quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Atualização Patrimonial AUG/19 - R$507.232,51 (+5,88%)

Olá Pessoal - tudo bem ? Conforme sugestão que recebi nos comentários da postagem anterior, estou fazendo um teste com um tamanho de fonte maior aqui - vamos ver se facilita para quem visitar o blog.

Aqui vamos nós com mais uma postagem para fechamento e atualização patrimonial e esse mês estou celebrando um marco muito importante: finalmente atingi a marca de R$500K. Agora posso dizer que sou "meio" milionário.

Brincadeiras a parte, esse é um marco que realmente merece uma comemoração - eu iniciei os investimentos basicamente em 2013 e em 6 anos, com todos os percalços e distrações encontradas no caminho, consegui atingir a marca de R$500K em investimentos (além do meu imóvel no Brasil - que mesmo sendo vendido, não está nessa conta). 

O motivo de não incluir o valor do imóvel nessa conta é porque não sei se vou utilizar esse dinheiro para comprar outro imóvel no futuro próximo - talvez eu aproveite para comprar imóvel de renda, mas os preços nao estão atrativos agora; talvez eu utilize para comprar imóvel de renda nos USA, mas eu nao tenho conhecimento suficiente do mercado local para isso; talvez eu utilize esse dinheiro para comprar algo na Europa, mas também nao tenho conhecimento ... então, devido a minha falta de conhecimento, por hora o dinheiro vai ficando em uma alocação em renda fixa e REIT para gerar renda de aluguel aqui nos USA. 


Durante a jornada de investimentos nesses seis anos, eu tive alguns percalços e "trapalhadas", mas acredito que a base de aporte constante (apesar de nao ter aportado em 9 meses durante esses 6 anos) e investimento para longo prazo (apesar de ter alterado meu portfolio quando mudei para os USA) me ajudaram muito a atingir esse nível de patrimônio.

Outra ajuda importante que estou percebendo é o fato de estar investido em moeda forte (nesse caso, em dolares) - a flutuação cambial do Real em relação ao Dolar é muito grande. Como eu já expliquei anteriormente, eu monitoro meu patrimonio em Reais, Dolares e Euros porque tenho o plano de ir viver na Europa no futuro e aproveitar minha cidadania portuguesa e nao depender do sistema de saúde americano quando estiver mais velho.

Durante essa jornada, eu tive alguns gastos e investimentos: eu tive despesas relacionadas ao meu mestrado, eu paguei o parto do meu filho (a parte que o plano de saude nao cobriu), tive algumas despesas medicas comigo e com minha esposa (perto de 5.000 dolares), tive gastos com advogado para cidadania portuguesa (perto de 4.000 dolares), etc .... Entretanto, mesmo com esses gastos não planejados, o resultado ainda é muito bom.

A meta agora e atingir os USD 520K (meta inicial para 2019) e tentar maximizar esse valor ate o final do ano, com os pagamentos de Novembro (tres pagamentos no mes) e também com o bonus que deve chegar em Dezembro.

A ideia é utilizar parte desse dinheiro para fazer uma viagem no Thanksgiving (provavelmente visitar New Orleans, Memphis e Nashville) e uma viagem maior no final do ano quando terei 24 dias de ferias e meus pais deverão estar por aqui.

Para esse segundo roteiro nao decidi ainda se vou até Nova York (com paradas em Savannah, Charleston, Raleigh, Washington, Baltimore, Philadelphia, Manhatan, Smoky Mountain National Park e Atlanta) ou se pego vôo até a California e volto dirigindo de lá até aqui (San Francisco, Pacific Road, Grand Canyon, Houston, New Orleans, Memphis, Smoky Mountains National Park, Atlanta) ... vou ter de avaliar os roteiros com calma, mas gostaria que meus pais conhecessem bastante do pais e aproveitassem esse tempo por aqui.

Novamente, momento de celebrar o meio milhão e de olho em atingir 1 milhão até Dez/2021 - e depois pensar como avançar ainda mais nas metas financeiros nos proximos anos e sobreviver ao ambiente corporativo. 

Com certeza, uma de minhas metas é aumentar o numero de locais visitados - conhecer a cultura, arquitetura, historia, geografia, culinaria, tradição e costumes de outros países e cidades é algo que eu e Sra EP gostamos muito e planejamos como objetivo de vida - incluindo nossa aposentaria antecipada, caso conseguirmos realizar esse objetivo.

Em cada pequena cidade sempre encontramos algo que nos surpreende e ganhamos um pouco mais de conhecimento e temos uma experiencia diferente.

Seguimos forte rumo ao milhão !!!

Um grande abraço a todos,

sábado, 24 de agosto de 2019

Quando Penso que Já Vi de Tudo !!!

Olá pessoal - tudo bem ? Eu decidi usar um pouco do meu final de semana para contar algo que ocorreu essa semana e que até o momento ainda nao consegui digerir muito bem.

Eu já narrei por aqui, algumas vezes, a minha jornada no mundo corporativo. Eu sempre tive um misto de sentimentos sobre como as relações no trabalho são desenvolvidas e os perfis mais comuns que costumamos encontrar por ai. Ao mesmo tempo que tenho bastante alegria e gratidão pelas oportunidades que eu tive, pelos cargos que venho ocupando, pela progressão da minha carreira que vem me permitindo oferecer experiencias que eu julgo importante para minha familia; eu também sempre tive uma certa frustração sobre como as demandas sao passadas, pela falta de planejamento, pelas atividades fora do horario normal de trabalho, pela falta de prioridades e o costume de pessoas com cargo de liderança tem de classificar tudo como importante e urgente - mesmo que seja somente uma reuniao para decidir o layout do escritório.

Como eu disse, eu vivo nesse mundo já há bastante tempo e tento manter uma visao um pouco distante ... o que quero dizer é que tento lembrar que eu não sou o Executivo Pobre, cargo tal na empresa tal ... eu sou o Executivo Pobre que está ocupando um cargo tal na empresa tal ... acho muito importante as pessoas nao associarem o que elas são com o cargo em que elas estão e talvez isso ainda me permite ter uma visao um pouco mais empatico sobre as necessidades comuns dos colaboradores. O fato de eu ter começado a trabalhar bem jovem (com 14 anos de idade) carregando caixas e me sujando de óleo - realmente colocando a mão na massa, me permitiu conviver com as dificuldades diárias das pessoas que estão em posições não tão privilegiadas no organograma das empresas.

Mas essa semana ocorreu algo que ainda estou pensando a respeito.

Vou tentar contextualizar para voces entenderem ... o meu chefe teve de demitir uma funcionária porque ela falsificou um recibo no relatório de despesas de uma viagem (vou falar mais disso em uma outra postagem). Essa funcionária era responsavel pelo departamento de logistica da empresa; então meu chefe começou a acumular as atividades ate que ele consiga contratar outra pessoa para esse cargo, uma vez que infelizmente nao temos ninguem na equipe preparado para assumir o cargo. Aqui já fica o registro da primeira falha - a pessoa demitida nunca se preocupou em realizar um plano robusto de sucessão e meu chefe nunca cobrou isso dos subordinados; entao poucas pessoas tem substitutos internos preparados para assumir a posição em caso de uma promoção por exemplo.

De toda forma, meu chefe viajou para o Brasil e ficou por lá por 6 semanas, coordenando a equipe e realinhando as funções e atividades ate conseguir contratar alguem para o cargo que ficou vago.

Durante esse tempo por lá, meu chefe percebeu algo que ja estavamos alertando há uns 4 meses - os parametros de inventario em nosso sistema estavam errados, principalmente os parametros de "reorder point". Por esse motivo, temos diversos materiais com excesso de estoque e outros materiais abaixo do nivel minimo de estoque de segurança.

Meu chefe então criou uma planilha de controle de inventario e atribuiu para a gerente de planejamento a responsabilidade de atualizar os parametros de inventario. Aqui cabe ressaltar dois pontos - primeiro, a gerente de planejamento nao tem experiencia com controle de inventario, e segundo, ela estava grávida e pronta a sair de licença maternidade.

Com toda a situação na empresa e a correria - ela começou a trabalhar mais de 14 horas por dia tentando entender a planilha cheia de conceitos que ela nao dominava. 

E, como sempre ocorre, quando voce não planeja com um minimo de eficiencia, então os problemas começam a aparecer. A gerente de planejamento entrou em processo de parto e o seu filho nasceu de 7 meses (está tudo bem com a mamae e com a criança) - obvio que ela teve de se ausentar da empresa e iniciar a licença maternidade.

E meu chefe ficou novamente com o problema na mao e esta trabalhando ate tarde e final de semana para resolver a questao dos parametros de estoque.

Eu ofereci uma força tarefa com ele e resolvemos esse assunto em dois dias - eu, ele e o gerente de logistica aqui dos USA ficamos trancados na sala e recalculamos todos os reorder points dos materiais e verificamos o estoque atual de cada um dos componentes, atualizamos o sistema e rodamos dezenas de simulações para confirmar que tudo esta funcionando corretamente.

Uma vez problema resolvido - meu chefe resolveu desabafar e começou a comentar como ele achava absurdo nao termos pessoas no departamento de logistica com conhecimento basico para controle de inventario e calculo de reorder point, estoque minimo e maximo e analise de lead time. Até ai ele estava correto e apenas desabafando com a gente.

Mas em um momento ele disse: "Eu nao entendo também a postura do pessoal - voce veja, por exemplo, a gerente de planejamento. Esse trabalho que fizemos, eu pedi para ela fazer e ela nao me entregou nada".

Antes que eu pudesse intervir, o meu colega comentou: "mas ela nao teve um bebe prematuro e saiu de licença maternidade ?"

Meu chefe respondeu: "sim, mas ela saiu de licença, nao saiu da empresa. Ela poderia, por exemplo, ter se oferecido para atualizar a planilha de casa - ja que ela está em home office."

Nós imediatemente replicamos que ela nao estava em home office - ela estava em licença maternidade. E que seria muito dificil ela fazer qualquer coisa do trabalho tendo de amamentar e cuidar de uma crianca recem nascida.

Mas, ai percebemos que ele nao estava sensivel a essa situação, porque ele nunca vivenciou isso. Meu chefe nao viu o primeiro filho nascer porque estava em uma viagem a trabalho (e o filho nao nasceu prematuro ou algo assim); ja perdeu inumeros eventos, aniversarios, comemorações; costuma trabalhar no final de semana; sempre teve baba para cuidar das crianças (nao que isso seja um pecado, mas precisa entender que tem pessoas que nao tem acesso a essa comodidade) e, por ultimo mas nao menos importante, ele nunca entendeu as dificuldades das pessoas comuns porque ja começou sua carreira em um programa de trainee, virou gerente muito cedo (nao que isso seja um problema - tem excelentes programas de trainee que formam excelentes gestores), mas ele nao tem habilidades para gerenciar pessoas.

Fizemos ele prometer nao falar isso fora daquela sala para ninguem - ja que ele poderia ser interpretado de uma maneira que tornariam as coisas dificeis para ele. Ele concordou mas claramente nao entendeu o motivo de estarmos tão "assustados" com os comentarios dele.

Explicamos diversas vezes que seria um absurdo ele sequer "considerar a possibilidade" de a pessoa se oferecer para atualizar planilhas durante a licença maternidade - mas realmente eu acho que ele nao considera um absurdo e estava esperando que a pessoa olhasse como uma oportunidade para crescimento profissional.

Me parece que ele só conhece uma formula de crescimento na carreira - a que ele aplica na carreira dele - e espera que todos sigam a mesma receita.

Nao vou nem entrar no debate das dificuldades que as mulheres enfrentam para conciliar carreira e maternidade - pois isso seria ainda mais dificil de contextualizar e ter uma conversa produtiva.

Mas, realmente, dessa vez o meu chefe me surpreendeu.

Normalmente, eu nao tenho problema com ele. Ja tivemos diversas discussoes no passado e ja conhecemos bem a forma de trabalhar um do outro. Ele gosta de informar e pegar a aprovação de todos antes de executar qualquer atividade (o numero de reunioes e apresentações é absurdo); eu prefiro nao focar nas atividades das pessoas, no horario que chegam ou vao embora ou quanto tempo ficam almoçando; se me entregam os resultados estamos todos bem.

A minha formula vem funcionando bem para mim e a formula do meu chefe funciona bem para ele. Nao podemos negar isso pelo proprio progresso que teve na carreira - mas me parece que ele nao enxerga nenhum proposito ou objetivo maior na vida do que a empresa (e ele não é nem dono da empresa, porque nao investe e nao tem ações do grupo).

O receio é sempre como uma pessoa assim reage, caso em um momento de crise, a empresa decide cortar pessoal e ele está incluido na lista. Como sei que ele tem dividas e nenhuma reserva, o impacto financeiro é gigante; mas o impacto emocional seria ainda mais devastador, pois creio que a pessoa associa o que ela é com o cargo que ocupa. 

Vamos aguardar as cenas dos proximos capitulos.

Um grande abraço, pessoal.

terça-feira, 30 de julho de 2019

Atualização Patrimonial JUL/19 - R$458.490,28 (+2,65%)

Olá pessoal - tudo bem ? Aproveitando um tempinho livre para escrever essa postagem e antecipar um pouquinho o resultado do mês. Acabei de chegar a conclusão de que quando meu chefe nao esta no escritório, a minha vida fica mais facil. 

Os meus dias sao mais produtivos, eu nao invisto muito tempo em apresentações e emails e acabo conseguindo sair no horário quase todos os dias, com muito mais atividades concluídas e encaminhadas. Eu acho que minha equipe deve achar a mesma coisa - chefes mais atrapalham do que ajudam - mas, de toda forma, eu me matriculei na academia e estou gostando do ambiente, dos equipamentos e principalmente do custo (USD 10,00 / mês). 

Faz pouco tempo que iniciei, mas só de conseguir medir minha glicemia e ver índices controlados e sentir um pouco mais disposto para as atividades do dia (estou indo na academia pela manhã, antes do trabalho), ja faz valer a pena.

Minha intenção é frequentar a academia pela manhã - pois consigo ir e voltar para casa, tomar banho e levar meu filho para escola (aulas começam agora em Agosto) antes de ir para o trabalho.

Em relação ao lado profissional, meu chefe esta acenando com uma possivel nova promoção - talvez um aumento de salário na ordem de 15% a 20% - o que é sempre interessante. Essa promoção deve começar a ser trabalhada agora pois além de ele ter de mover a organização para conseguir emplacar meu nome, eu também tenho de me envolver nos temas relacionados a essa promoção e começar a "atuar" como se ja fosse dono da posição - pelo menos ate emplacar uns dois ou tres casos de sucesso que permitam o meu nome ser aprovado no futuro. 

Essa parte de promoções é sempre muito chato porque de um lado voce tem a possibilidade de ganhar mais, ter mais beneficios, um bonus maior, maior responsabilidade e influencia na organização, maior chances de network de alto nivel e melhorar sua empregabilidade e exposição no mercado; porém de outro lado, voce começa a atuar na nova função de forma nao oficial e tem mais carga de trabalho, mais reunioes, se envolve em temas mais espinhosos e tudo sem a garantia de que vai ser promovido.

O jogo corporativo é sempre uma grande aposta e tem de balancear o quanto vale a pena correr atras de mais promoções e quanto é o risco de ficar "parado" na sua posição atual.

Entretanto, é sempre um bom sinal quando seu chefe esta considerando seu nome para novas promoções. A pesquisa de clima interno também mostrou que as pessoas que trabalham na minha area estao satisfeitas com a minha liderança - esse ano consegui também aprovar aumentos / promoções para metade do time e também treinamentos e negociações internacionais para os demais. Tenho conseguido dividir os projetos de mais exposição de forma equilibrada entre todos e agora o pessoal esta cada vez mais querendo mostrar os resultados.

Quanto a parte financeira, esse foi o primeiro mes que nao tive despesas inesperadas no Brasil e/ou nos USA. Tudo finalmente correu como planejado e pude aportar perto de R$15K - o patrimonio evolui bastante, mesmo considerando a desvalorização do cambio e também a desvalorização de alguns ativos que tenho participação.


O plano para atingir os R$530K ate o final do ano voltou aos trilhos e continua firme e forte. Agora preciso manter a regularidade que tive nesse mes ate o final do ano.

Também ja estou planejando algum passeio para o feriado do Thanksgiving e para as ferias de final do ano - pretendo fazer uma road trip pelos USA.

Um grande abraço a todos,

segunda-feira, 8 de julho de 2019

Atualização Patrimonial JUN/19 - R$431.997,84 (+0,51%)

Ola pessoal - tudo bem ? Após um longo tempo sem postar (acabei ate perdendo a atualização do mes passado), vamos aqui com mais uma atualização patrimonial. Antes de falarmos dos numeros, acho que vale a pena repassar a situação atual no trabalho e também na vida pessoal.

No trabalho, estamos contratando algumas pessoas para repor um pessoal que acabou saindo da empresa. Felizmente, todos da minha equipe continuam por lá e só estou contratando para ampliar a equipe e fazer frente aos novos projetos. No geral, estou satisfeito com o resultado de todos - apenas pequenas coisas para ajustar no Mexico, mas nada grave.

O meu chefe acabou de demitir a Diretora de Supply Chain e ja percebi que ele quer demitir também a Diretora da outra divisao de Compras. Isso pode gerar uma oportunidade de assumir a divisao completa de Compras dentro de, aproximadamente, um ano. O salario poderá chegar aos USD150 - USD 160K e também melhora um pouco os beneficios. Entretanto, essas mudanças também sao um sinal de alerta, já que a demissão ocorrida foi inesperada e a pessoa tinha bons resultados - os fatores politicos acabaram contando bastante na demissao e é sempre muito cansativo ficar atuando nos bastidores do mundo corporativo.

O que eu posso prever é uma demanda ainda maior até as substituições e contratações terminarem - e também uma "vigilancia" maior na minha atuação, ja que posso ser considerado para assumir a divisao completa no proximo ano. De toda forma, só me resta continuar trabalhando e tentando evoluir na carreira.

No lado pessoal, eu recebi uma ligação do medico dizendo que meus exames apresentaram resultados nao muito bons - a consulta sera no final dessa semana e ai vou saber com mais detalhes. Mas parece que minha hemoglobina glicada (glicosilada) deu um resultado alto e o medico quer discutir isso comigo. Outro fator é também o nivel de testosterona que esta baixo - fruto do sobrepeso e do sedentarismo. Agora parece que acabaram as oportunidades de mudar estilo de vida por bem - agora vai ter de ser na marra mesmo. Nao posso permitir minha saude deteriorar tanto e terei de investir em uma nova rotina imediatamente - preciso conciliar demandas do trabalho com um tempo para fazer exercicio, alimentar melhor, etc...

Falando agora da evolução patrimonial - o fechamento de Junho foi:


A evolução esta muito lenta nesses primeiros seis meses devido a algumas despesas nao planejadas e outras planejadas que acabaram se concentrando no primeiro semestre - despesas com advogado, a compra das passagens para meus pais virem me visitar, as despesas com as ferias que tive em Março, a compra de um jogo de sofa, viagem para Florida Keys no feriado Memorial Day, despesas com mudança e o pagamento da comissao na compra da casa nova.

Vale ressaltar que todas essas despesas estavam planejadas e com dinheiro separado - por isso o patrimonio nao diminuiu - mas também nao houve aportes para elevar o patrimonio.

Para o segundo semestre nao tenho mais despesas planejadas - somente os passeios com meus pais, mas para isso irei utilizar o dinheiro do bonus. Os meus aportes planejados para Julho ate Dezembro ficam da seguinte maneira:

Julho - USD 1.500
Agosto - USD 1.500
Setembro - USD 1.500
Outubro - USD 1.500
Novembro - USD 4.500
Dezembro - USD 1.500

Restituição do IR USA - USD 11.000
Restituição do IR BRA - USD 300
Casa nos USA - USD 2.400
Valores da Venda do Apto - BRL 45.000 / USD 12.000

Total planejado: USD 37.700 ou BRL 143.260

Esses valores somados ao patrimonio atual podem me levar a superar a meta de BRL 540K esperados para esse ano - essa é a ideia principal. Também nao estou contando o valor do bonus (a ser recebido em Dezembro ou Janeiro) pois pretendo utilizar nos passeios com meus pais.

Então é isso pessal - depois da consulta do medico eu compartilho com voces um pouco mais sobre minha situaçao de saude e agora que nao tenho mais despesas planejadas - foco no crescimento patrimonial.

Um grande abraço,

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Um Ano Morando nos USA - Balanço Geral

Ola pessoal - tudo bem ? Eu vi algumas postagens bem legais recentemente com o pessoal fazendo o balanço do periodo que está vivendo fora do Brasil, as dificuldades, as facilidades, as conveniencias e as inconveniencias. 

Eu prestei bastante atençao em diversas postagens (principalmente o Corey e o SRIF365) e, coincidentemente, esse mês (apenas alguns dias atras) completou um ano que estou morando aqui nos USA. Acho que pode ser interessante também fazer um balanço e vou tentar ser o mais neutro possivel, já que talvez minha experiencia esteja sendo um pouco diferente, lugares diferentes, cultura diferente, modo de adaptação diferente, etc...

1 - Trabalho: acho que esse é um fator importante. Quando voce está envolvido com o seu trabalho, eu acredito que a adaptação a outro pais se torna mais facil. Desde que cheguei eu tive de implantar dois projetos grandes (esse foi o motivo de ter vindo para cá); mas após alguns meses eu acabei assumindo uma outra area com mais responsabilidades e um aumento de salário também. Então, do ponto de vista profissional, a mudança tem sido bacana e além da experiencia internacional eu também consegui "alavancar" um pouco mais no organograma da empresa e isso aumenta minha empregabilidade, rede de contatos, rede de influencia, etc... no caso de algo dar errado e eu ter de mudar de pais.

2 - Patrimonio: esse foi um fator interessante porque no Brasil tinha meu apto quitado e estava construindo meu patrimonio - na epoca acho que estava proximo de uns 330K (antes da mudança para cá). NO ultimo mes meu patrimonio atingiu BRL 430K aproximadamente e esse mes eu espero romper a barreira dos BRL 500K. Esse incremento se deve ao fato de ter recebido um valor de bonus de performance referente ao ano passado.

3 - Saude: nao acredito que foi uma mudança boa para minha saude. Eu aumentei o ritmo no trabalho e descuidei da alimentação. A unica coisa que sinto falta mesmo por aqui é de um restaurante por quilo para poder comer comida de verdade. Existe muitas opções por perto, mas todas com aquele esquema de comida americana sem sabor ou então fast food. Com certeza, os USA tem diversos atrativos mas não é um pais famoso por sua culinária / gastronomia. Também nao estou fazendo os exercicios como planejei, mas agora tenho um colega de trabalho que vai a academia pela manha - acho que vou começar a fazer o mesmo. Para a Sra Executiva Pobre, a mudança foi positiva pois aqui o plano de saude paga 100% do custo de aparelho e insumos que ela usa regularmente - material com tecnologia de ponta, que no Brasil era inacessivel devido ao custo.

4 - Familia: desde que mudei para cá acabei recebendo bastante visita de familiares. Claro que nao é como no Brasil, mas o fato de ter voos diretos para a cidade onde estou morando ajuda bastante. Sinto bastante falta dos meus pais e irmãos e da rotina que tinha no Brasil - isso realmente incomoda um pouco; mas o foco no trabalho e as atvidades e cuidados com o Estagiário Pobre acabam por ajudar a aliviar essa sensação de estar fora de casa.

5 - Lazer: nesse quesito nao posso reclamar. Eu consegui fazer viagens a Estados proximos e conhecer lugares bem interessantes - além de uma viagem para o Vale do Luar (França) e Belgica. Claro que uma das atividades que mais gostamos é viajar, mas agora com a aquisição de imovel aqui nos USA, o ritmo de viagens deve diminuir um pouco e focar mais em viagens nacionais - tem muito lugar legal para conhecer nos USA. Quando o Estagiário Pobre for um pouco maior ai queremos ainda fazer uma viagem para Italia e outra para Portugal e Espanha.

Como voces ja devem ter percebido - a minha avaliação da mudança de pais é um pouco mais positiva. Felizmente, aqui nao tenho algumas dificuldades que aparecem em outros paises - mas, obvio, que existe os pontos baixos também.

Eu ja fui multado, tive de contratar advogado, ja tive minhas diferenças com o pessoal no trabalho ... mas nada que fosse muito diferente do Brasil.

O pessoal com experiencia em serviços de expatriação me falou que o processo de imigração pode ser dividido em 4 partes:

a) a fase da lua de mel, onde tudo é maravilhoso, tudo funciona, a grama é mais verde, o pais é mais bonito, voce mora melhor, vive melhor e está apaixonado pelo local.

b) a fase do conhecimento, onde voce começa a se deparar com as primeiras dificuldades e obstaculos, Onde voce começa a ver que o lugar nao é perfeito, que tem coisas que te incomodam, que se fizessem do jeito brasileiro seria mais simples e pratico e ai começa um certo desencanto com o local.

c) a fase da decepção, onde ocorre o oposto da lua de mel. Voce começa a sentir falta ate da farofa do boteco que tinha perto da sua casa. Voce sente falta da comida, do tempero, dos amigos, das piadas, dos programas de TV, das musicas, dos filmes, dos livros, do cafe, do pao de queijo, do churrasco, do pao com mortadela, de ouvir Jovem Pan ou CBN ou Band News (ou qualquer outra radio), de ter um lugar preferido para frequentar. Essa fase é onde as pessoas normalmente voltam ao Brasil (nada de errado com isso) porque parece que o novo pais é um pesadelo e os fatores que te levaram a decisão de sair do Brasil, agora parecem irrelevantes.

d) a fase da realidade, onde voce percebe que o Brasil tem coisas ruins mas tem muitas coisas boas e que o pais onde voce está vivendo tem muitas coisa boas mas tem coisas ruins. Nessa fase, normalmente, as pessoas conseguem fazer uma avaliação mais equilibrada - sem o viés presente na fase da lua de mel ou na fase da decepção. Normalmente, essa fase traz uma jornada de auto conhecimento, onde as pessoas começam a notar o que realmente importa para elas e descobrir se é mais facil obter essas coisas no Brasil ou em outro lugar.

De qualquer forma, o processo de imigração nunca é facil. O que ocorre na pratica e que voce nao é mais brasileiro para quem ficou no Brasil, mas também não é um americano para quem está nos USA (citando o pais onde estou morando atualmente). Então cria-se uma sensação de nao pertencer a lugar nenhum e isso gera o gatilho da fase da decepção. A sensação de pertencimento e aceitação do grupo é muito importante para o ser humano e quando voce muda de pais, voce tem de reconstruir essa estrutura. Dependendo da personalidade de cada um, essa tarefa pode ser mais fácil ou mais difícil.

Ainda tem o lado da cultura do pais onde esta vivendo. Uma coisa é morar nos USA que é um pais com muitos estrangeiros e com um idioma utilizado no mundo inteiro (sim, Ingles é uma língua universal). Outra coisa é morar na Russia (deve ser espetacular) com o seu idioma mais complicado para nós, meros mortais e com uma cultura bastante diferente. Acho que a adaptação seria mais difícil por lá do que por aqui.

De toda forma, a sensação de ter de iniciar a jornada do zero (ou quase zero) é uma coisa que incomoda. No Brasil ja temos nosso circulo de amizades, nosso circulo familiar, nosso circulo profissional e social. Em outros pais voce precisa começar do zero: tem de provar que é bom profissional, tem de entregar resultados desde o primeiro momento, tem de construir amizades, tem de se relacionar na comunidade, tem de descobrir como funciona o dia a dia do local, como funciona o sistema financeiro e bancário, as diversas opções que voce tem, qual sua loja de roupa preferida, qual seu restaurante preferido, quais os seus produtos preferidos no supermercado.

Um pequeno exemplo - eu fui no mercado a primeira veze tinha exatamente 11 marcas diferentes de leite - todas com basicamente o mesmo preço. E ai ? Compra qual ? 

Imagina a mesma coisa com todos os produtos que voce está acostumado a comprar - isso é uma coisa simples, mas normalmente é o primeiro choque.

Ate o momento, eu acredito que estamos na fase de conhecimento. Nao estamos na empolgação da fase de lua de mel (acho que nunca estivemos), reconhecemos alguns problemas importantes que existe por aqui; mas ainda conseguimos enxergar muita coisa positiva na mudança - conforme eu relatei no inicio do post.

Vamos ver como fica as mudanças agora com o processo de aquisição de imovel (ate agora foi bem simples e fácil) e criando uma rotina mais especifica, com o Estagiário Pobre começando a ir para escola e a Sra EP analisando as ofertas de trabalho. Talvez a coisa fique mais corrida e essa sensação de ter ganho em qualidade de vida acabe por desaparecer - e isso teria um impacto grande na percepção se esta valendo a pena ou nao morar fora. Eu vou contando para voces conforme as coisas forem ocorrendo.

Se tiver algo mais especifico que gostariam de saber, por favor perguntem ai nos comentários.

Um grande abraço,