segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Meu Plano Financeiro para Chegada nos USA

Ola pessoal - tudo bem ? Eu decidi fazer essa postagem para verificar como vai ser minha chegada nos Estados Unidos, assim que todos os tramites do visto estiverem resolvidos. Apesar das diversas preocupações com mudança, documentação, visto e outras coisas mais; um ponto importantíssimo para a chegada nos USA é verificar como isso afetará meu patrimônio. 

Com certeza alguns gastos serão necessários e eu já estou comprando dólar em especie para fazer frente a essas despesas iniciais. Entretanto, eu terei alguns benefícios e renda extra no inicio, conforme já negociado em contrato. Então, eu decidi colocar os números e verificar o que posso esperar desse ano de mudança para os Estados Unidos. 

O primeiro passo foi descobrir quanto dinheiro eu deixarei aqui no Brasil e para isso, eu considerei minha data de mudança em Março/2018. Portanto, eu ainda terei o salário de Fevereiro aqui no Brasil, bem como minhas despesas usuais.


FEVEREIRO = No mês de Fevereiro, o planejamento é fazer um aporte adicional de R$8K e também ja acertei a venda do meu carro popular particular. Esse dinheiro será acumulado na conta e com isso atingirei o valor de R$328.920



MARÇO = Já em Março eu devo assinar a rescisão do meu contrato aqui na empresa. Espero poder negociar e ser mandado embora para poder acessar o FGTS ou negociar a demissão em comum acordo conforme a nova legislação trabalhista permite. Mas, para fins de planejamento, eu estou considerando que terei de pedir demissão e que não vou receber nada além de ferias e 13° Salário proporcional. Considerei, aproximadamente 70% do valor, pois nao estou muito certo dos impostos que irão incidir sobre esses valores. Além disso, no mes de Março eu termino a compra de dolares em especie e vou levar o limite permitido pelo governo americano, ou seja, USD10K.



ABRIL = Eu considero o mes de Abril como o mes efetivo da mudança. Por isso, eu ja considero um rendimento de 0,5% sobre o saldo financeiro que deixarei aqui no Brasil e também um valor de aluguel de R$1.800,00 (nesse valor já está descontado o imposto de renda para não residente - aliquota de 15%).

Nesse mes eu também recebo meu primeiro salário e os beneficios acordados nos USA. Portanto, levarei os USD10.000 em especie e receberei USD9.200 como bonus de assinatura (estou considerando somente dois salários tributados com aliquota de 30%).

Considerei todas as despesas já mencionadas na postagem com meu orçamento mensal nos Estados Unidos, o que me permite o aporte de USD1.836; porém eu terei algumas economias já que ficarei morando em hotel nos primeiros meses e também terei carro alugado. As economias estão listadas nas tabelas abaixo (mes de Abril e Maio) e também ja inicio o aporte na conta 401K (especie de previdencia americana). O aporte é de USD 307, porém a empresa deposita outros USD307 totalizando então os USD614 listados no planejamento.



MAIO = no mes de Maio, eu considero exatamente as mesmas despesas e receitas já explicadas no mes de Abril.


JUNHO = Esse é o mes que efetivamente eu irei morar em uma residencia nos Estados Unidos e começarei a arcar com todas as despesas. Como podem ver na planilha abaixo, eu considerei um mes de caução para todas as contas, mesmo sabendo que serei reembolsado dessas despesas após algum tempo necessário para criar um histórico de credito.

Também nesse mes eu considero a compra do meu carro e de uma bicicleta. Eu pretendo ir trabalhar diariamente de bicicleta, de forma a incluir mais atividade na minha rotina e buscar um estilo de vida mais saudavel. As despesas estão relacionadas e o seguro do carro já faz parte do meu orçamento mensal.



JULHO = A partir do mes de Julho, as contas entram em modo mais automatico e por isso irei repetir as planilhas mes a mes, na sequencia para avaliarem a evolução do saldo em dolares e em reais.








DEZEMBRO = No mês de Dezembro, eu considero o pagto de bonus (estou considerando apenas 50% do valor, tributado a aliquota de 30%); mesmo assim eu vejo que é possivel atingir minha meta de 400K que está sim bem conservadora, pois espero deixar verba suficiente para fazer road-trips pelos Estados Unidos e conhecer bem um pais que é maior do que o Brasil não é uma coisa tão simples.



Como voces podem ver, é possivel superar a meta com uma certa folga, mas vale lembrar que existe o risco cambial envolvido. A flutuação cambial pode fazer o patrimonio em Reais sofrer quedas ou altas expressivas dependendo do comportamento do mercado de cambio. 

E outro ponto importante é perceber que do saldo de USD35.940 que está planejado para Dezembro/18, cerca de USD5.526 estarão imobilizados na minha conta 401K que tem certas regras para retirada. Então, o meu saldo liquido em dolares será de USD 30.414; o que ainda está acima da meta de aporte de USD30K / ano.

Além do plano apresentado, eu possuo ainda uma contingencia adicional: 

 - Negociar a Rescisão Contratual = em contas aproximadas, eu teria R$70.000,00 de verbas indenizatórias se conseguir negociar a minha demissão. Mas, como voces viram no meu planejamento, eu nao estou contando com essa possibilidade. Nao acho que teria uma boa posição para negociar a saida dessa forma (apesar de que seria muito bom para mim, caso eles me demitissem para encerrar o vinculo empregatício aqui no Brasil). Talvez eu aborde com a possibilidade da demissão negociada que agora está regularizada na reforma trabalhista, mas tampouco estou contando com essa alternativa.

 - Restituição IR Brasil = Nesse ano eu faço a declaração referente a 2017 e terei algum valor a ser restituído, já que tenho um dependente adicional (o Estagiário Pobre) e as despesas medicas do parto (R$8.000,00 sendo R$4.000,00 já reembolsados pelo plano de saude) + despesas de dentista (R$1.500,00) que tive com um dos meus dependentes.

Nao estou considerando esses valores de contingencia porque ainda terei despesas com o processo de cidadania (transcrição do casamento dos meus pais + cidadania EP e irmãos) e pretendo fazer frente a essas despesas utilizando esses valores a receber do Leão.

Além disso, tenho o plano de vender meu apartamento (em vez de alugar) e isso representaria aproximadamente mais R$400K de aporte, aumentando bastante o patrimonio e me deixando próximo do milhão.

Nas próximas postagens, enquanto eu espero novidades sobre o processamento do visto, eu irei compartilhar com voces o planejamento para os próximos 05 anos que estarei fora. Na verdade esse periodo pode ser maior se conseguir o Green Card, mas mesmo que nao consiga a residencia permanente nos Estados Unidos, eu nao pretendo voltar ao Brasil tão cedo. Na verdade, eu pretendo utilizar a cidadania europeia e caso tenha de sair dos Estados Unidos após os 05 anos, eu irei me aventurar no Velho Mundo.

Então é isso pessoal - até a proxima postagem.

Um grande abraço,

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Atualização Patrimonial JAN/18 - R$297.920,07 (+3,63%)

Ola pessoal - tudo bem ? O mes de Janeiro acabou e vamos ao primeiro fechamento do ano. Como voces sabem, para esse ano de 2018, eu tenho a meta de atingir R$400.000,00 em ativos financeiros. 

Como também voces ja devem estar acompanhando, eu estou em meio a um processo de transferencia para os Estados Unidos. Ja dividi com voces a minha negociaçao para a transferencia (clique aqui para ler como negociei meu salário e beneficios) e também pode querer clicar aqui para informações adicionais.

Alem disso, eu também já falei sobre o meu planejamento de receitas e despesas (clique aqui para ver meu Orçamento Mensal nos Estados Unidos).

Com essas informações, eu mantive o meu planejamento de aportes e meta patrimonial no ano de 2018 da mesma forma como estava antes da transferencia, ou seja, esse ano quero chegar em R$400.000,00 em ativos financeiros.

Nesse mes de Janeiro eu realizei a venda da minha carteira de FII´s e por isso estou com bastante liquidez e verificando as oportunidades que terei como investidor nao residente. Nos primeiros dois anos, nao pretendo fazer grandes mudanças (provavelmente o dinheiro ira ficar na Renda Fixa no Brasil) até que a empresa conduza o processo de aplicação para Green Card em 2019 e eu tenho uma visão mais clara das minhas chances de obter a residencia permanente nos Estados Unidos. 

Caso tudo corra como planejado, eu inicio a transferencia de patrimonio do Brasil para Estados Unidos, mas claro que ja irei levar um pouco para iniciar minha vida por lá. Porém, caso tenha alguma dificuldade com a obtenção do Green Card, o dinheiro permanece no Brasil aplicado na Renda Fixa e continuo acumulando dolares na Terra do Tio Sam. Ao final do periodo quando tiver de sair dos Estados Unidos, utilizarei os rendimentos do patrimonio investido no mercado americano para iniciar uma nova vida na Europa (outro grande sonho que tenho é morar por lá e conhecer o maximo de lugares possivel).

Mas esse plano tem um risco enorme - o risco cambial. O dinheiro que está no Brasil está exposto a flutuação cambial e o dinheiro que está nos Estados Unidos tambem está exposto ao risco cambial, ao menos enquanto nao tiver a residencia definitiva (Green Card) para me estabelecer nos Estados Unidos. Digo que mesmo o dinheiro que acumular nos Estados Unidos também está exposto ao risco cambial porque, sem Green Card (situação conservadora) o dinheiro será consumido na Europa, ou seja, o dinheiro estará aplicado em dolares e será consumido em euros. Mas deixando o risco cambial para o futuro, eu pretendo ir migrando patrimonio a medida que eu tiver maiores indicações em relaçao ao meu futuro na Terra do Tio Sam. Se o valor do dolar baixar consideravelmente, eu transfiro mais Reais para lá, se o valor do dolar aumentar consideravelmente (talvez isso seja mais provavel) eu vejo a relação dolar / euro e a relação dolar / real / euro e faço a operação que for mais atrativa no momento.

Como meu patrimonio vai começar a ter bastante influencia do cambio, eu decidi iniciar a medição de rentabilidade do inicio, considerando o mes de Janeiro/2018. Portanto, apesar de no titulo voces verem uma valorização de +3,63% em relação ao patrimonio de Dezembro/17, na planilha do colega ADP (Além da Poupança), voces verão que a valorização patrimonial será de 0%.


Estou quase chegando a minha meta de Dez/17 (R$300.000,00) e isso quer dizer que eu já começo atrasado para minha meta de 2018; mas vamos em frente pois é totalmente possivel atingir a meta (claro, desde que o cambio nao me atrapalhe muito ... mais risco na carteira).

Vou tentar ja deixar uma postagem pronta para os proximos dias falar um pouco mais sobre meu plano financeiro inicial (chegada nos Estados Unidos) já que terei moradia e carro pago pela empresa durante um periodo, além de um valor de bonus por assinatura de contrato.

Um grande abraço,

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Meu Orçamento Mensal nos Estados Unidos

Ola pessoal - tudo bem ? O ano já começou, um mes inteiro ja passou e eu preciso fazer meu planejamento 2018 já considerando a transferencia para os Estados Unidos. Com esse planejamento, eu pretendo estimar as minhas despesas gerais e verificar se conseguirei manter minhas metas de aportes e investimentos. 

Obviamente, antes de ter a confirmação do visto que irei obter, eu irei trabalhar sempre com a pior hipotese, que nesse momento seria uma permanencia máxima de 05 anos na Terra do Tio Sam. Para esclarecer um pouco mais, dependendo do tipo de visto L1 obtido, voce pode permanecer de 05 a 07 anos nos Estados Unidos, isso já considerando as renovações do visto. A boa noticia é que o visto L1 é um caminho mais fácil para o Green Card e com ele em mãos voce tem residencia permanente nos Estados Unidos - mas esse é um assunto para uma outra postagem.

Voltando ao tema dessa postagem, o primeiro passo no meu plano foi descobrir quanto vai ser o meu salário liquido. Eu já tenho as informações de salário bruto e utilizei algumas calculadoras de salário liquido para compreender os impostos que incidem sobre o meu salário nos Estados Unidos.

A primeira curiosidade é que os impostos são retidos na fonte a cada pagamento (e nao somente no final do mês, como é comum no Brasil). Dessa forma, voce recebe um pagamento a cada duas semanas com valores exatamente iguais. 

Nos Estados Unidos, assim como no Brasil, existe o Imposto de Renda Federal (Federal Income Tax). Entretanto, por lá também existe o Imposto de Renda Estadual e Municipal. Alguns locais cobram esse imposto e outros locais isentam os moradores do pagamento desses tributos. Felizmente, esse será o meu caso - terei somente o Federal Income Tax a ser retido diretamente na fonte, no momento do pagamento do meu salário.

Além disso, também existe a cobrança FICA (Federal Insurance Contributions Act), que é composta pelo pagamento do Social Security (especie de INSS aqui do Brasil) e também do Medicare. Esse ultimo é uma contribuição para o sistema de saude americano que oferece como beneficio um seguro de saude para pessoas com mais de 65 anos, porém a cobertura do Medicare é bastante restrita.

Com essas informações eu tenho a seguinte figura:

Salário Bruto (Gross Salary): $7.667

Taxes - Federal Income (12,38%): $949

FICA - Social Security (6,2%): $475

FICA - Medicare (1,45%): $111

Salário Liquido (Net Salary): $6.131

Então, inicialmente, eu poderei contar com $6.131 no bolso mensalmente. Mas nao será exatamente isso, pois nao estou considerando ainda bonus e alguns beneficios para o ano de 2018 e também ainda nao estou considerando algumas despesas que são dedutiveis de imposto. Vale a pena considerar  a contribuição para o plano 401K da empresa, já que a mesma contribui o mesmo valor (100% da contribuição do empregado) até um limite de 4% do salário bruto. Além disso, irei contribuir com o plano medico da empresa (ainda nao decidi qual das tres opções, mas para efeitos desse planejamento, irei considerar o plano médio) e também irei contribuir em uma conta HSA - Health Safety Account para ter fundos para despesas medicas com incentivo fiscal. Como tenho um filho pequeno e uma esposa que utiliza medicamentos de uso continuo, então a conta HSA faz sentido, além de poder carregar as contribuições feitas em um ano para o ano seguinte.

Dessa forma, avançando um pouco mais na análise, tenho o seguinte cenário:


Salário Bruto (Gross Salary): $7.667

Taxes - Federal Income (10,46%): $802

FICA - Social Security (5,84%): $447

FICA - Medicare (1,36%): $105

Pre-tax Deduction Plano de Saude (Medical Insurance): $250

Pre-tax Deduction 401K (4%): $307

Pre-tax Deduction HSA: $200

Salário Liquido (Net Salary): $5.556


Então, agora com um valor um pouco mais apurado, eu consigo estimar como ficarão as minhas despesas e capacidade de aporte nos Estados Unidos:

Salário Liquido (Net Salary): $5.556

Aluguel (House Rental): $1.700

Agua, Luz, Gas (Utilities): $350

Compras (Groceries): $500

Combustivel (Gas): $120 

Seguro Carro (Car Insurance): $150

TV + Internet + Telefone Celular: $250

Restaurantes / Bar / Lanchonete: $150 

Viagens / Passeios (Travel): $500

Investimentos / Aporte: $1.836


A principio, esse é um orçamento para viver uma vida bem tranquila - diria até que luxuosa - no lugar onde vou morar. Obvio que faltou detalhar algumas categorias (como roupas, sapatos, etc...) mas essas são compras esporádicas, que é possivel fazer frente simplesmente economizando nas saidas a restaurantes ou mesmo passeios, já que para essas categorias eu deixei um valor relativamente alto. Com $500 por mês é possivel fazer duas viagens de carro por mês (viagem de final de semana) para ir conhecendo os locais proximos onde eu irei morar, e depois disso, esse valor pode ser economizado para viagens mais distantes, pois terei $6.000 / ano - um valor mais do que suficiente para viajar pelos Estados Unidos, ou mesmo viajar para Europa ou Brasil.

O valor de $1.836 tem de ser somado as contribuições individuais e da empresa para o plano 401K., já que se trata de uma conta de investimentos para aposentadoria. Minha contribuição será de 4% do salário ou $307 e a empresa deposita um valor igual a 100% do que eu depositar, ou seja, outros $307 dolares. Então, eu tenho $614 dolares extras de investimento.

Dessa forma, o total de aportes seria $1.836 + $614 = $2.450

Esse valor representa 39,96% (vou arredondar para 40%) da minha renda liquida ($6.131)

Desta forma, estuo falando de um aporte anual de $29.400 - porém, ainda tem o bonus anual que pode chegar a 10% da renda. Considerando então $9.200 como bonus e impostos de 30%, terei um adicional liquido de $6.440

Somando o aporte + bonus existe um potencial aporte de $35.840 / ano, ou seja; o equivalente 48,71% da minha renda anual liquida. Claro que ajustando um pouco mais os valores é possivel atingir 50% da renda anual como aporte, o que seria ótimo por se tratar de aporte já em moeda forte.

Também nao estou considerando um eventual trabalho da Sra EP, o que pode incrementar muito o valor do aporte. No primeiro ano ela ficará em casa com o Estagiário Pobre (esse é um beneficio extra a ser considerado, já que no Brasil ela iria retornar ao trabalho em Abril), e a partir de então, com a situação melhor definida em relação ao Green Card, ela vai se aventurar no mercado de trabalho americano. No primeiro ano, mesmo em casacom o Estagiário Pobre, ela vai ajudar uma amiga que mora na Carolina do Norte com um trabalho home-based que basicamente consiste em comprar e organizar remessas de encomendas para clientes no Brasil.

Inicialmente, fico satisfeito com meu plano de investimentos. Os valores assumidos para as despesas foram confirmados com amigos que já moram por lá e tem uma generosa "gordura" em cada um deles, já que em um ambiente desconhecido é mais dificil prever o custo de cada item.

Então é isso pessoal - sigo firme agora com objetivo de aportar $35K / ano.

Um grande abraço,

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Venda de Ativos - Fim da Carteira FII

Olá Pessoal - tudo bem ? 

Aproveitando o momento para informar "quase on-line" sobre a venda das minhas posições de FII no dia de hoje. Esse era um movimento já planejado devido a dificuldade de manter esse tipo de ativo após a minha transferencia para os Estados Unidos. 

Não sei se todos tem essa informação, mas quando voce passa a ser residente fiscal nos Estados Unidos, voce é obrigado a declarar os seus rendimentos em qualquer lugar do mundo. A principio, isso nao seria um problema, uma vez que tenho todo os controles relativamente bem apurados para qualquer declaração que fosse necessária. 

Entretanto, a modalidade de investimento em FII (ou REIT - Real Estate Interest Trust) possuem distintas "taxações" (essa palavra existe ?) nos Estados Unidos e no Brasil.

Por aqui, os rendimentos de alugueis recebidos de FII's sao isentos de Imposto de Renda, desde que se atenda determinadas condições (a mais famosa é o cotista nao possuir mais do que 10% das cotas do fundo). Praticamente todo investidor pequeno (como eu) acaba se qualificando para essa isenção do imposto de renda sobre os alugueis recebidos. Já nos Estados Unidos, os rendimentos de alugueis recebidos de REIT´s sao tributados com uma aliquota de 30% sobre o valor do aluguel recebido. Adicionalmente, vale informar que Brasil e Estados Unidos nao possuem acordo para evitar bi-tributação.

Passando a ser um investidor nao residente, eu teria de pagar 15% de imposto de renda sobre os alugueis de FII's recebidos aqui no Brasil - e, adicionalmente, teria de pagar outros 15% para completar a aliquota de 30% aplicada nos Estados Unidos. 

Dessa forma, considerando um yeld global da minha carteira de FII como 0,98% a.m. - eu teria de pagar 30% sobre o valor dos alugueis recebidos, reduzindo o yeld para aproximadamente 0,68% a.m.

Ainda que seja um yeld interessante se considerar que os alugueis sao reajustados pela inflação e o valor do principal atrelado aos imóveis tende a acompanhar a inflação no longo prazo; continuar recebendo esses valores implicaria em uma certa complexidade pois teria de pagar impostos no Brasil mensalmente, teria de pagar impostos nos Estados Unidos mensalmente. Além disso, a corretora com a qual trabalho exige um credenciamento de investidor nao residente junto a CVM para que eles aceitem eu dinheiro com origem em outro pais - no final das contas eu achei uma burocracia demasiada para um rendimento próximo ao de outras aplicações.

Então, considerando a complicação para manter todos os investimentos declarados e impostos devidamente recolhidos aqui no Brasil e nos Estados Unidos, eu aproveitei o momento de alta nas cotações dos Fundos Imobiliários que eu tinha em carteira e executei as ordens de venda. 

Então agora eu estou um pouco mais liquido, mantendo somente minhas posições em Tesouro Direto - cerca de R$95K que serão liquidados quando estiver mais proximo da data de saida do Brasil.

Como curiosidade, a minha carteira de FII's era composta de:


O valor de venda (aproximado, pois eu ainda nao atualizei completamente); foi próximo de R$163K e isso vai gerar um ganho de capital de R$51K e pagamento de imposto de R$10,2K.

O saldo final dessa operação será de aproximadamente R$153K e isso será somado a R$7K que estão parados na conta da corretora e R$92K que tenho em aplicações de Tesouro Direto e mais R$40K que estão na poupança aguardando serem convertidos em Dolares. Portanto, patrimonio aproximado de R$292K liquidos (ja considerando os impostos a serem pagos).

Nas proximas postagens quero dividir um pouco mais o planejamento dos proximos 5 anos, considerando o tempo que devo passar nos Estados Unidos.

Um grande abraço,


quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Quais são os Tipos de Visto para os Estados Unidos ?

Ola pessoal - tudo bem ? Como estou no processo de transferência para os Estados Unidos, achei interessante colocar aqui um resumo dos tipos de visto existentes na Terra do Tio Sam. 

Não tenho a intenção de criar uma postagem de referencia para consulta de vistos, muito pelo contrário. Aconselho a quem quiser fazer o processo de imigração, que inicialmente acesso o site da imigração dos Estados Unidos (clique aqui) e que procure um profissional qualificado para prestar a assessoria necessária.

Acho interessante ter um resumo com os tipos de visto disponíveis e algumas informações gerais sobre eles. Na sequencia, eu irei falar um pouco mais detalhadamente sobre o processo do visto que estou aplicando, no caso, o visto L1. Vamos então ao resumo dos tipos de vistos americanos existentes:

Visto A: esse é o famoso visto diplomático e bem que eu adoraria ter um desses. Esse visto é destinado a ministros, diplomatas ou oficiais consulares. Esse visto se divide nas categorias A1 (embaixadores, ministros, diplomatas) / A2 (outros oficiais e funcionários credenciados) / A3 (assistentes pessoais, criados ou parentes próximos de portadores do visto A1 ou A2).

Será que o visto A serve para esse Diplomata ?


Visto B1: conhecido como "Visitante a Negócios". Importante ressaltar que esse nao é um visto de trabalho. O portador de um visto B1 nao pode trabalhar nos USA, nao pode receber salário nos USA mesmo que seja proprietário da empresa;  mas pode criar uma empresa, adquirir propriedades, assinar contratos e participar de reunião de negócios. Esse é um visto que serve para os americanos atraírem investidores (pessoas que querem montar empresas, comprar casas, etc...) mas nao querem estabelecer residencia nos Estados Unidos.

Esse é o sorriso de quem tem o visto B1

Visto B2: esse é o visto de Turismo. Normalmente, ele é concedido junto com o visto B1 e o portador fica com um visto B1/B2. Normalmente, um portador de visto B1/B2 tem sua entrada admitida nos Estados Unidos por um periodo máximo de seis meses, permitindo solicitar renovação. Muitas pessoas utilizam o artificio de ficar seis meses nos Estados Unidos, depois voltar ao Brasil, depois entrar novamente nos Estados Unidos e assim por diante. De acordo com a consultoria fiscal que está me assessorando no processo de transferencia, essa estrategia é arriscada porque se ficar por um certo periodo nos Estados Unidos (superior a 183 dias) voce pode ser considerado residente fiscal pelo governo americano e tem de pagar impostos sobre a sua renda, nao importando se a renda é paga nos Estados Unidos ou em qualquer outra parte do mundo. Falarei mais sobre a questão fiscal em postagem futura.

Entao voce quer passear na Disney, hein ???

Visto C: esse é o visto de transito. É muito utilizado por pessoas que estão apenas utilizando os Estados Unidos como uma parada na viagem até seu destino final. Na verdade, as pessoas que vao fazer escala nos Estados Unidos nao costumam solicitar um visto C e acabam pedindo o visto B1/B2 já que o mesmo tem uma validade maior do que o visto C.

Opa - espera que eu tenho visto C !!!

Visto D: esse é o visto dos tripulantes de embarcações maritimas e veiculos de aviação. Serve nao somente para os tripulantes mas para todos os prestadores de serviço maritimo e/ou aereo. É o visto que o comandante, piloto, comissario de bordo, capitão, marinheiro, etc... utilizam para entrar em território americano de forma temporária.

Bem vindo - eu que estou no comando !!!

Visto F: o famoso visto de estudante. Esse é o visto que solicita quem vai estudar nos Estados Unidos, nao importa se vai entrar na pré-escola ou fazer um pós doutorado. Existe alguns filhos de conhecidos meus que se matriculam em algum curso na faculdade só para viver nos Estados Unidos; depois terminam o curso e se matriculam em outro e assim por diante - podendo passar o resto da vida "estudando" por lá. O problema é que nao se pode trabalhar com esse visto, mas como os pais sustentam o eterno estudante, então ele vai ficando por lá.

Estagiário Pobre usando seu visto F !!!


Visto G: esse é para profissionais de relevada liderança. Nao faço ideia do que seja considerado uma relevada liderança e tampouco conheço alguem que ja recebeu esse visto.

Lideres relevantes aguardando o visto G

Visto H1: finalmente um visto de trabalho. Esse visto é conhecido como "Visto de Trabalhadores Profissionais Provisório" e estão disponiveis para quem tem formação compativel com um curso de quatro anos de bacharelado nos Estados Unidos. O prazo inicial desse visto é de 3 anos e tem um prazo máximo de 6 anos. As aplicações para esse visto sao feitas pela empresa durante o mes de Abril e existe um limite maximo de 65.000 vistos concedidos por ano - por isso, esse visto nao é fácil de conseguir. Voce realmente tem de ser um trabalhador muito qualificado. Existe um adicional de 20.000 vistos para profissionais que obtiveram mestrado, doutorado ou pos doutorado nos Estados Unidos.

Visto H1C: destinado exclusivamente a enfermeiros formados e certificados pelas autoridades americanas. Logo, é quase tao dificil quanto o H1 porque para ser enfermeiro certificado nos Estados Unidos sao anos de estudo em instituições que nao costumam ter mensalidade muito acessiveis.

Enfermeira Certificada - ai vale a pena pagar um preço absurdo de seguro-saude !!!

Visto H2A: esse é o visto para trabalhadores da agricultura prestando um serviço temporario nas fazendas e/ou propriedades americanas. Na epoca de safra, algumas pessoas sao admitidas com esse tipo de visto - que é exclusivamente para serviço temporário.

Visto H2C: é a versão do visto H1 para trabalhos temporários. O problema é que tem de se comprovar que o trabalho é temporário e nao existe disponibilidade, capacidade, disposiçao ou qualificação de trabalhadores americanos para fazer esse trabalho. A duração do visto é de 1 ano podendo ser renovado, porém com 3 anos como periodo maximo de permanencia no pais.

Visto H3: visto para quem vai receber um treinamento que nao está disponivel em seu pais. Esse visto inclui a autorização para trabalhar, desde que seja parte do  treinamento recebido. O periodo do visto depende do treinamento a ser recebido, mas nao pode ter duração superior a 2 anos.



Visto I: visto para reporteres, jornalistas, comunicadores, profissionais do cinema, radio, televisão ou qualquer outro meio de informação.

Visto J: olha ai o visto do pessoal do intercambio (nunca consegui fazer um intercambio na vida - oh tristeza). 

Visto K1: olha ai o visto de quem vai se casar com uma americana (nunca consegui casar com uma americana - oh tristeza). Esse visto é até tema de alguns realities show porque tem diversas exigencias para comprovar a veracidade do relacionamento ... o pessoal olha fotos, redes sociais, faz entrevistas com os noivos, com parentes, com amigos, etc... A pessoa precisa comprovar que tem planos de permanecer nos Estados Unidos após o casamento e além disso, os noivos tem de se casar em até 90 dias após a chegada do noivo estrangeiro, caso contrario o noivo estará ilegal no pais. 

Noivos aplicando para visto K
 Visto L1: esse é o visto de "transferencia de empregados" e está disponivel para individuos que tem trabalhado pelo menos um ano nos ultimos tres anos em uma atividade gerencial ou de conhecimento especializado. A empresa que o profissional vai ser transferido tem de ter relação com a empresa brasileira que o está transferindo, ou seja, ser uma filial, subsidiária ou coligada.

Executivo Pobre sendo transferido.

Visto M: visto para estudo nao academico. Sempre me perguntei o que seria um estudante nao academico ??? Mas esse visto serve para pessoas que querem se especializar em algo nao necessariamente na academia. É o camarada que vai fazer um curso de teatro/cinema lá em Hollywood, o camarada que vem estudar fotografia, jardinagem, etc... qualquer coisa que nao seja um curso academico.

Visto O: visto dos fodões ... rsrsrs. Esse é o visto para pessoas com dotes especiais em artes, ciencias, negocios, esportes. O principal requisito é a pessoa ter atingido um nivel de alto reconhecimento na sua atividade. Pode ser cientistas com premiações importantes, esportistas que sao medalhistas olimpicos, etc... A duração maxima desse visto é de tres anos, mas normalmente é concedido por periodos bem menores - somente duraçao do evento onde a pessoa está envolvida.

Os ultimos contemplados com visto O

Visto P: visto dos menos fodões. Ele é destinado para artistas e esportistas de reconhecimento internacional, mas que ainda nao chegaram ao nivel de pedir um visto O.

Visto R: visto de nao imigrante para trabalhador religioso. Com o que tem de igrejas no Brasil, deveria ter um monte de gente indo com esse tipo de visto. O periodo maximo desse visto é de cinco anos.

Quero o meu visto agora !!!

Visto V: essa é uma categoria relativamente nova de visto e serve para o conjuge ou filho de um Residente Permanente Legal nos Estados Unidos viver e trabalhar por lá, mas em uma categoria de nao imigrante. Na pratica, serve para o conjuge ou filho de alguem que tem residencia permanente aguardar a aplicação do seu pedido de residencia permanente dentro dos Estados Unidos e nao fora do pais como era feito antigamente.

Então é isso pessoal - esse é um breve resumo dos tipos de visto disponiveis (deve existir mais alguns, mas eu nao encontrei). Novamente, quem tem a intenção de fazer o processo de imigração, deve acessar os site da imigração americana e, se necessário, consultar um profissional especializado.

Um grande abraço,