quarta-feira, 7 de junho de 2017

Cidadania Portuguesa (1° Geração)

Olá pessoal - tudo bem ? Como voces ja sabem, eu comentei no fechamento desse mes que finalmente saiu a cidadania portuguesa da minha avó. Como ela é filha de portugueses, ela tem direito a cidadania por atribuição - visto que ela é a 1° geração frente aos nascidos em Portugal.



Mas como funciona esse negócio ? Existem duas formas de obter cidadania portuguesa - uma delas é a cidadania por atribuição e a outra por naturalização. A naturalização é mais simples e mais complicada ao mesmo tempo ... mais simples porque voce precisa comprovar um vinculo efetivo com Portugal (pode ser o idioma, interesses no pais, laços familiares, etc...) e mais complicado porque esse tido de cidadania pode ser negada se entenderem que o que voce está informando nao se caracteriza como um vinculo efetivo com Portugal.

Agora, em relação a cidadania por atribuição a coisa é diferente. Pela lei portuguesa (e pela brasileira também) todo filho de um cidadao do país tem direito a cidadania. Isso quer dizer que se seu pai / mãe eram portugueses, voce tem o direito de ser portugues, mesmo tendo nascido em solo estrangeiro. Isso acontece porque Portugal (e muitos outros paises) adotam o conceito de afinidade sanguinea (jus sanguinis) para atribuir a nacionalidade. Algum poucos paises consideram o local onde voce nasce (jus solis) e diversos consideram uma mistura dos dois.

Para exemplificar essa coisa de paises que adotam uma mistura dos dois conceitos, se uma mulher gravida vai para os EUA e o filho nasce lá - a criança é americana e tem todos os direitos de um americano. Porém, se uma criança filha de pai / mae americano nasce no Brasil, ela continua tendo direito a cidadania americana.

Logo, voltando ao caso da minha avó, ela é filha de portugueses e nasceu no Brasil. Portanto, ela tem direito a nacionalidade brasileira (que ela possui e utilizou a vida inteira); mas por ser filha de portugueses ela tem direito a cidadania portuguesa por atribuição. Existe, obviamente, uma necessidade de comprovação desse laço sanguineo com Portugal, ou seja, provar que realmente é filha de cidadao portugues.

Para aqueles que tem interesse em mais detalhes, o melhor é acessar o site do Consulado de Portugal, onde tem todas as informações necessárias; mas quero contar um pouco como foi o caso da minha avó, sendo que toda essa história estou falando da minha avó paterna.

Em um belo almoço de domingo com toda a família (avós, tios, primos, etc...) nós começamos a ver fotos antigas de familia, até que surgiu a foto do pai da minha avó (meu bisavô) e minha avó começou a explicar que ele gostava muito de tocar sanfona e sempre cantava uma musica ( ela começou a cantar um trecho da musica)... ai eu percebi que era uma musica portuguesa e perguntei a minha avó porque ele cantava essa musica. Ela explicou que era uma musica tipica de onde ele nasceu ... perguntei então se ele tinha nascido em Portugal e ela disse que sim - meu bisavô e minha bisavó eram portugueses. 

Fiquei muito feliz com essa informaçao e ja comecei a pensar na possibilidade de obter a cidadania portuguesa e os beneficios associados. Primeiro passo foi levantar os documentos necessários para entrar com o processo de cidadania para minha avó, e basicamente temos:

1 - certidão de nascimento do cidadao portugues (pai, mae ou ambos):
2 - certidão de casamento do cidadao portugues;
3 - certidão de obito do cidadao portugues;
4 - certidão de nascimento do requerente da nacionalidade portuguesa (para comprovar a filiação com cidadao portugues):

O item 4 foi bem simples. Fui no cartorio e solicitei a certidao de nascimento de inteiro teor (com apostilha de Haia). Cosnegui a certidao de nascimento da minha avó, com a filiação toda correta comprovendo que ela é filha de cidadao portugues.

O item 3 também foi bem simples. Sabiamos o cemitério onde o bisavô e bisavó foram sepultados, então me dirigi ate lá e confirmei em que cartório foi registrado a certidão de obito e consegui obter as duas certidões sem maiores dificuldades.

O item 2 gerou um pouquinho mais de trabalho, mas recorrendo a memoria da minha avó e as historias de familia, consegui descobrir o cartorio onde foi celebrado o casamento (infelizmente, em uma cidade do interior com mais de 300 Km de distancia).


O item 1 foi o que deu um grande trabalho. A certidão de nascimento da minha bisavó foi muito simples de encontrar. Tinhamos o endereço da familia dela em Portugal e chegamos na igreja da freguesia onde minha bisavó nasceu ... para minha surpresa, lá estava a certidão dela ... nascida em 1905 e o padre enviou uma copia do livro com o registro e a conservatória encaminhou a certidão oficial.

Quando chegou a vez de encontrar a certidao de nascimento do meu bisavô, a coisa complicou muito. A complicação se deu porque meu bisavô nao era catolico e nao foi registrado em nenhuma igreja - e para ajudar o registro civil nao era obrigatório em Portugal em 1905 ... ou seja, ele simplesmente nao tinha certidao de nascimento.


A partir desse momento foi necessario a contratação de uma advogada em Portugal para comprovar que o pai da minha avó realmente era um cidadao portugues. O primeiro passo para comprovar a boa fé no processo, foi solicitar a todas as conservatórias de Portugal (sao mais de 1000 conservatorias) uma busca pelo registro de nascimento do meu bisavô pelo nome dele e data de nascimento. Esse processo levou aproximadamente 01 ano.

Assim que recebemos a negativa de todas as conservatórias, ou seja, ele realmente nao foi registrado em Portugal; a advogada entrou com um processo de supressão do registro de nascimento. Para isso, seria necessario tres testemunhas que conheceram ele prestarem um depoimento no Consulado atestando que ele realmente era portugues e realmente era o pai da minha avó.

As testemunhas foram minha avó (filha dele), meu avô (genro dele) e mau pai (neto dele) - os depoimentos foram prestados e enviados para Lisboa. Algum tempo depois recebemos a resposta dizendo que o secretario da conservatoria havia negado o processo.


A advogada entrou com um novo processo de agravo solicitando ao Tribunal de Apelação para esclarecer os motivos da negativa em relação ao primeiro processo já que havia tres testemunhas afirmando que meu bisavô era portugues. O tribunal esclareceu que nao aceitaria as testemunhas por elas serem diretamente interessadas no resultado. Em todo esse tramite se foram mais 06 meses.

Então ocorreu que minha avó sofreu um AVC (que felizmente nao deixou sequelas) e após ela receber alta, eu solicitei a documentação do hospital e enviei para advogada em Portugal. Ela solicitou uma nova apelação mostrando as condições de saude da minha avó e claramente ameaçando processar o Estado Portugues por nao fazer valer o direito de uma cidadã portuguesa ... afirmou que ela estava doente e sendo tratada em outro país, sendo que poderia ter acesso aos tratamentos em Portugal, e caso ela viesse a falecer, um processo de indenização contra a Conservatoria, contra o Estado e contra os secretarios diretamente envolvidos seria movido.

Assim que ela entrou com essa ação, a supervisora das conservatórias a chamou para uma reunião para tentar esclarecer os documentos e toda a situação, Na conversa com a supervisora ela aceitou como prova de vida o simples fato de existir uma certidao de casamento e de obito informando que aquela pessoa nasceu em Portugal - tudo muito simples que o secretario estava dificultando. Após essa conversa com a secretaria, em duas semanas foi gerado o registro de nascimento do meu bisavô, com os dados constantes da certidao de casamento e ele finalmente "nasceu" em Portugal.



Passado mais tres semanas, saiu a nacionalidade portuguesa da minha avó e a advogada enviou o registro de nascimento portugues dela (que é basicamente igual o brasileiro, mas mencionando a prova de filiação portuguesa e indicando a cidadania daquele pais). Na semana seguinte já demos entrada no Bilhete do Cidadão no Consulado e ela já recebeu a sua identidade e passaporte portugues.

Obviamente que esse processo saiu bem caro (mais de BRL 17K), pois foi totalmente fora do padrão devido essa questão da certidao de nascimento do meu bisavô que nao pode ser encontrada. Também foi necessario corrigir algumas informações nas certidoes do Brasil (como nome de solteira da minha bisavó e data de nascimento dela), mas esse processo foi mais simples, apesar de custoso.

Então, ao final de tudo isso, o meu pai e meus tios estão prontos para entrar com o processo de cidadania deles. Como os custos ficaram muito elevados devido a quase tres anos de processo + correções de certidoes + diversas frentes na Justiça; eu decidi que seria mais justo dividir essas despesas entre todos que podem ter acesso a cidadania (obviamente aqueles que manifestarem interesse).

A minha iniciativa foi criar um grupo (nem todos moram na mesma cidade) e coloquei todos os filhos e primos mais velhos ... desta forma estão representados a 2º e 3º gerações. Perguntei quem tinha interesse, informei que a cidadania da minha avó estava pronta e que agora a proxima geração podia iniciar o processo e, obviamente, informei os custos desses tres anos - indicando que quem quiser dar sequencia no processo pode dividir os valores e obter os documentos da minha avó necessários para a sequencia (no caso, a certidao de nascimento portuguesa dela, bem como a informação do distrito, concelho e freguesia onde o registro foi feito).

Se todos os tres filhos decidirem dividir as despesas, teremos um valor de R$ 5.751,78 para cada. Caso nao manifestem interesse ou nao queiram dividir as despesas, eu irei pagar o valor restante para a advogada e seguireo com o processo de cidadania do meu pai e depois, finalmente, o Executivo Pobre vai virar portugues....rsrsrs

É isso ai pessoal, tentei ser o mais detalhista possivel nesse processo e informo voces de como esta sendo a reação dos parentes e se alguem tem interesse em dar sequencia no processo.

Um grande abraço a todos,


30 comentários:

  1. Parabéns pelo sucesso nessa etapa, fiquei mto feliz qdo consegui a minha cidadania italiana e as vantagens são grandes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Fabio - tudo bem ? Ainda tem um processo pela frente, mas agora a certeza da cidadania portuguesa é maior, depois de ter resolvido esses problemas todos de documentação.

      Ja tenho um plano definido com a Sra EP para consolidar a imigração em 05 anos ... ou seja, em 2023 pretendo estar chegando em terras portuguesas.

      Um grande abraço,

      Excluir
  2. Meu processo foi similar ao seu, também tive de entrar com uma ação no Tribunal de Roma, pq não passavam a cidadania por via materna e consegui dividir as despesas com 2 familiares. Claro que depois apareceu um primo distante que nunca tinha visto na vida, querendo todas as informações mas obviamente falei que se eu consegui, ele também iria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A parte de dividir as despesas com a familia é o mais complicado. O pessoal sempre quer receber as coisas de graça - ja estou enfrentando algumas dificuldades e caso nao seja reembolsado, infelizmente, nao poderei compartilhar a informação com os familiares. Nao é justo somente um arcar com todas as despesas.

      Acho que a sua atitude foi mais que correta.

      Um grande abraço,

      Excluir
  3. Eu nunca saí do Brasil, portanto não sou a pessoa mais adequada para falar sobre esse tipo de assunto. Mas já lí uma quantidade razoável de comentários na blogsfera de blogueiros ou leitores que conseguiram ou tentaram a cidadania européia, principalmente a Portuguesa, Italiana e Alemã com o objetivo de conseguir morar na Europa.
    Penso duas coisas: Será que vale a pena mesmo pensar em futuro a longo prazo indo para a Europa? Digo isso porque a Europa não é e nem será a mesma do passado. A economia de lá vem aos trancos e barrancos a anos com uma ou outra excessão.
    Claro que com relação a qualidade de vida e estrutura eles ainda estão na frente do Brasil (apesar que depende de que lugar do Brasil se mora), mas é fato que há vantagens nesse sentido por tudo que já ouvi falar. Mas até quando eles manterão isso?
    E outra se todo mundo que falar em ir para o exterior, realmente for, só falando em brasileiros, não haverá Europa que dê conta disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha opinião sobre isso é sucinta.
      Você deve aumentar as chances de sucesso e nível de liberdade suas e de sua família. 17k (eu gastei cerca de 10) na minha opinião são um preço baixo.

      Excluir
    2. Também tem outra coisa... Ninguém sabe do futuro. Já falaram que a Europa ia acabar com as invasões mongóis, arabes, wiking, nazismo, comunismo... Nada vai ser a mesma coisa. Nem a Europa nem o resto do mundo.

      Excluir
    3. Não digo que a Europa vai acabar, mas acho que a segurança e qualidade de vida podem diminuir sim, e não é nenheum absurdo levar isso em consideração. Você pode estar trocando a América Latina de hoje, pela do futuro. E sempre achei a Europa culturalmente um continente muito rico.
      Também não sou contra quem escolhe viver em outro país, só disse que isso é inviável para todos que tem esse desejo, assim como é inviável aos países de primeiro mundo receber todo esse contingente de pessoas.

      Off topic: A portuguesa da foto é bem bonita, em Portugal tem muitas mulheres desse nível?

      Excluir
    4. Ola anon 14:04 - tudo bem ? Se tem um lugar no mundo que eu penso em viver a longo prazo é a Europa. Foi o continente que mais atravessou guerras, conflitos, choques culturais, mudança de poder, etc... e sempre foi o lugar com melhor qualidade de vida - alias ainda é até hoje.

      O mundo inteiro esta sempre mudando, mas desde a Idade Media que a Europa é o melhor lugar para se viver ... se eles conseguem manter isso por mais de 1000 anos, eu nao acredito em uma mudança drastica nos proximos 50 anos - claro que a qualidade de vida pode cair muito, mas se cair por lá é sinal que vai despencar por aqui.

      Um grande abraço,

      Excluir
    5. Ola CF - tudo bem ? Concordo totalmente com o seu pensamento. A Europa ja passou por diversas crises e continua sendo o melhor lugar para se viver. Eu acredito que a Europa vai mudar muito, mas o resto do mundo também vai mudar ... se a Europa de amanha será a America Latina de hoje como comentou o nosso colega anon; eu me pergunto como será a America Latina de amanhã (talvez será igual a Africa de hoje) ???

      De qualquer forma, no longo prazo, eu acredito mais na Europa do que no Brasil. Claro que tudo pode mudar - muitas pessoas acreditavam na Venezuela e veja como está a coisa hoje em dia por lá. Mas como tenho de decidir onde viver quando tiver a cidadania europeia - eu pretendo iniciar por Portugal pela facilidade de adaptação com clima, culinaria, idioma, costumes, etc... e depois avaliar as possibilidades dentro do continente.

      Um grande abraço,

      Excluir
    6. Executivo, respeito seu ponto de vista.
      Mas a Coréia do Sul era um país pobre até algumas décadas atrás, veja como evoluiu.
      Japão outro exemplo. Cingapura, Malásia são países menores que também vem se desenvolvendo.
      Há outros exemplos de evolução econômica como Turquia, China, India, lógico cada com suas características e desafios.
      Aliás, onde está escrito que por alguns países europeus terem passado, ou estar passando por uma fase difícil, países de outros continentes tem que enfrentar dificuldades parecidas?
      Cada local tem suas potencialidades.
      Nos casos de China e India por serem muito populosos demora para que o desenvolvimento econômico chegue a maior parte da população.
      Teoricamente alguns países mais pobre e menos desenvolvidos, poderiam e podem vir a ocupar o lugar de alguns países Europeus na questão econômica e num segundo momento em qualidade de vida.
      É fácil? Não, mas é possível, vejo como algo perfeitamente factível a estagnação que já ocorre em parte da Europa, não significar que o mesmo ocorrerá em outros pontos do mundo. Sendo assim no longo prazo, algum ou alguns países emergentes da própria América Latina ou de outros continentes poderiam trocar de lugar com alguns europeus.
      Até porque nem todas as economias europeias são tão sólidas e pujantes assim.
      E repito o meu raciocínio, não há espaço para todos que querem ir para o primeiro mundo.

      Excluir
    7. Ola anon - tudo bem ? Em primeiro lugar, eu quero agradecer a forma como voce esta colocando as suas ideias e explicando o seu ponto de vista. Esse tipo de debate é sempre muito bem vindo aqui no blog.

      Falando inicialmente sobre o seu ponto de que não há espaço para todos que querem ir para o primeiro mundo - eu concordo totalmente com voce. Se todo mundo decidir ir para Europa, Canada, EUA e outros paises desenvolvidos, com certeza não haverá espaço para todos. Mas a questão passa a ser a diferença entre quem tem vontade de imigrar e quem realmente concretiza esse plano. Se fizer uma enquete com quem tem vontade de ir para outro país - a grande maioria vai dizer que sim; mas quem realmente vai ? Poucas pessoas concretizam o plano de imigração, por uma serie de motivos ... desde o apego a familia e parentes até a questão de ter um emprego estavel com boa remuneração no Brasil, medo de nao se adaptar ao clima e a cultura de outro lugar, etc...

      Por isso que a conta nao é sobre quem quer ir para primeiro mundo, mas sim quem realmente vai - lembrando que se os paises de primeiro mundo criarem alguma restrição a receber imigrantes, isso nao se aplica a quem tem cidadania. Os direitos do cidadão são resguardados pela constituição de cada pais - por isso nao tenho essa preocupação.

      Quanto a questao dos paises se desenvolverem, isso sempre acontece. A Coreia do Sul é um excelente exemplo que eu vi de perto (morei por 09 meses lá), a propria Alemanha e Japão pos-guerra sao outros exemplos importantes. Mas esses paises sempre foram paises desenvolvidos quando comparados aos demais na sua região ... Alemanha sempre foi uma potencia na Europa e empobreceu por causa de duas guerras mundiais e as consequencias das mesmas... o Japão e Coreia sempre foram paises líderes (ainda que pobres no passado) no extremo Oriente ... assim como o Brasil (pais pobre) é lider na America Latina.

      O fato de um pais melhorar nao quer dizer que a Europa vá piorar ... claro que isso pode acontecer, mas também pode nao acontecer. E, no caso da Europa ocidental, se eles simplesmente estagnarem e nao obtiverem nenhum avanço economico e social - a qualidade de vida nos padroes atuais é muito alta por lá. Isso faz com que os outros paises ainda tenham um longo caminho a percorrer para atingir o nivel do oeste europeu.

      Novamente, eu concordo que a qualidade de vida por lá pode decair - mas é também possivel pensar que se a qualidade de vida cair por lá - que é um continente consumidor de produtos de paises emergentes; a qualidade de vida nos paises emergentes também será igualmente afetada. Se os Estados Unidos e Europa tiverem uma recessão economica grande, o que acontecerá com o balanço fiscal chines ? Eles dependem muito da exportação de produtos para esses mercados ... então, em um cenario de economia globalizada, os que se industrializaram e desenvolveram tecnologia antes (como a Europa por exemplo) acabam saindo na frente.

      Mas como nao tenho exatamente como prever o que acontecerá na economia mundial, eu posso utilizar do seguinte artificio: tenho cidadania brasileira e quando tiver cidadania portuguesa, eu posso verificar as condições de cada pais e decidir onde viver ... se estiver melhor, fico na Europa ... se estiver melhor por aqui, eu volto para o Brasil.

      O problema é que hoje eu nao tenho escolha - eu tenho de ficar no Brasil porque nao tenho documentação para imigrar para Europa ou qualquer outro lugar. Então, vou colocar os esforços para obter a cidadania e ter pelo menos a opção de escolher entre o que se apresentar como melhor oportunidade no momento.

      Um grande abraço e muito obrigado pelo seu comentário ... muito bacana fomentar o debate dessa forma. Nao vamos terminar a conversa por aqui, por favor, continue colocando seu ponto de vista e vamos nos aprofundando nas conversas.

      Excluir
    8. Executivo, agradeço pela atenção em responder de forma tão detalhada.
      Concordo com vOcê com relação a Alemanha exercer um papel hoje de liderança na Europa e creio que países como a Alemanha que tem economia mais robusta e estrutura tem maiories condições de passar por momentos de crise com número menor de perdas.
      No caso da Europa levo em consideração que os países de lá tem características muito diferentes uns dos outros.
      A Alemanha tem condição de superar bem uma crise, Portugal, Espanha e países mais a leste da Europa já não tem a mesma robustez.
      Países como Suécia, Noruega, Finlândia, Dinamarca, Belgica e Holanda, não tem PIB tão grande em comparação com Alemanha, mas até por terem boa distrinbuição de renda e poupulações que variam de 5 a 12 milhões de pessoas conseguem se manter bem em qualidade de vida, enquanto essa equação população X PIB for bem equilibrada.
      O que vejo é que há mercados emergentes com condições de andarem mais sozinhos, sem depender tanto de países considerados ricos, já que tem bom potêncial no mercado interno ou regional. Casos de Turquia, Russia, Brasil, China, India etc.
      Sendo assim há um horizonte favorável ao futuro desses países pelo menos ao meu ver, calro que cada um deles com suas próprias caracterísiticas e desafios.
      Há casos menores de países que vem buscando acelerar seu desenvolvimento como Paraguai, Panamá e dizem que Ruanda (na Africa) embora nunca tenha pesquisado sobre Ruanda.
      Sei que esses países todos ainda tem um longo caminho a percorrer com relação a qualidade de vida.
      Legal o fato de você ter vivido na Coréia e ter visto de perto um exemplo de desennvolvimento mais recente no Oriente.

      Excluir
    9. Pois é anon - a Coreia é um lugar espetacular ... mas o grande problema é a qualidade de vida por lá. Explicando um pouco melhor: voce tem indices muito bins de saude, educação, renda, etc... mas a qualidade de vida para o trabalhador nao é muito alta - voce trabalha muitas horas (muitas mesmo) por dia, no final de semana, as ferias sao bem reduzidas ... basicamente a sua vida é toda em função do trabalho.

      Mas voltando ao tema da Europa, existe muitos paises com economia mais "fraca" ou menos estruturada do que a Alemanha ... os exemplos de Portugal e Espanha sao excelentes.

      Portugal esta enfrentando a crise economica há alguns anos e recentemente obteve a validação do banco europeu para sair do procedimento de endividados ... a questão é que mesmo dentro de uma forte restrição economica, ajuste das contas nacionais e desemprego alto entre jovens - a renda per capita nao foi muito atingida. O nivel de consumo continuou em um excelente padrão e a qualidade de vida também.

      Na Espanha, mesmo com toda a crise economica, manteve-se os beneficios aos trabalhadores (eles tem carga horaria reduzida), no verão saem as duas da tarde, tem ferias de 20 dias uteis, tem bonus de Natal (o nosso decimo terceiro) ... então, mesmo com alto desemprego entre a população - a qualidade de vida é preservada. Isso somente é possivel porque esses paises já atingiram um patamar superior em relação ao bem estar social.

      Os paises emergentes podem chegar lá um dia - a China cresce a taxas absurdas há mais de 20 anos; mas isso apesar de refletir em riqueza, nao reflete em bem estar social. Ainda haverá um caminho muito longo que a Europa ocidental já percorreu ... na Europa tem um celeiro de mao de obra qualificada e ganha-se muito em produtividade - um trabalhar suiço produz quase 3 vezes mais do que um americano, que por sua vez produz quase quatro vezes mais do que um trabalhador brasileiro ... esse ganho enorme de produtividade reverte em renda e qualidade de vida por lá - com menos horas de trabalho semanal e mais flexibilidade trabalhista.

      Também acho que tudo pode mudar em um futuro - apenas nao acredito que esse futuro seja proximo. Acho que será um processo de pelo menos 04 ou 05 decadas para os emergentes chegarem no atual nivel da Europa. Por isso meu plano de imigração ... vou vivendo por lá enquanto os emergentes vao se desenvolvendo - se eles forem muito rapidos e eu estiver vivo, ai eu volto para o emergente para curtir o restante do tempo...rsrsrs

      Um grande abraço,

      Excluir
  4. Show de bola EP, parabéns! As portas da Europa estão se abrindo pra você!

    Mas que processo burocrático hein, tá parecendo coisa brasileira =D

    Só a título de curiosidade, quais são seus planos de vida para Portugal? Capital ou interior? Ficar em Portugal ou partir pra outro país europeu? Viver de renda, procurar emprego ou empreender? Já sondou o mercado de lá?

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola MInistro - tudo bem ? Realmente o processo foi bem burocratico, mas somente porque a documentação nao estava em ordem (faltava a certidao de nascimento do meu bisavô). Se voce tem a documentação em ordem o processo é bem mais simples e barato. Para voce ter uma ideia a advogada fez um orçamento para cidadania do meu pai em torno de EUR 600,00

      Meus planos iniciais para Portugal ainda sao muito embrionários, preciso pesquisar muito mais... mas os planos de hoje incluem morar no centro-norte de Portugal (Porto, Braga, Coimbra, etc...). A ideia é ficar em Portugal no periodo de alfabetização do Estagiário Pobre, pois o plano é imigrar exatamente no periodo de matricula na escola ... no futuro, eu adoraria morar na Alemanha e/ou Holanda.

      A principio pretendo imigrar com uma renda de EUR 2.000 considerando o cambio de EUR 1 = BRL 4,00; ou seja, renda passiva de BRL 8.000

      Depois disso, provavelmente arrumar um emprego na minha area (administrativo / financeiro) e usar o valor do salario para aportar e aumentar o patrimonio em moeda estrangeira. Também gostaria muito de, em algum momento, ter um cafe com opções brasileiras por lá ... uma variedade de cafes, chas e outras bebidas e também servir bolos tipicos do Brasil ... a noite incluir bebida alcoolica com drinks nacionais e porções. Nao é negocio para ficar rico, mas é o tipico negocio que tem apelo na Europa e voce conhce muitas pessoas. Mas com o passar do tempo, os planos ficarão mais detalhados.

      Um grande abraço,

      Excluir
    2. Show de bola! Você já tem um planejamento interessante, certamente será bem sucedido!

      Abraços!

      Excluir
    3. Valeu Ministro - muito obrigado pela força. Vou tentar postar sempre sobre o meu plano de imigração e os detalhes que for descobrindo com as minhas pesquisas. Trocar ideias com os colegas sempre enriquece o debate e as informações levantadas.

      Um grande abraço,

      Excluir
  5. Infelizmente eu só tenho cidadania e ascendência brasileira.
    Eu até procuro pesquisar sobre outras formas de emigrar, através do trabalho e estudo, mas é tão complicado e demorado que acabo desanimado.
    Mas a cidadania europeia é uma mão na roda para quem tem ou pode adquirir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - se nao possui ninguem na familia com ascendencia europeia ou de algum outro lugar que seja interessante; ainda resta opção. Portugal esta oferecendo vistos para investidor com valores relativamente baixos (EUR 5000) para quem mantém um negocio em Portugal.

      O colega conhecimento financeiro tem comentado sobre isso e também o viver de rendimentos esta postando uma serie sobre esse processo - recomendo voce assistir os videos dele.

      Um grande abraço,

      Excluir
    2. A maioria dos nordestinos (eu sou um), pode até ter alguma ancestralidade européia, mas lá da época do descobrimento, 1500.
      Eu não desisti, mas as opções ficam bem limitadas.
      Eu trabalho na área educacional, e esse é um emprego complicado de achar em outros países pois geralmente há poucos grupos educacionais em países desenvolvidos.
      Também fico meio apático em relação ao preconceito. Não sou branco e nem bonito, dá até medo de pisar nesses lugares.
      Mas eu já ganho um bom salário aqui, de certa forma estou satisfeito, apesar de destestar o modo como o Brasil funciona.
      Penso muito em meus futuros filhos, queria que eles morassem em um país que desse esperança e segurança para eles. Penso em adoção, e por isso meu sonho remoto em imigrar! Eu vou tentar ver o blog que me indicou, já vi mais não li muita coisa. Obrigado pela resposta.

      Excluir
    3. Ola anon - acredito que talvez voce possa ter uma visao distorcida da ancestralidade europeia no Nordeste (mesmo sendo nordestino). Os europeus colonizaram primeiro o Nordeste e ainda hoje tem muito descendente de europeu por lá ... além disso, muitos europeus buscam o Nordeste pela beleza do litoral e clima atrativo ... mas como voce mesmo disse, se na sua familia só tem brasileiros até um nivel de bisavós, suas opções ficam um pouco mais limitadas.

      Quanto ao preconceito, ele existe em qualquer lugar do mundo. Os Estados Unidos é um país extremamente preconceituoso e racista e todos querem ir para lá. Depende muito da forma como esse preconceito afeta a sua vida - na maioria das vezes, em paises desenvolvidos, nao vai afetar sua vida social ou financeira. E lembrando que o Brasil também é um pais extremamente preconceituoso - entao prefiro ter esse problema lá do que por aqui.

      A questao salarial é mais complicada, porque é bem dificil abrir mao de um bom salario no Brasil, pois é o local onde estamos acostumados a viver. Infelizmente, essa decisão é muito particular - eu mesmo nao estou disposto a abrir mao desse salário e por isso mesmo planejo a minha imigração somente quando tiver renda passiva suficiente para proporcionar o mesmo padrão de vida em terras lusitanas.

      Um grande abraço,

      Excluir
    4. É meu caro, desista logo dessa idéia.
      A blogosfera de finanças é altamente elitista e racista, eles só são positivos com quem faz parte do grupo deles!
      Pode ter a origem que pobre que for mas quando ficam ricos viram aquelas pessoas que eles tanto abominam.

      Excluir
    5. Ola anon 17:22 - tudo bem ? Desculpe, mas nao entendi o seu comentário. Nao creio que os colegas sejam elitistas ou racistas por aqui.

      De qualquer forma agradeço a sua visita e se quiser explicar um pouco melhor o seu comentário, o debate é sempre bem vindo por aqui.

      Um grande abraço,

      Excluir
  6. Olá EP parabéns pelo êxito nessa custosa empreitada...

    Só uma dúvida, você mencionou que ambos os pais de sua avó eram portugueses e que a documentação da sua bisavó foi relativamente fácil de providenciar. Só isso já não bastaria para ela requerer a cidadania, haja vista que pelo menos um dos pais era português? Assim você não teria o trabalho para comprovar a cidadania do seu bisavô.

    Abraços e Suce$$o!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Noimo - tudo bem ? Infelizmente, mesmo os pais da minha avó sendo portugueses e a documentação da mae dela estar em ordem, isso nao seria o suficiente. Tentamos por esse caminho, mas em Portugal eles aplicam a lei de imigração conforme o ano de nascimento - isso quer dizer que minha avó (que nasceu em 1942) esta sujeita a lei de imigração daquila epoca, sendo necessário ter a certidão de ambos (pai e mae), e ainda mais, eles teriam de ser casados formalmente e filho reconhecido na certidao de nascimento. Os chamados filhos bastardos (filhos fora do casamento) nao tinham direito a cidadania.

      Um grande abraço,

      Excluir
  7. Parabéns EP. Realmente conseguir uma cidadania europeia não é tarefa fácil e nem barata. Mas o principal passo e mais difícil você já deu. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Finansfera - tudo bem ? O mais dificil e financeiramente doloroso foi acertar toda a documentação. A partir de agora as coisas sao mais simples e baratas. Infelizmente, nao sao tao rapidas como eu gostaria, mas com um passo de cada vez o horizonte europeu é cada vez mais visivel.

      Um grande abraço,

      Excluir
  8. EP, parabéns, primeira vez que vejo alguém explicando tudo passo a passo nem tem como não entender, até que não foi dificil, achei trabalhoso !!! Vou te dizer tem tanta gente ai com imóvel de família muito mais enrolado que esse processo (não se acha herdeiros ou os documentos do herdeiros) rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola SP - tudo bem ? que bom que gostou dessa atualização sobre a cidadania portuguesa - realmente o processo foi trabalhoso, mas isso porque os documentos nao estavam em ordem. O proximo passo (transcriçaõ do casamento da minha avó em Portugal e o processo de cidadania do meu pai) deve ser bem mais tranquilo.

      Um grande abraço,

      Excluir