trazer de volta para casa. O transporte novamente seria feito por empresas particulares (fiscalizadas pelo governo), com motoristas certificados e câmeras dentro do veiculo para os pais poderem monitorar o que está acontecendo com seu filho durante o trajeto. A verba para criação dessa rede viria do famoso IPVA que pagamos, que hoje é destinado a conservação de estradas - porém com a privatização das mesmas (já adiantei uma proposta de transporte), esse recurso pode ser direcionado para outra finalidade.

8 - Ensino obrigatório de Língua Estrangeira (Inglês): aqui não é necessário nenhum investimento. Apenas cumprir o que já está previsto e tem total condições de acontecer (ainda mais se considerarmos a proposta numero 1). Um aluno que tem 3 horas por semana de aulas de Inglês durante 08 anos, tem condições de sair da escola com domínio avançado do idioma. É o que acontece na Alemanha, França, Holanda, Países Nórdicos, Finlândia ... e até na Russia. Com isso, melhoramos a qualificação da mão de obra que estamos formando e aumentamos a competitividade do pais.

Além disso, temos o tão propagado recurso do Pre Sal - que quando se tornar realidade irá injetar muito mais dinheiro na saúde e na educação através dos royalties recebidos.

E vocês ? Tem alguma proposta diferente para educação no Brasil ?

sábado, 16 de agosto de 2014

Comentários sobre Insatisfação

Bom dia, pessoal !!!

Nesta semana, nos deparamos com a morte de Eduardo Campos (candidato a Presidência da Republica), um cara jovem e que deixa a esposa e filhos, inclusive filhos ainda pequenos. Também tivemos o suicídio do ator Robin Williams, que também deixa família e filhos - mais uma vitima da depressão.

É claro que todos os dias morrem pessoas - isso faz parte da vida. Mas algumas vezes, a morte inesperada de pessoas famosas nos faz parar para refletir sobre como estamos aproveitando a nossa própria vida. Acho que boa parte dessa reflexão se deve ao fato de que as pessoas famosas, em sua maioria, tem uma vida financeira confortável e um bom padrão de vida - exatamente o que estamos almejando conquistar através da Independência Financeira.

Claro que não estou falando que devemos nos conformar com a situação financeira atual e que devemos ficar estagnados. Acho que isso também não é saudável !!! Temos que ter a ambição de progredir na vida e a evolução financeira faz parte deste contexto - mas é apenas um dos aspectos que devemos considerar. 

Sempre me perguntei porque tem diversas pesquisas mostrando que as pessoas pobres são mais felizes (estamos falando de pobres, não de miseráveis ... estes, infelizmente, ainda estão lutando com as necessidades básicas do ser humano). E entre as conclusões de especialistas está a de que pessoas pobres são mais felizes porque elas tem expectativas mais baixas. Então, qualquer item que supere essas expectativas é um motivo de felicidade.

Na verdade, o que eu percebo é que essas pessoas se sentem mais felizes porque elas consomem poucos produtos (até porque a situação financeira não permite) e porque elas consomem mais experiencias (um almoço com família no domingo, um jogo de futebol na TV, um churrasco com amigos, uma ida até a praia, a formatura do filho(a), um bate papo com amigos no bar da esquina, etc...). 

É claro que mesmo essas experiencias tem custo - tudo na vida tem custo !!! Mas o custo de fazer um churrasco simples com amigos é bem menor do que o custo de ficar comprando roupas, carros, eletrônicos, etc...

No geral, percebo pelas conversas com amigos, familiares e  pelos comentários que leio nos blogs dos colegas; que a maioria das pessoas não está satisfeita com a forma como está vivendo. Perdemos muito tempo no transito, trabalhos com os quais não nos identificamos, falta de ética nos relacionamentos profissionais, problemas familiares, falta de exercícios e alimentação nada saudável, problemas de depressão e/ou ansiedade, etc...  E do outro lado, temos poucos prazeres na vida, uma vez que consumir gera apenas uma satisfação momentânea.



Um dos meus grandes prazeres na vida é viajar. Comecei a ter a oportunidade de viajar recentemente, coisa de 3 anos atras. Antes disso, tinha feito diversas viagens a trabalho - onde você vai do aeroporto para hotel, do hotel para empresa, da empresa para hotel, hotel para aeroporto. Não dá tempo para visitar nenhuma atração turística, comer uma comida tipica, conhecer a cultura local ...

Alguns anos atras eu decidi fazer uma viagem que sempre quis - e foi uma das melhores coisas que eu poderia fazer por mim mesmo. Tenho as recordações, as fotos e todo o aprendizado que ganhei com essa experiencia. Claro, que eu fiz a viagem dentro das minhas possibilidades. Eu procurei por passagem aérea em promoção, eu fico em hotéis baratos, ando de transporte publico e como comidas de rua e, as vezes, janto em restaurantes baratos.

Sempre uso os extras dos meus rendimentos (1/3 de adicional de férias, eventual restituição de IR, Horas Extras, etc ...) para poder viajar. Então, eu procuro me manter no orçamento mensal e aportar regularmente; e como recompensa, eu uso os extras e me dou uma viagem de presente. O destino da viagem depende de quanto eu consigo juntar de extras + promoções na época da viagem.

Nos últimos tempos, somando a insatisfação com o modo de vida que levamos nas grandes cidades e a minha vontade em viajar e consumir experiencias em outras culturas - eu vejo que um trabalho regular, trabalhando durante a semana e folgando final de semana (quando possível) e trabalhando 11 meses para descansar 20 dias; está muito longe de atender minhas expectativas.

Eu busco mais tempo livre para me dedicar a leitura e assuntos sobre II Guerra Mundial, gostaria de aprender a tocar baixo, gostaria de montar uma maquete de ferreomodelismo e, principalmente: gostaria de poder viajar mais. Quando você vê o tamanho do mundo e a diversidade existente - você percebe que ferias uma vez por ano não vão permitir que você conheça nem um quinto das coisas que gostaria.

E isso, se você tiver uma boa formação / idioma / pós graduação / contatos / experiencia / (um pouco de sorte) - que vão permitir que você tenha um trabalho com renda acima da média e que permita que você faça viagens, ainda que de baixo custo. Essa não é a realidade da imensa maioria do povo brasileiro.

Frequentemente, nós debatemos diversas formas para nos livrarmos dessa rotina e, entre as principais que eu consigo lembrar, estão: NEGOCIO PRÓPRIO e EMIGRAR para um local mais atrativo.

Eu penso muito nessas duas opções ... como negócio próprio, eu defendo a ideia de talvez abrir uma imobiliária, um posto de gasolina, uma pequena construtora, uma livraria ou um comercio em geral ...

Quanto a imigração a minha maior vontade seria Europa - pela qualidade de vida e cultura, além da posição geográfica (você pode conhecer vários países andando de trem) ou EUA / Canada pela cultura da meritocracia e pelas oportunidades (e onde eu tenho mais contatos também).

A duvida cruel é sempre em relação se vale a pena pegar o dinheiro que tenho disponível até o momento (pouco mais de R$120.000,00 porque a previdência só posso pegar com 55 anos de idade) e montar um pequeno negocio ou continuar nessa vida corporativa até conseguir juntar um patrimônio um pouco maior.

E vocês ? Qual o plano para o futuro ? 

Vocês estão satisfeitos com o esquema de trabalho 11 meses e 20 dias de ferias ? Estão satisfeitos com a carga de trabalho atual x salário ? Tem vontade de mudar para outro lugar ?

Um grande abraço,

sábado, 9 de agosto de 2014

Comentários sobre Segurança e Pena de Morte

Olá pessoal - tudo bem ?

Eu tenho algumas postagens que quero dividir com vocês, mas após ler um texto (excelente, por sinal) sobre Direitos Humanos no blog do amigo Soul Surfer, me deu uma grande vontade de comentar, pois o assunto ficou muito focado na questão de Direitos Humanos das pessoas que cometem crimes e a discussão sobre a violência no pais e a pena de morte - porém um comentário como o que eu queria expor ficaria muito grande e atrapalharia a discussão no blog dele - já que eu estou falando de um tema diferente; decidi então transformar meu comentário em uma postagem aqui no blog.


Durante toda a história da humanidade, nós sempre tivemos pessoas que seguem as regras definidas por determinado grupo e sempre tivemos as que não seguem as regras e, por este motivo, essas ultimas acabavam sendo punidas.

Entre os diversos tipos de punição que vão desde a advertência, multa, restrição de liberdade, etc... até penas que podem ser consideradas desumanas; como trabalhos forçados, prisão perpetua e pena de morte.

Nós vemos exemplos de lugares onde a pena de morte é inaceitável e em outros lugares ela é utilizada para punição de crimes. E não vamos pensar que a pena de morte existe somente em lugares "atrasados" ou não desenvolvidos - o maior exemplo do uso da pena de morte em um local desenvolvido é os Estados Unidos, onde a pena de morte é adotada em 36 dos 50 estados americanos.

A base para a pena de morte é que determinado individuo cometeu algo tão inaceitável para aquele grupo que ele deve ser não só apartado do grupo, mas também perder a vida como forma de garantir que aquele ato não vai se repetir, além de servir como exemplo para evitar que outras pessoas façam a mesma coisa.

Porém, temos que lembrar que cada ser humano nasce com liberdade para fazer o que quiser !!! Se ele quiser matar alguém, ele pode. Não tem nada que o impeça. Porém, alguém também pode querer matar ele e não tem nada que impeça. 

Então, por uma questão de conveniência e instinto de sobrevivência - nos autorizamos que o Estado utilize a força para nos defender das agressões injustas que sofremos. Até ai, muito bem !!! Mas quem define o que é uma agressão injusta ? 

O próprio Estado define o que é uma agressão injusta. Ou seja, quem tem o poder de uso da força para defender o cidadão também é quem define contra o que vai defender o cidadão. Isso pode causar situações onde você acha que está sendo vitima de uma agressão e o Estado não se mobiliza para te defender porque ele acha que aquele ato que você está sofrendo não é uma agressão; ou o que é mais comum - o Estado se mobiliza para te defender, mas não da forma como você acha que seria adequado.

Esse é o exemplo de pessoas que são assaltadas por menores de idade e logo esses menores são soltos, ou são assaltadas por pessoas que tem dependência química e essas também são soltas porque são tratados pela lei como "doentes", ou quando alguém invade sua casa e quebra tudo e você não é ressarcido ... enfim, quando você sofre uma agressão e acredita que o Estado não te defendeu de forma apropriada.

Mas o que acontece quando a maior parte do povo achar que está sofrendo agressão e o Estado não está defendendo o povo de forma adequada ? Ai temos duas opções: ou acontece uma revolução e muda-se a ordem vigente (como o que aconteceu nos países árabes recentemente) ou o povo começa a definir por si só o que ele considera injusto e qual a punição para estes tipos de atos (como o que acontece nos presídios no Brasil e no mundo afora).

Então, vemos o povo fazendo justiça com as próprias mãos - isso é certo ? Depende !!! Se aquela comunidade acredita que o Estado não está defendendo elas, então eles mesmos passam a definir as regras e aplicar as próprias leis (veja o que acontece nas áreas dominadas pelo trafico). Isso é errado do ponto de vista jurídico e temos que evitar que isso ocorra a todo custo. Mas vamos tentar nos colocar na pele do cidadão que sofre uma grande violência - um pai que teve um filho assassinado, por exemplo - e tempos depois ele encontra com o agressor atravessando a rua e esse pai está com o carro. O que você faria no lugar dele ? Atropelaria o bandido ou fingia que não viu e seguiria seu caminho ?

A nossa sociedade acredita sim que bandido bom é bandido morto (outra frase famosa do Paulo Maluf)- pelo menos, os últimos atos demonstram isso (amarrar o criminoso ao poste, atos de linchamento e tentar fazer justiça com as próprias mãos) e não podemos esquecer que quem faz as leis de determinado local é o povo !!! Este é o principio da democracia - então, se a maioria das pessoas achar que o bandido deve ser morto, pelo principio democrático nós deveríamos criar uma lei que estabelecesse as regras da pena de morte no Brasil.

Então, vamos estabelecer a pena de morte oficialmente no Brasil e fica tudo certo. Será ??? Depende também !!!

Vocês imaginam como seria estabelecer uma pena de morte em um pais onde apenas 10% dos crimes são investigados, estabelecer pena de morte onde o judiciário demora anos para julgar qualquer causa, onde o policial recebe R$2K por mês para sair na rua para combater bandidos, etc...

Talvez o resultado não seja o esperado e alguém próximo ou nós mesmos poderemos ser vitimas deste sistema e acabar sendo julgado e condenado, sem ser culpado. E ai ? O que faremos ???

O problema só começa a se resolver quando houver politicas publicas para prevenção de crimes (educação, saúde, trabalho) aliado com uma forte politica de repressão dos crimes. Quando chegarmos nesse nível de eficiência, podemos definir por exemplo que estupro ou assassinato são crimes inaceitáveis e os culpados serão punidos com a morte - assim como faz a maior parte dos estados norte-americanos.

Enquanto isso não ocorre, nós vamos convivendo com a pena de morte não oficial que temos no Brasil e deixo aqui algumas sugestões que eu acredito ajudariam a amenizar o problema.

- Prisão em flagrante leva o cara para cadeia sem necessidade de julgamento: se o cara foi preso em flagrante (desde que existam testemunhas ou imagens que comprovem o crime), não tem motivo para gastar dinheiro publico e mover todo aparato do Estado para julgar um cara que comprovadamente é culpado daquela acusação, além de não gastar um monte de dinheiro publico com investigação e processo ainda ajudar a aliviar a quantidade de processos no Judiciário.

- Não existe a possibilidade de responder processo em liberdade para réu confesso ou quando imagens comprovem que o acusado é o autor do crime: esse negócio do camarada aguardar 48 horas para se apresentar e fugir do flagrante e por ser réu primário, ter endereço fixo e trabalho então pode entrar com pedido para responder processo em liberdade é absurdo. Se for réu confesso ou tiver imagens que comprovem que o acusado é autor do crime ele fica preso e já começa a cumprir pena - quando ele for julgado e a pena estabelecida, desconta-se os dias já cumpridos.

- Eliminar direito de cela especial para quem tem curso superior: se você tem curso superior e você cometeu um crime, então você é criminoso !!! Não consigo enxergar um motivo para ter direito a cela especial porque sou engenheiro, por exemplo. O fato de ser engenheiro me dá direito de fazer projetos e ser responsável por eles; mas não me dá o direito de cometer crimes e ter uma cela particular caso for preso.

- Policial tem licença para revidar ataques com arma de fogo: mais ou menos o que a Rota fazia em São Paulo. Atirou na Rota, vai se arrepender - o camarada não pode ter nem a ideia de que vai atirar contra um policial e vai conseguir escapar. Ele tem que ter certeza de que se atacar um policial, ele vai se dar mal. Hoje, se o policial disparar a arma de fogo em serviço - ele tem que explicar até para o Papa porque ele atirou e não tentou utilizar outros meios para neutralizar o criminoso.

- Pagamento de diária pelo preso: estabelecer uma diária para que o preso pague ao Estado. O pagamento pode ser feito em dinheiro ou em trabalho. Se tiver dinheiro paga os custos do Estado para manter o cara preso; se não tem dinheiro o Estado aloca o camarada para fazer serviços em comunidade (cuidar de praças, pintar quadras de escola, limpar a rua, trabalhos de ajudante em geral ou algum trabalho que o preso tenha qualificação para fazer) e desta forma pagar pelos custos de manter ele preso.

- Investigação e julgamento acelerado para crimes de menor poder ofensivo: implantar os juizados em bairros, onde o juiz vai lidar com os processos somente daquela região - julgando o criminoso de forma muito mais rápida.

- Retirada de benfeitorias da cela: tem de retirar todas as benfeitorias voluptuosas em uma cela, por exemplo ar condicionado, radio, TV, revistas, etc (sim, essas coisas existem nos presídios brasileiros) ... Mesmo se a família levar alimentos, os mesmos não poderiam entrar. Não entra nada e não sai nada da cadeia a não ser pessoa com a roupa do corpo - isso não resolve, mas diminui o acesso de itens ao preso; além de diminuir a fila da revista em dias de visita. Não tendo que revistar o "jumbo" que a família leva, sobra mais tempo para revistar as pessoas. E o cara está preso, não está de férias. O único lazer permitido, além de atividades físicas deveria ser a leitura na biblioteca do presidio e o jogo de xadrez.

- Instalação de equipamento detector de metais em todos presídios: se nós temos que passar por detector de metais para entrar no banco, na área de embarque do aeroporto, etc... e todos nós sabemos que é importante por motivos de segurança - então, muito mais quem acessa um presidio. Esses tem que passar por detector de metais e qualquer bolsa ou sacola tem que passar por equipamento de raio X.

- Equiparação de salário entre as policias: se a Policia Civil do Distrito Federal ganha R$12K / mes - então todas as policias deveriam ganhar o mesmo. Deveria se equiparar o salário de todos os policiais com a policia federal.

- Eliminar o regime de progressão de pena: se você foi condenado a 20 anos, você tem que cumprir 20 anos na cadeia. Não interessa se tem bom comportamento - isso é obrigação. Não interessa se está trabalhando - isso também é obrigação para poder custear o período preso. A ideia de ir ressocializando o preso é boa; mas a aplicação é ruim e você acaba incentivando o camarada a cometer outro crime, porque ele sabe que nunca vai cumprir a pena inteira.

- Eliminar o limite de 30 anos para alguém cumprir pena em regime fechado: se um cara for condenado a 120 anos de cadeia porque matou 4 pessoas; ele só pode ficar 30 anos em regime fechado. Então, na pratica ele não foi condenado a 120 anos e sim a 30 anos. Não faz diferença se você matar 4 ou 40 - você vai ficar 30 anos em regime fechado, no máximo. Se for condenado a 120 anos de cadeia - tem que ficar lá 120 anos - porque cometeu uma coisa muito grave !!! Se morrer antes dos 120 anos, fica liberado de cumprir o resto da pena - se viver 120 anos, vai ficar 120 anos preso.

- Eliminar conceito de maioridade penal: entre várias coisas que copiamos dos EUA, poderíamos ter copiado essa também. O conceito de maioridade penal lá não existe - o que existe é um conceito de maioridade para poder fazer determinadas atividades (beber, dirigir, jogar, etc...) - mas se cometer crime, será julgado como adulto. Voces já devem ter visto adolescentes serem condenados igual adulto por lá.

- Pena diferenciada para quem for reincidente: se é preso e comete crime de novo então tem que ficar mais tempo na cadeia e isso tem que ser de forma exponencial. Ex: a pena para um roubo a mão armada é, em média 08 anos. Se o camarada for reincidente, a pena minima passa para 12 anos. Se for de novo, a pena minima passa para 18 anos ... e assim por diante.

- Policia poder cobrar multa na hora: eu vi isso na Alemanha - cada policial anda com uma máquina de cartão junto com ele. Se você for pego cometendo alguma infração (infração de transito, jogar lixo na rua, andar no transporte publico sem passagem ,etc...), então o policial cobra a multa na hora. Se você não tiver dinheiro para pagar, você vai para a delegacia e fica lá até algum amigo ou parente seu pagar sua multa e te soltar. Isso cria uma cultura de obedecer as regras e evitar as pequenas infrações.

Isso são algumas ideias que eu tenho e acho que poderiam melhorar a situação do país, sem ser necessário o governo gastar dinheiro. Além de ajudar nas contas publicas, ainda cria uma cultura de pais serio e força a população cumprir a regra, pois todos tem certeza da punição - inclusive para itens de menor poder ofensivo. E voces, tem alguma ideia diferente ???

PS: Não estou neste texto abordando nenhuma sugestão para educação, saúde e trabalho que são tópicos que devem ser parte fundamental de uma politica de repressão a violência. Talvez podemos abordar esse tema em um post futuro.

sábado, 2 de agosto de 2014

Atualização Patrimonial - JUL/14

Caros amigos - mais um mês se passou e aqui estamos para fazer a atualização patrimonial do mês de Julho/14. Continuarei seguindo o formato do fechamento do mês passado, com as atualizações na vida profissional, vida pessoal e também das finanças. Então, vamos lá !!!

Vida Profissional: as coisas continuam complicadas aqui na empresa. O mercado continua retraindo, estamos com alto nível de estoque e ao que parece, demissões serão inevitáveis. Nesta ultima semana, tivemos reuniões com o sindicato da categoria e tivemos a proposta da empresa para o dissidio coletivo (reposição da inflação) para os próximos anos - a proposta não foi muito bem recebida pelos funcionários e ficou um clima muito ruim na empresa.
Como eu já havia comentado no mês passado, a situação no dia a dia de trabalho vem muito ruim. Neste mês, tivemos a avaliação de desempenho referente ao primeiro semestre - fui bem avaliado e meu chefe fez diversos comentários positivos sobre meu desempenho e comportamento com a equipe. Então, aproveitei a oportunidade e finalmente consegui conversar com meu chefe e apresentar uma proposta de um projeto que tenho faz tempo - a proposta foi bem recebida e ainda no mês de Agosto eu devo começar as atividades deste novo projeto. Isso anima um pouco, pelo menos melhora o ambiente no trabalho e espero com isso ter mais disposição também para fazer minhas coisas pessoais e atividades de lazer. 
Estou seriamente considerando fazer um mestrado para ter uma qualificação melhor e também poder dar aulas em faculdades. Fiz algumas contas preliminares e me parece que pode valer a pena trocar o mundo corporativo pelas salas de aula. Estou ainda em duvida, mas se a empresa pagar parte do curso eu poderia fazer mestrado no INSPER e se a empresa não pagar, eu poderia fazer mestrado na FECAP. Qual a opinião de vocês ??? O que vocês acham de sair do escritório e ir para sala de aula (como professor) ???

Vida Pessoal: ainda estou patinando no meu objetivo de ter uma vida mais saudável. Este mês eu não engordei e nem emagreci - o que já me distancia da minha meta pois preciso perder bastante peso até o final do ano. Quero completar uma corrida de 10K até Dezembro - vou iniciar uma dieta e começar com caminhadas e corridas leves diárias para ir acostumando o corpo. Além disso, estou mantendo o futebol como lazer aos finais de semana.
Este mês eu fui a dois casamentos - olha o prejuízo com dois presentes de casamento além da viagem (combustível, pedágio, etc...), porque os casamentos foram no interior de São Paulo e eu moro na Capital.
Além disso, tenho mais casamentos este ano (parece que todos os conhecidos e parentes resolveram casar ao mesmo tempo) e fui convidado para ser padrinho de um deles. Não bastasse tudo isso, como mencionei em comentários no Blog do Corey, eu fui assaltado e roubaram o estepe do carro e danificaram também a porta do motorista. Lá se vai mais dinheiro para poder comprar outro estepe e consertar a porta do carro - mês difícil para as finanças.

Mas vamos ao fechamento do mês e atualização patrimonial !!!


Seguindo o padrão do sistema de cotas do ADP - essa foi a evolução do meu patrimônio:

1 - Previdência Privada Corporativa:

Novamente, o mesmo aporte de R$352,00 que já vem descontado em folha de pagamento e me permite obter a máxima contrapartida da empresa. Fiquei um pouco preocupado com a proposta de dissidio apresentado pela empresa, porque ela poderá impactar o nosso plano de previdência e ele pode se tornar menos atrativo. Era só o que faltava !!! Espero que o pessoal não aprove esta mudança.



2 - Poupança:

Como falei anteriormente, nesse mês eu tive dois casamentos e isso impactou o meu aporte. Tive despesas com dois presentes de casamento, dinheiro para gravata, além de combustível e pedágio para duas viagens para o interior de São Paulo. 

Também tive que comprar uma roda + pneu estepe para o meu carro, já que o que eu tinha foi roubado e nisso acabei gastando R$300,00 - isso porque coloquei um pneu meia vida. Também gastei para consertar a fechadura e a porta do motorista que os assaltantes fizeram o favor de danificar - mais R$700,00 de despesas não planejadas. Além da revisão e troca de óleo do carro que já estava planejado.

Mês terrível em relação as finanças pessoais, com diversas despesas não planejadas. E ainda tem o convite para ser padrinho em um casamento que vai se realizar no final do ano. Então, vem mais um impacto com despesa não planejada de presente de casamento. Pelo menos, a pessoa que me convidou é muito bacana e próxima e fico feliz de poder ajudar neste inicio de nova fase na vida.


Pelos motivos todos que falei anteriormente, eu apenas transferi dinheiro da poupança para a conta na corretora, sendo que não fiz efetivamente nenhum aporte de dinheiro novo. Continuo mantendo R$60.000,00 na poupança para poder ter alguma liquidez e aproveitar eventuais quedas fortes na bolsa para o caso da Dilma se reeleger. Minha reserva de emergência é de R$30.000,00 em Poupança; então tenho outros R$30.000,00 líquidos para aplicação quando achar oportuno - e quero manter esse nível até as eleições e também durante as retiradas de estimulo da economia americana que podem impactar também a nossa Bolsa.


3 - Ações:

Este mês eu apenas investi o dinheiro que transferi da poupança e não teve nenhum aporte de dinheiro novo. Mantenho a minha carteira com ABEV3 / CIEL3 / CMIG3 / BEMA3, conforme divulgado na minha Carteira Ideal de Ações, e assim que conseguir fazer novos aportes, pretendo abrir posição em mais empresas até chegar as dez empresas que tenho como alvo.


O rendimento da carteira de ações continua favorável, mas acho que com a proximidade das eleições devemos ter bastante volatilidade na Bolsa, o que pode abrir boas janelas para compra de ativos.

A boa noticia do mês foi o pagamento de dividendos da CMIG3, além dos rendimentos de FII que recebi e que foram prontamente reinvestidos em mais cotas de FII.


4 - FII:

Neste mês, eu expandi um pouco mais a minha carteira de FII´s com a aquisição de cotas de dois novos fundos: BBPO11 e AGCX11. São fundos bem defensivos, com contratos atípicos e com boa diversificação de imoveis na carteira.

Como falei acima, recebi dividendos CMIG3 e rendimentos de FII - que foram usados para adquirir mais cotas do meu fundo de escritórios preferido: RNGO11.


Nos próximos aportes, pretendo consolidar posição nos fundos de escritório e partir para os fundos de logística que venho estudando -vamos aguardar !!!


5 - Consolidado:


É isso ai - quebramos a barreira de 170K !!! Será que dá para chegar a 200K até o final do ano ???

Preciso de mais 5K por mês em aportes e rendimentos para chegar aos 200K - é uma meta factível. Vou me esforçar para chegar lá. Estou fazendo um trabalho extra para conseguir uma grana para o presente de casamento sem precisar tirar do salário e também estou avaliando a possibilidade de fazer um negócio com meu apartamento (seria uma troca por outro apartamento).

É isso ai pessoal !!! Bons investimentos para todos !!!

Um grande abraço.