terça-feira, 4 de abril de 2017

Atualização Patrimonial MAR-17 - R$243.285,42 (+2,58%)

Ola Pessoal - vamos a mais um fechamento mensal. Do lado corporativo, as coisas estão se "ajustando" na empresa. A nova funcionária que contratei iniciou as atividades e está se saindo bem, assim como o estagiário que foi contratado e vem desempenhando as atividades de forma muito interessada e com bastante qualidade.

A empresa está passando por um processo confidencial, mas que coloca em risco o emprego de varias pessoas, inclusive o meu. De qualquer forma, isso é um assunto que nao consigo controlar ou influenciar, ou seja, nao esta nas minhas maos nenhum tipo de decisao sobre isso. O que venho fazendo é dar um pouco mais de visibilidade para algumas atividades estrategicas da minha equipe, buscando participar em projetos que envolvam diretamente os clientes e buscando exposição com novos gestores que estão se familiarizando com as nossas operações.

Além disso, finalmente, consegui concluir o mestrado - então, além de liberar um pouco mais de dinheiro no meu fluxo de caixa mensal, agora eu tenho uma opção a mais para trabalho - seguir a carreira academica. Agora tenho a oportunidade de começar a lecionar e tenho também o desafio de desenvolver um networking nessa nova area.

Mas, desafios a parte, ja estabeleci um bom contato com dois professores e vou iniciar o meu networking. De qualquer forma, nesse momento será dificil conciliar atividades corporativas com um eventual segundo trabalho em alguma universidade. Isto ficara em segundo plano nesse momento.

Então, vamos ao fechamento do mes:

1 - Poupança:


Manutenção de valor minimo na poupança. Talvez, será necessário algumas pequenas reformas em casa, e se isso for confirmado, o dinheiro de reserva será utilizado para este fim. Por enquanto, vou mantendo o valor minimo de 10K na poupança.


2 - Tesouro Direto:


Aporte do mês direcionado ao TD para fins de equilibrio da carteira. Nao houve mudança na estrategia e sigo com Tesouro NTNB Principal 2024, cada vez mais fortalecendo a posição em Renda Fixa para equilibrio da carteira. Em breve, vou diversificar com aquisição de titulos privados.


3 - FII:


Novamente um mês com boa rentabilidade no FII. Por enquanto nao houve alteração na carteira e eu estimo que novos aportes em Renda Variável ocorrerão somente no proximo ano. De toda forma, os alugueis recebidos continuam sendo reinvestidos, porém em Renda Fixa.


4 - Total:


Superado a barreira dos 240K - agora é buscar os 250K nos próximos meses e focando sempre nos 300K ao final do ano. O aporte do mês foi interessante e vou retomando os aportes nesse ano, já que o terreno adquirido ja foi quitado e nao tenho outras despesas previstas no curto prazo.

Existe um projeto de construção de imovel em um local proximo a minha residencia, porém ainda nao esta definido se vou seguir com esse investimento. Também existe algumas alternativas para compra de imovel ja construido (possivel um bom desconto com pagto a vista), mas ainda estou no campo das avaliações preliminares.

De qualquer forma, sigo em frente com a meta de patrimonio de 300K para este ano e avaliando como ficará o ambiente corporativo na empresa onde eu trabalho.

Um grande abraço,

segunda-feira, 20 de março de 2017

Passo Maior do que a Perna

Olá Pessoal - tudo bem ? Hoje eu quero abordar um tema que é frequente dentro de boa parte das organizações empresariais: o "passo maior do que a perna".

Todos nós possuímos uma tendencia a valorizar nossas experiências e habilidades e isso é uma coisa muito positiva. Porém, uma outra característica que ajuda muito é ter o senso critico para perceber quando a nossa percepção está exagerada.

Pegando um exemplo real - a empresa onde trabalho possui um Diretor de Engenharia. Esse camarada possui uma boa experiencia tecnica, mas é uma pessoa sem nenhum tipo de habilidade de relacionamento. É um cara que nao trata bem os funcionários, nem os pares e exalta aos "quatro ventos" os resultados que ele consegue obter, mas nunca ajuda as areas que necessitam do apoio da Engenharia.

Quando o meu atual chefe entrou na empresa (sim, o RH foi buscar ele no mercado a peso de outro, a pedido do presidente) ele colocou a sua amizade com o presidente como uma vantagem e começou a buscar uma serie de iniciativas para reduzir o custo do produto através de alterações de especificação tecnica. Obviamente, iso somente seria possivel com a autorização da Engenharia.

Como era de se esperar, o Diretor de Engenharia (vamos chama-lo de João) achou meu chefe um cara bem intrometido, pois estava tentando obter uma grande exposição na empresa através de ações que envolvem a sua área. O João começou a boicotar todas as iniciativas e meu chefe nao conseguiu levar nenhuma das ideias a frente.

O que João nao esperava (mas poderia ter deduzido) é que o presidente da empresa tinha motivos para ter mandado contratar o meu chefe no mercado; e se ele fez isso é porque os dois mantinham um contato profissional bem próximo, ou até mesmo, uma amizade. O meu chefe começou então a "queimar" a imagem do João e a expor os seus erros e da sua equipe sempre que tinha oportunidade.

Isto foi feito de uma maneira muito forte e muito frequente, de forma que o presidente começou a questionar as competencias do João. Nao passou muito tempo e o João foi transferido para uma unidade distante e com pouca representatividade dentro do grupo.

Com isso feito, a empresa decidiu também buscar no mercado um profissional para substituir João. A pessoa que ocupava um cargo imediatamente abaixo e poderia ter sido promovido, acabou nao sendo exatamente porque desenvolveu o mesmo perfil do antigo chefe. Achou que essa era a melhor forma de crescer e nao soube dosar a medida ... acabou ficando com a imagem muito vinculada ao antigo chefe. Eu também cometi esse erro quando mais jovem e tive de mudar de empresa, pois minha imagem era muito próxima a do antigo gestor e eu nao conseguiria dar novos passos dentro da organização.

Bom, já que nao iriam promover o funcionário da area, decidiram buscar alguem no mercado. Dentro diversos candidatos, havia um cidadão (vamos chama-lo de Walter) que tem um curriculum invejavel. É cidadao australiano, fala Ingles (obviamente), Espanhol e Alemão; além de ser casado com uma brasileira e falar um bom Portugues. Tem experiencia na area em grandes empresas do setor e implementou projetos importantes.

O pessoal questionou por diversas vezes se ele tinha uma determinada habilidade e ele foi enfático em responder que sim ... desta foram, foi providenciada a contratação do Walter.

O Walter iniciou na empresa e ele tem o perfil oposto do João ... o Walter é colaborativo, muito bem educado, tenta resolver qualquer tipo de problema que chega para ele. Então, os funcionários da area começaram a encaminhar para o Walter diversos problemas que eles poderiam resolver. Ele começou a se envolver nas discussões mais operacionais, começou a entrar em todas as reuniões, etc...

Mas o passo maior do que a perna veio quando o Walter assumiu o compromisso de implementar as ideias que meu chefe tinha levantado. Ele assumiu o compromiso de atingir o novo custo do produto, pois ele tinha feito algo muito mais agressivo na empresa anterior e estava confiante que iria fazer o mesmo por aqui.

O problema é que ele começou a enfrentar a resistencia do time de Engenharia Global, pois o João era bem relacionado com eles e reclamou que haviam puxado o tapete dele.

O time de Engenharia Global começou a colocar inúmeras dificuldades para aprovar qualquer projeto que viesse do Walter ou do seu time. O presidente começou a cobrar o Walter sobre as reduções de custo planejadas e a pressão aumentou ainda mais.

O Walter decidiu então ir conversar com o time de Engenharia Global e explicou a situação, ou seja, cometeu o erro de expor sua fragilidade perante o "inimigo". Desta forma, o time de Engenharia começou simplesmente a ignorar os pedidos do Walter pois via que ele nao tinha nenhuma capacidade de influenciar o time Global a aprovar qualquer projeto;

As coisas passaram a nao andar no nivel local e tampouco no nivel Global. O walter começou a se desesperar e tentar ideias muito agressivas para reduzir o custo ... como os ideias eram realmente agressivas, logo sua capacidade tecnica foi questionada e a Diretoria começou a pensar se tinha feito a melhor escolha ao contratar alguem que nao conseguiu aprovar nenhuma modificação tecnica e que ainda estava criando propostas tecnicamente inviaveis.

Como era de se esperar, o Walter foi demitido faz algum tempo ... a empresa transferiu uma pessoa da matriz para ocupar essa posição. No resumo da história, a unica falha que vejo no Walter foi ter assumido um compromisso sem entender antes se havia condições de cumprir. Nao da para prometer nada que envolva outra area se voce ainda ano construiu um relacionamento forte com eles.

O Walter deu um passo maior do que a perna !!!  

segunda-feira, 13 de março de 2017

Vossa Excelência - o Juiz !!!

Ola pessoal - estava olhando algumas noticias na internet e me deparei com essa:

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2017/03/09/uniao-vence-acao-contra-juiz-que-adiou-audiencia-do-lavrador-de-chinelos.htm

A integra da noticia pode ser conferida no link acima, mas coloco aqui o "head" da noticia como resumo:

Um juiz do Paraná que impediu um lavrador de participar de uma audiência porque usava chinelos terá de pagar R$ 12 mil à União. O valor se refere a indenização por danos morais que o trabalhador ganhou em ação contra o governo federal. O caso que envolveu o juiz Bento Luiz de Azambuja Moreira e o lavrador Joanir Pereira em Cascavel (PR) teve repercussão nacional em 2007. O magistrado se recusou a prosseguir com a audiência sob o argumento de que o uso do calçado "atentaria contra a dignidade do Judiciário"

Continuei procurando mais sobre este cidadão na internet e me deparei com as seguintes noticias (links e heads da manchete abaixo):



"... Como conta um advogado em reportagem do Bom Dia Paraná desta quarta-feira (26), em um dos casos, um homem de idade avançada teria se apoiado na mesa do juiz Moreira para assinar uma ata e ele não teria admitido que o homem encostasse os braços no móvel. “Ele entendeu que aquilo era um ato contra a dignidade do Poder Judiciário”, relata o advogado Marcelo Picoli."

"... A corregedoria regional da JT da 9ª região determinou que o juiz do Trabalho Bento Luiz de Azambuja Moreira, da 1ª vara de Foz do Iguaçu/PR, volte a proferir sentenças. O magistrado havia alegado que só poderia dar continuidade a suas funções caso recebesse um assistente qualificado. Moreira, que já suspendeu duas audiências em que as partes trajavam chinelos e bermuda, afirmava que a ausência do funcionário causava prejuízo na prestação jurisdicional da unidade. Ele alegava que a situação lhe causa depressão, insônia e hipertireoidismo, impossibilitando-o de julgar os processos. O magistrado acrescenta ainda que não irá treinar nenhum assistente pois, se o fizer, sabe que depois ele será "requisitado pelos gabinetes dos Desembargadores"...."

Minha percepção sobre o excelentissimo magistrado nao é das melhores. Claramente é uma pessoa que deixou o cargo subir a cabeça e esta distante da situação que se vive na sociedade brasileira. Voce barrar uma audiencia porque alguem esta de chinelos, depois encher o saco porque alguem está apoiado na sua mesa para assinar um papel e ainda se recusar a trabalhar porque nao tem assistente qualificado ... é um absurdo !!!

Eu tento nao ser muito negativo, mas nessas horas eu torço para a cidadania sair o quanto antes e eu ir bater papo pessoalmente com os colegas que estao vivendo no velho mundo. As vezes é de se perder a esperança com um pais como o Brasil - o magistrado deveria ter sido exonerado já quando cancelou a sessao por o trabalhador estar usando chinelos.

Um cara com esse comportamento nao pode julgar demandas da sociedade, simplesmente porque ele nao conhece a sociedade.

O cidadao alegar que a falta de um assistente causa depressão, insonia e hipotiroidismo ... voce recebe mais de R$25K - mes em um pais onde o salário medio é de R$1,6K ... voce tem 60 dias de ferias (mais recessos e feriados especiais), onde o pessoal tem 30 dias de ferias ... voce recebe auxilio moradia onde a população tem de pagar o aluguel com seu salário ... voce recebe carro oficial onde o pessoal tem de andar de transporte publico.

E com tudo isso voce nao consegue trabalhar porque nao tem assistente. Esse cara devia ser exonerado !!! 

Desculpe o desabafo e um grande abraço a todos.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Contratação de Estagiário

Olá pessoal - tudo bem ? Como vocês sabem, recentemente eu fui promovido - ganhei uma area que estava sob os cuidados de uma executiva que foi demitida e eu vou acumular as funções. Tudo isso seria muito lindo, se não fosse o fato de que recebi apenas aumento de responsabilidades (agora tenho mais de 80 pessoas respondendo diretamente para mim) e nao ganhei nenhum aumento financeiro.

Mas vamos tocar em frente - em um ano como esse (na verdade em um trienio como esse), só o fato de atravessar a crise empregado, mantendo aportes e crescendo o patrimonio já pode ser motivo de comemoração.

Mas, indo ao que interessa, nesta nova area que está sob a minha responsabilidade, um estagiário havia sido demitido recentemente e tinha uma vaga em aberto. Conversei com o RH para tentarmos aproveitar alguns dos candidatos que passaram pela ultima seleção, pois desta forma, não teria de refazer todo o processo. 

O pessoal do RH me enviou 05 curriculos dos candidatos que mais se destacaram. O perfil solicitado era: 

- cursando graduação em Administração, Ciencias Economicas ou Engenharia.
- Ingles intermediário (somos uma empresa multinacional e mesmo estagiários tem contato com idioma estrangeiro).
- Excell avançado (conhecimento de VBA)
- conhecimentos de finanças básicas (fluxo de caixa, juros compostos, etc...)

Achei que o perfil solicitado era adequado para a função e a forma que eu pretendo desenvolver esse estagiário e logo comecei as entrevistas.

Inicialmente, o RH me enviou 05 candidatos, sendo que o conhecimento de Inglês estava classificado da seguinte forma (pontuação de 0 a 100 - nível intermediário):

Candidato A = 44 / Candidato B = 68 / Candidato C = 61 / Candidato D = 11 / Candidato E = 88

Achei estranho terem enviado dois perfis com conhecimento de Ingles inferior a 50 pontos (teste interno da empresa) para nivel intermediário e a pessoa do RH me falou que decidiu incluir porque essas pessoas se sairam muito bem na dinamica (quem conduziu a dinamica foi a antiga gerente que foi demitida).

Comecei a entrevista e sem mencionar o nome dos candidatos, algumas coisas me chamaram a atenção:

- Havia uma candidata que nao tinha experiência alguma. Eu sei que a vaga é para estágio, mas quem nao começou a trabalhar cedo, tem que tentar suprir isso no curriculo com experiencia diversa como trabalho voluntário, orientação para outros alunos na faculdade (monitoria), participação em grupos de estudo, participação em grupos esportivos ou qualquer coisa que chame a atenção do entrevistador. Durante a conversa, essa candidata nao demonstrou tanto interesse na vaga. Parecia que nao teria a menor diferença se fosse contratada ou não (e nao deveria ter diferença nenhuma mesmo); então no final da entrevista eu perguntei se havia alguma coisa que ela gostaria de comentar sobre ela ou alguma pergunta sobre a vaga que eu havia acabado de descrever em detalhes. Surpreendentemente, ela disse que tinha uma pergunta ... eu até fiquei feliz e disse que ela podia perguntar. Entao veio a seguinte situação:

- Candidata: Voce sabe me dizer qual é o valor do vale refeição ?
- Executivo Pobre: Não tenho certeza, faz tempo que eu nao uso o vale porque almoço aqui na empresa. Mas eu acredito que deve ser próximo de R$35,00 ...
- Candidata: Só isso ? Mas com esse valor eu nao consigo almoçar aqui e jantar na faculdade.
- Executivo Pobre: Acredito que nao consiga mesmo. É que o vale refeição é para cobrir a sua refeição no horário de trabalho. O horario de estudo nao está incluido no vale refeição - acho que voce teria de comprar sua propria comida para as outras refeições.
- Candidata: Mas é muito caro comer na faculdade. Achei que essa empresa oferecia mais beneficios.
- Executivo Pobre: Realmente, a empresa nao oferece muitos beneficios. Mas essa é a vida - as vezes temos de trabalhar. Mas fica tranquila que se aumentarem o valor do vale refeição eu peço para te avisarem.

A menina (apesar da minha ironia) ainda abriu um sorriso e agradeceu. Acho que ela saiu da sala pensando realmente que seria contratada.

Outro caso interessante foi com um candidato que chegou e eu percebi que ele trabalhava como funcionário efetivo em uma empresa. Achei curioso ele estar se candidatando a estagio já que o salário com certeza era inferior. Abordei isso na entrevista e ele me informou que havia começado Faculdade de Engenharia de Produção, mas descobriu que nao era isso que ele queria para vida dele. Então eu decidi perguntar o que ele queria para vida dele e ele falou que era apaixonado por artes e queria fazer cinema !!! Não tive para onde correr e perguntei se ele sabia que não eramos uma produtora de filmes ... ele conformou que sim, mas que estava precisando do estagio para quebrar um galho ate conseguir passar no vestibular para fazer cinema.

Eu perguntei o porque eu deveria investir meu tempo e recursos da empresa na formação dele, já que ele dificilmente atuaria na empresa e a empresa dificilmente iria começar a produzir filmes ou novelas ... ele disse que eu deveria investir nele porque ele era "gente boa" e merecia um "voto de confiança". Eu voltei a questionar e disse que nao era questão de ser gente boa e muito menos de ganhar um voto de confiança, mas era questão do porque eu deveria colocar meu tempo no desenvolvimento dele se ela já havia identificado que o sonho da vida dele era trabalhar com artes, especificamente cinema. A resposta veio certeira: Porque é o sonho da minha vida e voce tem que me ajudar !!! Eu respondi que iria me esforçar muito nas aulas de atuação e quando eu fosse um artista consagrado eu iria atuar de graça no filme que ele fosse produzir, mas por enquanto eu nao teria como ajudar porque eu era muito ruim atuando - nao tenho a menor qualidade artistica.

Os outros dois candidatos tinham perfis bons, mas decidi nao selecionar porque o candidato escolhido me surpreendeu demonstrando interesse e proatividade para conseguir a vaga. Ele estudou o mercado de energia e trouxe diversos questionamentos sobre como funcionava o negócio. Demonstrou uma curiosidade genuína (que é a matéria prima para o aprendizado) sobre o negocio e o ramo de atividade da empresa. Ainda demonstrou preocupação com questões comportamentais e disse nao ter tanta experiencia no mundo corporativo (já faz estágio há um ano e meio em outra empresa), mas tem conhecimento de que o comportamento é muito importante, principalmente na area de Compras onde ele pretende se desenvolver.

Independente da minha escolha, que pode ter sido acertada ou não, já que é muito dificil captar a essencia de um profissional em apenas entrevistas ... me chamou a atenção a respeito da nova geração que esta chegando ao mercado. 

1 - As pessoas estão entrando na faculdade cada vez mais tarde;
2 - Estão começando a obter experiencia profissional cada vez mais tarde;
3 - Acham que sao talentosos e merecedores de reconhecimento mesmo sem ter desenvolvido absolutamente nada profissionalmente.

Eu acredito que esse perfil de jovens é fruto da geração atual de pais que acabam protegendo e mimando bastante os seus filhos. Os pais só elogiam por qualquer coisa que a criança faça e nunca cobram ou criticam pois isso pode traumatizar o jovenzinho. Com isso, eles acabam chegando ao mundo profissional acreditando que sao talentosos sendo que a grande maioria da população mundial, incluindo eu, sao apenas pessoas medianas. O pessoal chega na empresa ja querendo saber quando vai ser promovido, sem nunca ter feito uma negociação de um grampeador (coisa importante no Depto de Compras).

Acho que esse novo perfil de jovens chegando ao mercado de trabalho aliado a falta de trabalhos formais como conhecemos hoje, vai nos levar a uma nova revolução - onde, necessariamente, teremos de nos acostumar a trabalhar em projetos isolados, com cada pessoa sendo responsavel por um pedaço do processo e trabalhando de forma mais isolada (quem sabe, home office).

Acredito que isso possa ser bom e muito produtivo, mas tenho receio pelos jovens pois se decepcionarão bastante ao descobrir que nao sao os "talentos" que seus pais diziam que eram e que nao serão reconhecidos como eram na casa dos pais - bem vindos ao mundo adulto !!!

Um grande abraço,

sexta-feira, 3 de março de 2017

Atualização Patrimonial FEV/17 - R$227.862,57 (+2,57%)

Boa tarde pessoal - tudo bem ? Em primeiro lugar, peço desculpas pelo fechamento bem corrido, mas as coisas estão bem apressadas aqui na empresa. Estou no meio do processo de contratação de um estagiário e de um funcionário efetivo; além de fechamentos de custo e propostas comerciais para novos clientes.

Por esses motivos, eu vou fazer um fechamento bem rápido para nao deixar os colegas do ranking na mão. Eles ja tem o trabalho de compilar diversos dados e nao é justo deixar eles esperando ou não fazer o fechamento conforme o combinado. Então, vamos ao fechamento sem figuras (só valores mesmo) ...

1 - FII:
Aporte: R$0.00 / Total: R$145.267,27 (Valorização Mês 3,22%)

2 - Tesouro Direto:
Aporte: R$1.000,00 / Total: R$72.595,30 (Valorização Mês 1,67%)

3 - Poupança:
Aporte: R$0,00 / Total: R$10.000,00 (Valorização Mês 0,00%)

Patrimonio Total = R$227.862,57

Vamos forte rumo aos R$230K ... a meta ao final do ano está mantida em R$300K. As compras do mes foram todas feitas em NTNB Principal 2024 - sigo reforçando a Renda FIxa até atingir 50% da carteira alocada em RF e 50% alocada em FII.

Um grande abraço,