quarta-feira, 8 de março de 2017

Contratação de Estagiário

Olá pessoal - tudo bem ? Como vocês sabem, recentemente eu fui promovido - ganhei uma area que estava sob os cuidados de uma executiva que foi demitida e eu vou acumular as funções. Tudo isso seria muito lindo, se não fosse o fato de que recebi apenas aumento de responsabilidades (agora tenho mais de 80 pessoas respondendo diretamente para mim) e nao ganhei nenhum aumento financeiro.

Mas vamos tocar em frente - em um ano como esse (na verdade em um trienio como esse), só o fato de atravessar a crise empregado, mantendo aportes e crescendo o patrimonio já pode ser motivo de comemoração.

Mas, indo ao que interessa, nesta nova area que está sob a minha responsabilidade, um estagiário havia sido demitido recentemente e tinha uma vaga em aberto. Conversei com o RH para tentarmos aproveitar alguns dos candidatos que passaram pela ultima seleção, pois desta forma, não teria de refazer todo o processo. 

O pessoal do RH me enviou 05 curriculos dos candidatos que mais se destacaram. O perfil solicitado era: 

- cursando graduação em Administração, Ciencias Economicas ou Engenharia.
- Ingles intermediário (somos uma empresa multinacional e mesmo estagiários tem contato com idioma estrangeiro).
- Excell avançado (conhecimento de VBA)
- conhecimentos de finanças básicas (fluxo de caixa, juros compostos, etc...)

Achei que o perfil solicitado era adequado para a função e a forma que eu pretendo desenvolver esse estagiário e logo comecei as entrevistas.

Inicialmente, o RH me enviou 05 candidatos, sendo que o conhecimento de Inglês estava classificado da seguinte forma (pontuação de 0 a 100 - nível intermediário):

Candidato A = 44 / Candidato B = 68 / Candidato C = 61 / Candidato D = 11 / Candidato E = 88

Achei estranho terem enviado dois perfis com conhecimento de Ingles inferior a 50 pontos (teste interno da empresa) para nivel intermediário e a pessoa do RH me falou que decidiu incluir porque essas pessoas se sairam muito bem na dinamica (quem conduziu a dinamica foi a antiga gerente que foi demitida).

Comecei a entrevista e sem mencionar o nome dos candidatos, algumas coisas me chamaram a atenção:

- Havia uma candidata que nao tinha experiência alguma. Eu sei que a vaga é para estágio, mas quem nao começou a trabalhar cedo, tem que tentar suprir isso no curriculo com experiencia diversa como trabalho voluntário, orientação para outros alunos na faculdade (monitoria), participação em grupos de estudo, participação em grupos esportivos ou qualquer coisa que chame a atenção do entrevistador. Durante a conversa, essa candidata nao demonstrou tanto interesse na vaga. Parecia que nao teria a menor diferença se fosse contratada ou não (e nao deveria ter diferença nenhuma mesmo); então no final da entrevista eu perguntei se havia alguma coisa que ela gostaria de comentar sobre ela ou alguma pergunta sobre a vaga que eu havia acabado de descrever em detalhes. Surpreendentemente, ela disse que tinha uma pergunta ... eu até fiquei feliz e disse que ela podia perguntar. Entao veio a seguinte situação:

- Candidata: Voce sabe me dizer qual é o valor do vale refeição ?
- Executivo Pobre: Não tenho certeza, faz tempo que eu nao uso o vale porque almoço aqui na empresa. Mas eu acredito que deve ser próximo de R$35,00 ...
- Candidata: Só isso ? Mas com esse valor eu nao consigo almoçar aqui e jantar na faculdade.
- Executivo Pobre: Acredito que nao consiga mesmo. É que o vale refeição é para cobrir a sua refeição no horário de trabalho. O horario de estudo nao está incluido no vale refeição - acho que voce teria de comprar sua propria comida para as outras refeições.
- Candidata: Mas é muito caro comer na faculdade. Achei que essa empresa oferecia mais beneficios.
- Executivo Pobre: Realmente, a empresa nao oferece muitos beneficios. Mas essa é a vida - as vezes temos de trabalhar. Mas fica tranquila que se aumentarem o valor do vale refeição eu peço para te avisarem.

A menina (apesar da minha ironia) ainda abriu um sorriso e agradeceu. Acho que ela saiu da sala pensando realmente que seria contratada.

Outro caso interessante foi com um candidato que chegou e eu percebi que ele trabalhava como funcionário efetivo em uma empresa. Achei curioso ele estar se candidatando a estagio já que o salário com certeza era inferior. Abordei isso na entrevista e ele me informou que havia começado Faculdade de Engenharia de Produção, mas descobriu que nao era isso que ele queria para vida dele. Então eu decidi perguntar o que ele queria para vida dele e ele falou que era apaixonado por artes e queria fazer cinema !!! Não tive para onde correr e perguntei se ele sabia que não eramos uma produtora de filmes ... ele conformou que sim, mas que estava precisando do estagio para quebrar um galho ate conseguir passar no vestibular para fazer cinema.

Eu perguntei o porque eu deveria investir meu tempo e recursos da empresa na formação dele, já que ele dificilmente atuaria na empresa e a empresa dificilmente iria começar a produzir filmes ou novelas ... ele disse que eu deveria investir nele porque ele era "gente boa" e merecia um "voto de confiança". Eu voltei a questionar e disse que nao era questão de ser gente boa e muito menos de ganhar um voto de confiança, mas era questão do porque eu deveria colocar meu tempo no desenvolvimento dele se ela já havia identificado que o sonho da vida dele era trabalhar com artes, especificamente cinema. A resposta veio certeira: Porque é o sonho da minha vida e voce tem que me ajudar !!! Eu respondi que iria me esforçar muito nas aulas de atuação e quando eu fosse um artista consagrado eu iria atuar de graça no filme que ele fosse produzir, mas por enquanto eu nao teria como ajudar porque eu era muito ruim atuando - nao tenho a menor qualidade artistica.

Os outros dois candidatos tinham perfis bons, mas decidi nao selecionar porque o candidato escolhido me surpreendeu demonstrando interesse e proatividade para conseguir a vaga. Ele estudou o mercado de energia e trouxe diversos questionamentos sobre como funcionava o negócio. Demonstrou uma curiosidade genuína (que é a matéria prima para o aprendizado) sobre o negocio e o ramo de atividade da empresa. Ainda demonstrou preocupação com questões comportamentais e disse nao ter tanta experiencia no mundo corporativo (já faz estágio há um ano e meio em outra empresa), mas tem conhecimento de que o comportamento é muito importante, principalmente na area de Compras onde ele pretende se desenvolver.

Independente da minha escolha, que pode ter sido acertada ou não, já que é muito dificil captar a essencia de um profissional em apenas entrevistas ... me chamou a atenção a respeito da nova geração que esta chegando ao mercado. 

1 - As pessoas estão entrando na faculdade cada vez mais tarde;
2 - Estão começando a obter experiencia profissional cada vez mais tarde;
3 - Acham que sao talentosos e merecedores de reconhecimento mesmo sem ter desenvolvido absolutamente nada profissionalmente.

Eu acredito que esse perfil de jovens é fruto da geração atual de pais que acabam protegendo e mimando bastante os seus filhos. Os pais só elogiam por qualquer coisa que a criança faça e nunca cobram ou criticam pois isso pode traumatizar o jovenzinho. Com isso, eles acabam chegando ao mundo profissional acreditando que sao talentosos sendo que a grande maioria da população mundial, incluindo eu, sao apenas pessoas medianas. O pessoal chega na empresa ja querendo saber quando vai ser promovido, sem nunca ter feito uma negociação de um grampeador (coisa importante no Depto de Compras).

Acho que esse novo perfil de jovens chegando ao mercado de trabalho aliado a falta de trabalhos formais como conhecemos hoje, vai nos levar a uma nova revolução - onde, necessariamente, teremos de nos acostumar a trabalhar em projetos isolados, com cada pessoa sendo responsavel por um pedaço do processo e trabalhando de forma mais isolada (quem sabe, home office).

Acredito que isso possa ser bom e muito produtivo, mas tenho receio pelos jovens pois se decepcionarão bastante ao descobrir que nao sao os "talentos" que seus pais diziam que eram e que nao serão reconhecidos como eram na casa dos pais - bem vindos ao mundo adulto !!!

Um grande abraço,

86 comentários:

  1. Muito bom seu post!! Ano passado eu entrevistei um rapaz que durante toda entrevista, ele só falou mal do seu antigo emprego, que ele ganhava mal, não recebia hora extra, trabalhava todos os finais de semana, e que por ciúmes do chefe (não me lembro bem) ele foi demitido kkkk é cada um que me aparece! Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - existe algumas regras de boa conduta que devem ser respeitadas. Os problemas que o rapaz teve com a antiga empresa ele deve resolver na Justiça, se necessário.

      O maior problema do entrevistado ficar falando mal da antiga empresa durante a entrevista, é que o candidato deixa de falar sobre ele mesmo e sua experiência. A pessoa perde a oportunidade de mostrar as qualificações em troca de fazer um desabafo.

      Um grande abraço,

      Excluir
  2. Respostas
    1. Ola ST - muito obrigado pela sua visita.

      Um grande abraço,

      Excluir
  3. Executivo você é sarcástico como entrevistador.
    Esse é um tema complexo. Acho que alguns cadidatos à vaga que sua empresa oferecia foram até sinceros em falar os morivos que os levaram a decidir concorrer pelas vagas, sei que apenas sinceridade não é suficiente, mas adiantaria algum deles falar que era o sonho de uma vida trabalhar alí sendo que não é verdade.
    Aliás pra que serve uma entrevista de emrego onde o entrevistado mente?
    Quando tinha uns 20 anos perdí uma oportunidade de empregopor não responder a resposta que a entrevistadora queria ouvir. O entrevistdor que ouvir certezas e seguranças, coisa que os mais jovens na maioria das vezes não tem sobre suas vocações ou escolhas profissionais.
    Aliás tem muita gente com 30, 40, 50 anos se questionando sobre o que fazer davida ou mesmo se fizeram as escolhas certas.
    Com relação aos jovens da atual geração. Os jovens de hoje em sua maioria são muito conectados a internet, mas paradoxalmente muitos tem uma certa dificuldade nos problemas da vida real ou mesmo dificuldade em se esperessar frente as outras pessoas, numa outra ponta tem muitos jovens que se acham fodôes, dono da razão etc
    Falta um pouco mais de pé no chão. Mas a midia e a forma de comunicação atual em parte induz a isso. Os pais tem sua parcela de responsabilidade, mas hoje os arranjos familiares são diferentes e isso também tem seu peso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *esperessar = expressar. Tive dificuldade de me expressar, escrever uma coisa pensando em outra dá nisso.

      Excluir
    2. Ola anon 15:38 - eu posso ter passado a impressão de sarcasmo no texto, mas nao foi minha intenção e procuro sempre respeitar os candidatos. Mas nao posso passar a mao na cabeça deles. Eu apoio totalmente o candidato falar a verdade no processo de seleção, mas esse nao é meu ponto na discussão: a questão é o que um cara que quer trabalhar com cinema (e acho otimo que ele descobriu o que quer fazer da vida) vem fazer em uma entrevista para estagio em Compras ...

      O entrevistador nao precisa de ter certezas e seguranças, ate porque se o candidato for ruim, basta nao efetivar após o programa de estágio. Mas essa nao é minha intenção: eu vou dedicar meu tempo e tentar desenvolver os estagiários. Tenho muito orgulho de ter uma das maiores taxas de aproveitamento de estagiários dentro da empresa. Quando eles sao contratados por outra area, o pessoal sempre elogia que eles esperavam alguem com um perfil e chega um profissional muito mais preparado.

      Obvio que isso também é importante para minha imagem como lider - eu aproximo as pessoas e formo uma visao geral de que sou bom em desenvolver talentos e isso requer esforço. Se eu vou me esforçar para desenvolver o camarada, eu preciso que ele ao menos tenha o compromisso de se esforçar para absorver o que vou tentar passar de experiencia.

      Agora, se o camarada me diz que esta muito interessado em uma coisa totalmente diversa do que é a proposta da empresa, por mais verdadeiro que seja, nao vai funcionar. Novamente, o erro nao é falar a verdade, o erro é querer trabalhar com cinema e procurar vaga em uma industria.

      Um grande abraço,

      Excluir
    3. Nao se preocupe com os erros de digitação, deu para entneder perfeitamento o seu argumento e o seu texto.

      Um grande abraço,

      Excluir
  4. Muito bom o post, você deve ser muito fd* como entrevistador kkkkkkkk...

    abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola VC1KK - acho que nao sou muito bom entrevistando. Claro que com o tempo desenvolvemos algumas tecnicas; mas eu tive um chefe que era muito bom. Quando eu era estagiário, ele me levava para ficar de ouvinte enquanto ele entrevistava os candidatos e depois repassava a entrevista comigo, explicando porque perguntou isso ou aquilo e analisando as respostas dos candidatos. Essa experiencia me ajudou muito.

      Mas, basicamente, eu procuro fazer uma breve introdução da empresa, seguido por uma descrição detalhada da vaga e das atividades. Depois, eu peço ao candidato para falar sobre ele (deixo eles falarem livremente) ... e abordo algum ponto que eu verifiquei no CV e que acho importante.

      Enquanto eles falam livremente, voce consegue captar como eles correlacionam ideias, como vendem suas habilidades, como relacionam suas experiencias para gerar valor para empresa, se sao detalhistas ou mais genericos, e principalmente, se conseguem angariar a simpatia em um ambiente novo para eles.

      Um grande abraço,

      Excluir
  5. EP, obrigado pelo seu post!

    Conheci a pouco os blogs, e o seu me parece, pelo que li nesse post, que vai ser um doa que vou acompanhar!

    Estou passando por um momento de procura de emprego, e, lendo seu post, parece até brincadeira !!!
    Esses moleques devem ser sem noção nenhuma, não é possível!

    Eu acredito que eu passaria na entrevista com você ( apesar de não ter as habilidades exigidas para a vaga, infelizmente.... :( ), digo que passaria por causa do quesito VONTADE, humildade para aprender e perspectiva de crescimento! E sei me vender, nunca mentindo é claro....

    abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Viver Livre - que bom que gostou da postagem.

      Em primeiro lugar, desejo boa sorte na sua procura por emprego. Essa fase sempre é um pouco desgastante; mas o principal voce colocou no seu proprio comentário - VONTADE. A humildade para aprender e para lidar com os pares é fundamental ... quanto a questao da mentira, existe alguns casos que o camarada passa e vai tocando a vida, mas o risco de ser pego é alto e isso pode comprometer a carreira da pessoa - eu acho que realmente nao vale a pena.

      Um grande abraço,

      Excluir
  6. Teve um texto há uns meses na folha, "geração mimmadium". Vale a pena procurar e ler, toca no assunto desses jovens atuais.

    Acho impressionante esse discurso do cara do cinema e da menina do vale transporte. Nenhuma pessoa mais escolada em mercado de trabalho, ou mesmo em lidar com pessoas ao vivo (e não por Facebook e Instagram) tem o comportamento deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Daniel - obrigado pelo comentario. Eu me impressionei exatamente por fazerem os comentarios e se comportarem como se isso fosse a coisa mais normal do mundo. Quando eu mencionei que a vaga era para estagio e a pessoa nao precisa ter experiencia profissional, nao quer dizer que nao precisa ter experiencia de se relacionar com outras pessoas, de conhecer o mundo onde vive, a realidade do mercado de trabalho, etc...

      Também acredito que falta mais interação pessoal as novas gerações.

      Um grande abraço,

      Excluir
  7. Queria um estagio na área de comercialização de energia =( Faço eng elétrica. Tenho um colega de faculdade que faz estágio na area e ele disse que as pessoas só entram com indicação de pessoas dentro da empresa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - a maioria das oportunidades em qualquer area sao preenchidas via indicação. Poucas vagas sao abertas para concorrencia externa.

      Para quem tem interesse nas vagas tem que achar diferencial para usar na entrevista ... talvez alguma iniciação cientifica usando como tema a energia ou algo que voce possa usar em uma entrevista.

      Um grande abraço,

      Excluir
  8. Fala E.P, além disso tudo, a garotada tá acostumada ter tudo na mão, reclamam do salário, VR, beneficios, achando que vão começar em um emoprego ganhando 10K, pois até então os gastos que eles tem são enormes e geralmente bancados pelos pais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola SP - eu tambem vejo muito isso. O pessoal acaba de ingressar no mundo corporativo e se acha merecedor de alto salario, beneficios, etc... Só que nao tem nenhum resultado para entregar. É o jogador de futebol da base que nunca fez um gol pelo profissional e acha que tem que ganhar R$300K.

      Um grande abraço,

      Excluir
  9. Eu realmente não tenho o dom pra fazer entrevistas... que tipos de coisas vc pergunta pra eles? Atuo na área de construção civil pesada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - eu costumo falar um pouco no inicio para poder deixar o candidato mais relaxado, já que nos primeiros minutos a pessoa tende a estar ainda nervosa e preocupada. Então, eu falo um pouco da empresa, falo da vaga e das atividades comuns do dia a dia, falo de algum projeto da empresa que já tenha sido divulgado na midia, esse tipo de coisa ... Depois disso, eu normalmente peço para a pessoa falar um pouco dela e inicio com a parte da formação como uma especie de quebra-gelo ... Então, voce está cursando xxxxx ou Então, voce se formou em XXXXX ou está estudando na escola XXXX ... apenas para a pessoa iniciar falando de algo que ela esta familiarizada e se sinta confortável.

      A partir dai, dependo do perfil da pessoa. Se é um candidato mais extrovertido, ele mesmo vai falando das experiencias, dos resultados obtidos, das qualificações e de como ele acredita que pode aplicar isso na vaga ofertada. Se é uma pessoa mais introvertida, eu tenho de "puxar" o assunto perguntando sobre as experiencias e tudo o mais.

      Em geral, o candidato é que dita o ritmo da entrevista.

      Um grande abraço,

      Excluir
  10. Poxa executivo, deu até vontade se der entrevistado por você e ensinar essa piazada como se portar!

    Mas esse é o mercado que temos, diversidade em todos os sentidos. Tem que peneirar bem!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Mestre - seria uma honra ter um candidato como voce. Infelizmente, o pessoal que chega é normalmente muito despreparado. É interessante observar com jovens de outros paises, eles chegam muito mais preparados ao mundo corporativo ... se envolvem com muitas atividades na adolescencia e na faculdade. Participam de quase tudo que enxergam valor - até mesmo porque para ser admitido em uma faculdade, ele vai ter de submeter uma carta (praticamente um CV) explicando porque ele seria um bom candidato para a faculdade. E se ele nao tem nada a oferecer, a faculdade escolhe outro candidato.

      Logo, entrar na faculdade é quase como conseguir o primeiro trabalho (ou pode ser até mais dificil). Isso ja prepara muito os jovens para o mundo corporativo.

      Um grande abraço,

      Excluir
  11. EP, este tipo de pessoa está em todos os lugares. Ainda é fácil se destacar no Brasil e no mundo. Basta um pouco de vontade e dedicação (mesmo sendo uma pessoa mediana).

    Espero que tenha feito a escolha certa. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sequoia - voce esta coberto de razao. No Brasil e na maior parte do mundo, não é necessário grandes habilidades para se destacar. Basta voce superar a media que realmente é muito baixa.

      Eu acabo nao me preocupando se escolhi a pessoa certa ou nao... essa preocupação eu tinha no momento da seleção. Eu escolhi o que me parecia mais apto e disposto a se desenvolver; mas posso ter errado totalmente.

      Se isso acontecer, eu volto ao processo e tento procurar por detalhes (comentários, informações, etc...) que o candidato passou e eu talvez deixei passar despercebido. A ideia é evoluir no processo e nao cometer as mesmas falhas em um processo futuro.

      Um grande abraço,

      Excluir
  12. Fala, EP!
    Esses novos estagiários tem q sofrer um pouquinho para se adequarem a realidade da vida.
    Abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Guardião - eu também concordo com voce. Acho que a base do estagio é desenvolver o profissional; mas expor o mesmo a frustrações e decepções corporativas faz parte do desenvolvimento.

      Na minha epoca de estagio, eu sofri bastante mas também aprendi muito. Essa é a troca - o que nao vale é submeter o estagiário a brincadeiras e atividades para ele "sofrer" e nao procurar desenvolver o potencial da pessoa.

      Um grande abraço,

      Excluir
  13. Trabalho em emoresa publica e realmente "fico de cara" com esse tipo de coisa.
    O despreparo "basico" da pessoa ultrapassa o limite do aceitavel....
    Uma hora comento mais coisa sobre o assunto...
    Abraco
    Ps: ganho 15k bruto na empresa publica e quero partir ora empresa privada. Me contrata? (!!!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola IM - realmente o despreparo é grande para a maior parte da população. Eu sei que nem todos tem as mesmas oportunidades, mas nesse caso, estavamos falando de candidatos que tinham acesso a universidade e boas condições familiares.

      Eu adoraria te contratar, mas seu salário está acima do budget para minha vaga de estágio (rsrsrs). Posso oferecer bolsa-estágio de R$2.800,00 e Vale Alimentação de R$32,00 - dia (descobri esse valor depois que a candidata me perguntou...rsrsrs).

      Vamos aguardar uma vaga de gerente, ai poderemos fazer uma oferta para voce !!!

      Um grande abraço,

      Excluir
  14. "Eu sei que a vaga é para estágio, mas quem nao começou a trabalhar cedo, tem que tentar suprir isso no curriculo com experiencia diversa como trabalho voluntário, orientação para outros alunos na faculdade (monitoria), participação em grupos de estudo, participação em grupos esportivos ou qualquer coisa que chame a atenção do entrevistador."

    Eu morro de rir dessas coisas, vaga para ESTÁGIO, ele diz que sabe que é para
    E-S-T-Á-G-I-O, mas, cobra experiência dos outros.

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é um tema complicado. Em essência ele está certo, o candidato tem que demonstrar interesse na vaga. Como? Se mostrando uma pessoa interessante e interessada que faz o que pode.

      Por outro lado é repugnante como esse tipo de coisa é explorada pelas empresas, principalmente profissionais de RH. Até parece que vão pegar o cara que doa um pacote de ração de cachorro por mês (com o dinheiro dos pais) pra uma ONG fajuta, joga volley de vez em quando e participou do clube de xadrez na sexta série.

      Tem coisas que simplesmente não fazem sentido profissionalmente dependendo da área e arrumar um emprego, ou mesmo um mínimo de vivência profissional quando não se tem preparo é muito difícil.

      Nossa sociedade simplesmente não comporta uma maioria vencedora e isso não está em livro nenhum de gestão de pessoas, porque de modo oposto se você fala na entrevista que simplesmente não conseguiu nada até ali já está fora.

      Vai uma dica aos pais e futuros pais no meu próximo post.

      Excluir
    2. Ola anon 21:13 - eu li o seu comentário para tentar entender qual era o argumento. Estou deduzindo que voce quis dizer que apesar de saber que a vaga era de estagio, eu estava cobrando muita experiencia.

      Se voce olhar no texto vai ver que eu nao cobrei experiencia profissional, pois isso nao faz sentido mesmo para uma vaga de estagio. A responsabilidade de desenvolver o estagiário é minha. Mas eu cobro sim experiencia de vida ... participar de atividades extras que tornem voce um candidato atraente nao é exigir experiencia.

      Esse é o grande problema. A pessoa achar que por estar estudando ela merece uma chance. A recompensa pelo estudo é o conhecimento. Se a pessoa quer estagiar e ser remunerada para isso, ela tem de agregar algo para a empresa. Ainda que esse algo seja a vontade e disponibilidade para aprender e, com isso, reduzir o tempo necessário de investimento na capacitação dela.

      Se a pessoa nao for atras de procurar um diferencial e ficar com a eterna desculpa de ... "como posso ter experiencia se ninguem me contrata" ... vai continuar sem ser contratado. Voce nao contrata um estagiário pela experiencia profissional, mas voce contrata pela experiencia pessoal - imagina um candidato a estagio que nao tem experiencia profissional e voce pede para ele falar um pouco sobre ele e como pode adicionar valor para a empresa ...

      O cara vai te responder o que se ele nunca participou de nada ... nao vai ter resposta e nao vai conseguir manter a entrevista.

      Nao sei se consegui deixar meu ponto claro, mas acho fundamental o candidato tentar se diferenciar dos demais com os recursos que tem a mao.

      Um grande abraço,

      Excluir
    3. Ola CF - eu concordo com voce que temos práticas de RH muito perversas e eu mesmo citei como foi o processo de entrevista que passei nos ultimos meses, mostrando inclusive praticas ilegais como ofertar uma vaga falsa para tentar vender consultoria.

      Eu concordo totalmente com voce que o candidato tem que se mostrar interessante ou mostrar interesse para a vaga. Isso é muito comum em diversos paises do mundo onde se começa a trabalhar mais tarde. Como a pessoa nao tem experiencia profissional, ela busca se capacitar e desenvolver atividades extras que poderão chamar a atenção de futuros recrutadores.

      Somente um ponto no seu comentário que eu gostaria de destacar:

      "Por outro lado é repugnante como esse tipo de coisa é explorada pelas empresas, principalmente profissionais de RH. Até parece que vão pegar o cara que doa um pacote de ração de cachorro por mês (com o dinheiro dos pais) pra uma ONG fajuta, joga volley de vez em quando e participou do clube de xadrez na sexta série.
      Tem coisas que simplesmente não fazem sentido profissionalmente dependendo da área e arrumar um emprego, ou mesmo um mínimo de vivência profissional quando não se tem preparo é muito difícil."

      Nesses casos citados por voce, eu nao contrataria a pessoa por alguns motivos:

      1) Doar ração em uma ONG nao é fazer trabalho voluntário. Indo para uma comparação muito mal feita - é a mesma coisa que eu doar dinheiro no medicos sem fronteiras e dizer que faço trabalho voluntário. Doação nao é a mesma coisa de trabalhar. Quando eu cito trabalho voluntário em ONG é porque elas sao instituições que sempre precisam de apoio e dificilmente recusam mao de obra. O candidato pode ajudar na parte administrativa e na parte operacional, agregando mais experiencia de vida. Se esse mesmo candidato me falar que ajudava a organizar feiras de adoção de caes, por exemplo ... seria muito mais atraente.

      Mesmo caso do cara que joga volley ... se ele joga uma vez ou outra nao é um diferencial. è igual o cara que joga futebol de final de semana (nem os medicos aceitam como atividade fisica regular...rsrsrs). Agora o cara que jogava volley com destaque (o mesmo se aplica para o jogador de xadrez), participando de clubes e até seleções de base pode salientar que sabe trabalhar em equipe, pode salientar a disciplina na preparação e treinamento para campeonatos, pode salientar o foco em resultados e a concentração que o esporte exige ... se ele for um bom argumentador, ele consegue ficar 30 minutos reforçando a mensagem de porque ele seria um candidato interessante para empresa.

      Mas, novamente, eu concordo que os profissionais de RH dificilmente conseguem capturar a essencia e separar o joio do trigo.

      Um grande abraço,

      Excluir
    4. Concordo com todos.

      1° Ele está certo, já vi cobrarem experiência para estágio.

      2° Você esclareceu seu ponto de vista e também achei perfeitamente válido, se tornar atraente para a vaga é quase uma obrigação, contudo não creio que as atividades mencionadas necessariamente tenham algo a ver com a vaga.

      3° CF falou exatamente o que penso

      Excluir
    5. Morenão - apenas para esclarecer que em relação ao ponto 2, o objetivo das atividades nao é ter atividades relacionadas a vaga, já que se o candidato nao tem experiencia ele nao conseguirá ter uma relação de habilidades relacionadas a vaga. O objetivo é o candidato demonstrar que tem exposição a situações que desenvolveram habilidades que vao facilitar o aprendizado dele e o difere dos demais candidatos.

      Mas eu também concordo com o CF.

      Um grande abraço,

      Excluir
    6. Será que se o cara participa de um guilda de DOTA regularmente, ele também teria chance para ser contratado, já que é "interessado"?

      Excluir
    7. Ola anon ... tive de entrar na internet para descobrir o que é uma guilda de DOTA. A resposta é que se o camarada é fã de DOTA e traz isso para entrevista, as chances de contratação diminuem em 12% a cada palavra dita sobre o assunto ... rsrsrsrs

      Um grande abraço,

      Excluir
  15. A vida ensina, EP, a vida sempre ensina!
    Uma hora ou outra eles descobrem que não são tão especiais quanto pensam que são - e infelizmente eu mesmo tive que descobrir isso às duras penas. Não que eu não esteja satisfeito e feliz com o que eu tenho e sou, mas é decepcionante "cair no mundo" , após anos de estudos e investimentos em educação, e descobrir que o caminho que você pavimentou até então não é nem o começo. Com certeza não é o sonho que vendem nas escolas e nas faculdades...

    Tenho um emprego que considero bom e hoje não pretendo subir mais degraus na hierarquia, mas lembro quase que com pena dos sonhos da juventude, quando o topo não era só um objetivo, mas um direito líquido e certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - que bom que voce conseguiu descobrir a realidade do mundo corporativo antes de ser tarde demais. Mais perigoso ainda é quando o camarada consegue um relativo sucesso no inicio da carreira e ai reforça a ideia de que ele realmente é especial. Salvando raras exceções, o profissional se torna arrogante e totalmente alienado do mundo que o cerca.

      Um grande abraço,

      Excluir
  16. Fala EP,

    É esta a chamada geração Y né? Jovens que acham que vão mudar o mundo, chegam nas empresas e não aceitam os conselhos dos mais velhos (hoje eu sou mais velho rs).

    Lembro de algumas cenas lamentáveis também: Uma vez entrevistei uma estagiária, eu havia comentado que a vaga era pra pessoas proativas, de TI, que fossem centradas, focadas, e a menina me diz que não consegue ficar quieta, que tem que conversar o dia todo e bla bla bla.

    Ah nem viu? Nem pra se preparar pra entrevista. Parece que foi pra uma festa, roupa de festa, brilhante rs.

    É cada uma.

    Muito legal suas historias. Sucesso ai na coordenação de tanta gente, é uma honra pra gente aprender um pouco contigo.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola VDC - a preparação para entrevista é quase inexistente entre os pessoas da nova geração. No caso da candidata que voce entrevistou, se ela estivesse prestando atenção ao que voce fala e fosse capaz de conectar ideias, teria percebido que nao é boa ideia dizer que nao consegue ficar quieto quando o entrevistador acabou de dizer que a vaga exige atenção e foco.

      Quanto a coordenação de tanta gente, o grande desafio é nao deixar a agenda de engolir. Precisa ter o tempo sagrado de socializar com os pares, superiores e subordinados; e mais ainda, precisa ter o tempo para desenvolver as pessoas.

      Se voce assume uma area e as pessoas notam a mudança no comportamento e na entrega de resultados do time, ai sua imagem sai muito fortalecida.

      Um grande abraço,

      Excluir
  17. Acho que esse pessoal não vai se dar bem em home-office porque isso exige ser bastante independente, e eles confundem independência com ser protegido pelos pais e sociedade até uma idade absurda. São adultos que agem como criança.

    As pessoas não vêem aprendizado como pagamento mais, fruto também da absurda lei do estágio que obriga as empresas a pagarem em dinheiro - isso diminuiu absurdamente o número de estágios curtos e a experiência que isso entregava ao mercado.

    Eu fiz estágios de graça, e aliás me matei pra conseguir as vagas e continuar na empresa, esperando ser efetivado.

    No meu primeiro emprego com carteira, a primeira coisa que meu patrão falou foi: "você devia pagar pra estar aqui aprendendo". Dadas as minhas condições e ao que aprendi lá na época ele estava mais do que correto.

    Quando jovem e inexperiente, a gente não pode confundir as injustiças comuns da vida, como perder uma vaga pra um babaca, com achar que nosso trabalho vale muita coisa.

    Sobre o departamento de RH, acho que é consenso que a maioria dos profissionais que atuam na área não tem a mínima percepção de que os candidatos tem que entregar VALOR pra empresa. Isso não tem nada a ver com um monte de ferramentas e dinâmicas ineficientes que eles utilizam. Muitos são psicólogos que já leram (resumos) durante a formação tudo que é autor russo e francês que fala sobre o sexo com árvores na pós-modernidade e nada sobre o conhecimento de trincheira dos negócios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola CF - o home office infelizmente nao pode ser opção para a maioria das pessoas. O profissional tem de ser muito disciplinado para manter produtividade em um ambiente que é tentador para procrastinação.

      Os estagios de antigamente eram muito legais - raramente voce via alguem que estava na faculdade e nao estava já estagiando ou trabalhando. Tirando os efeitos da crise que diminuiu o numero de vagas, eu vejo muitos pais querendo proteger os filhos.

      Tem uma parente da minha esposa que ganha muito bem (ela e o marido sao funcionários publicos) e eles tem uma filha que tem a minha idade. Ela simplesmente nunca trabalhou na vida (nem trabalho voluntário) e vive de fazer intercambio para aprendizado de idiomas (o que é muito bom) mas nao tem a menor noção do mundo corporativo (o que é muito ruim).

      Eu nao consigo entender uma pessoa com mais de 30 anos, sem nunca ter trabalhado na vida. Independente da condição social, eu acredito que trabalhar é importante para o desenvolvimento como ser humano.

      Um grande abraço,

      Excluir
  18. Estagiário com Excel Avançado, nível VBA meio difícil não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - eu também achei que os requisitos estavam meio puxados; mas sabe que me surpreendi. O Excell foi o menor dos problemas e a maioria dos candidatos tinham essa qualificação. O maior problema foi em relação a noções de finanças (lembrando que eram alunos de faculdade de administração e engenharia) e, obviamente, o idioma.

      Um grande abraço,

      Excluir
  19. Já ouviu falar dos jovens "NEM NEM" ? Nem trabalham, nem estudam. Essa é uma das contradições da nossa sociedade. Ela estimula as pessoas a terem filhos, mas após os divórcios, nenhum dos pais quer tomar conta do "aborrecente".

    O resultado são os monstrinhos que ficam o dia inteiro no facebook e no youtube consumindo lixo, idolatrando Pobretão criminoso, acreditando na "REAL". Estes são o futuro da humanidade....Estamos mal.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - tem uma pessoa que conheço que se enquadra exatamente nesse perfil. Nao trabalha e nao estuda, pessoa com mais de trinta anos. E os pais nao sao divorciados; muito pelo contrario.

      Acho que a nova geração de pais vem "mimando" um pouco os filhos e tentando proteger de decepções. Com isso eles acreditam ser especiais e depois fica dificil se "sujeitar" a trabalhar por R$8K, como eu ja ouvi dessa pessoa que mencionei no inicio do comentario.

      Acho que excesso de interação virtual é muito prejudicial ... nao tenha nada contra o Pobretão, nem contra a Real ... mas acho que todo extremismo tende a burrice. Acredito que o ponto ótimo costuma estar no meio das coisas.

      Um grande abraço,

      Excluir
  20. Rapaz, é um pouco estranho ficar feliz por ter mais responsabilidades e continuar recebendo o mesmo salário... O certo é trabalhar mais e ganhar mais. Parece aquele investidor que ama as quedas das cotações.

    Em relação ao mundo corporativo, eu só quero os dividendos. rsss Com 800k já penso em me aposentar

    Plano
    200k -- fiis = 2k por mÊs
    100k ----lci = 1k por mês
    500k em ações pra venda coberta e dividendos =10k por mÊs (2%a.m.)*
    ---------------------------------------------------------
    Total 13k por mês
    gastos mensais 6k

    Sobra para reinvestimento 7k


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - eu acho seu plano um pouco arrojado, mas muito interessante. Acho dificil voce manter retiradas constantes de !% ao mes em FII e LCI. Com o cenário de queda de juros estes rendimentos tendem a ser menores. Nao conheço estrategias de venda coberta, entao nao sei quanto é possivel obter de rendimento no mes - mas o plano é interessante e volta a base de acumular capital e viver de rendimentos.

      Isso é o basico ... ou voce vende capital ou vende mao de obra ... nao há nada além disso para ser oferecido. Então, como vender mao de obra cansa muito...rsrsrs... eu também vou tentar acumular capital e viver da renda dos meus investimentos.

      Apenas um ponto para ressaltar no seu comentário abaixo:

      "Rapaz, é um pouco estranho ficar feliz por ter mais responsabilidades e continuar recebendo o mesmo salário... O certo é trabalhar mais e ganhar mais. Parece aquele investidor que ama as quedas das cotações."

      Da uma verifica lá no texto e perceba que nao disse que estou feliz de ter mais responsabilidades e o mesmo salário. Pelo contrario, isso foi uma das minhas reclamações.

      Eu fiquei feliz por atravessar um momento de crise empregado, mantendo aportes e aumentando patrimonio. Percebe a diferença entre estes dois pontos de vista ... eu nao estou feliz com o que conquistei, mas sou grato pelo que conquistei.

      Um grande abraço,

      Excluir
    2. Ah, sim, agora captei.


      Sobre a Venda Coberta, eu também tinha medo, mas depois de ler 2 livros do Bastter e alguns trabalhos acadêmicos sobre isso. Comecei a experimentar com pequenos valores e estou gostando muito. A ideia é ganhar mesmo que a Bolsa caia.

      Na soma dos 2% entram os dividendos. Empresas como Itaú, BB, Bradesco e Vale oferecem boas chances na VC e ainda pagam uns dividendos legais.

      Abs.

      Excluir
    3. Muito interessante anon. Vou procurar me informar um pouco mais sobre a questao da venda coberta. Apesar que, atualmente, eu nao vejo a bolsa brasileira como atrativa. Nao falo pelo momento economico ou nivel de cotação, mas sim pela quantidade de empresas e o mercado brasileiro. Acho que temos oportunidades interessantes (porém mais especulativas do que fundamentalistas); mas prefiro aproveitar juros e alugueis e, no futuro, iniciar carteira de ações fora do Brasil.

      na verdade, estou montando a reserva em moeda estrangeira exatamente para obter renda em moeda forte.

      Um grande abraço,

      Excluir
    4. 2% ao mês é simplesmente impossível.
      Nem vou me alongar mais.

      Excluir
    5. Anon 16:31 - também acho uma meta muito agressiva. Infelizmnete, as grandes pagadoras de dividendos no Brasil estão cada vez mais raras ... a estrategia de venda coberta eu nao tenho conhecimentos para dizer se é possivel ou não; mas me parece que se existisse uma forma de obter este tipo de rendimento de forma consistente, todos os gestores fariam e os fundos brasileiros iriam render ao menos 24% ao ano - o que sabemos nao ser verdade.

      Por estes motivos, concordo com voce e acho a meta bem agressiva.

      Um grande abraço,

      Excluir
  21. EP,

    Parabéns pelo post, muito interessante mesmo!

    É complicado, a mão de obra na Banânia é horrível, vou repetir, HORRÍVEL! "Profissionais" totalmente despreparados, principalmente esse pessoal mais novo. Arrisco dizer, sem medo de errar, que nunca tivemos uma geração de jovens tão chatos, fúteis e mimados como a atual!

    Na minha empresa mesmo tive problema com uma ex-estagiária folgada. Sabe essas típicas vadiazinhas esquerdistas? Então, ela era desse tipo... Como não fui eu que entrevistei a infeliz, tive que lidar um tempo com ela, porém, após ser desafiado pela mesma um dia, mandei ela para o olho da rua!

    E assim como essa existem várias e várias outras. A grande verdade é que para empreender no Bananil, é preciso ser um herói!

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou aproveitas o comentário do IL para falar sobre dois pontos que dariam dois posts:
      A nova geração e Empreender no Brasil.

      Sobre a nova geração: Essa conversa que no passado as coisas eram melhores é um discurso que sempre existiu, quando eu era criança/adolescente ouvia as mesmas coisas dos mais velhos e esses mais velhos devem ter ouvido coisas semelhantes da geração anterior e por sí vai.
      É fato que os arranjos familiares e o acesso a informação mudou brutalmente nas últimas décadas, a internet mais especificamente se viralizou e faz parte da vida da mioria das pessoas especialmente de quem tem até 20 e poucos anos.
      O problema é que a maioria dos usuários usa a internet apenas para futilidades.

      Sobre empreender no Brasil: Empreender é uma das maneiras de tentar ascender social/profissional/pessoal/financeiramente, não é a única maneira, mas quendo é bem sucedida costuma ser das melhores.
      Se ser funcionário público para alguns não é uma escolha digna, fora a concorrência acachapante para alguns cargos e se a iniciativa privada não é das mais salubres porque não tentat o empreendedorismo?
      Fácil não deve ser, mas tem muita gente com formação básica que se deu bem empreendendo, acho que entre outras coisas vai da sensibilidade de cada um.
      Lidar com mão de obra não deve ser fácil mesmo.
      Outro ponto bom de empreender é não ter que passar por entrevistas de RH e suas dinâmicas ridículas.

      Excluir
    2. Ola IL - realmente a produtividade é um tema muito complicado. Estamos longe de sermos eficientes em nossas atividades e isso aumenta muito o custo das coisas no Brasil.

      Eu nao sei se eu que estou ficando mais velho, mas concordo com voce sobre a geração atual. Eu acredito que a forma como os pais dos anos 80 começaram a proteger os filhos acabou criando uma especie de efeito "bolha", onde os jovens perderam um pouco o contato com a realidade.

      Espero que a crise economica que estamos atravessando comece a trazer o pessoal mais proximo para a realidade.

      Um grande abraço

      Excluir
    3. Ola anon - muito boa suas sugestões de post. Os dois temas sao muito interessantes - a nova geração merece um estudo a parte...rsrsrs. E a questao de empreendedorismo no Brasil é muito atraente; eu tenho muita vontade de empreender e tenho algumas ideias que julgo interessantes, mas ao mesmo tempo tenho um enorme receio de enfrentar os riscos do ambiente de negocios brasileiros.

      Um grande abraço,

      Excluir
  22. Ola EP, teve um tempo atras que vc estava tentando tirar a cidadania portuguesa e aí conseguiu? Se puder me add

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Socio - o processo esta finalmente na Torre do Tombo, em Portugal. Eu tive dificuldades com a certidao de nascimento do meu bisavo - ele nasceu em 1905 quando nao era obrigatorio registro de nascimento e, pelo fato de ele nao ser catolico, nao teve registro de batismo na igreja.

      Isso causou um atraso enorme e uma burocracia gigantesca para comprovar que ele realmente existiu e foi um cidadao portugues; mas essa semana eu recebi um comunicado da advogada em Portugal com a solicitação da Conservatoria para lavrar o registro de nascimento dele.

      Com isso, o processo de nacionalidade será finalmente deferido e minha avó passa a ser portuguesa. Passando entao o mesmo processo para meu pai e finalmente para mim.

      Ja esta adicionado - um grande abraço,

      Excluir
    2. Boa sorte, tenho certeza que tudo vai dar certo!

      Excluir
    3. Investidor Socio - voce trouxe muita sorte para mim nesse processo de cidadania. Acabei de receber o email da advogada dizendo que o registro do meu bisavo já está feito e foi averbado no processo de cidadania da minha avó, que será concluida ainda neste mês.

      Poxa, comente sempre por aqui porque voce dá muita sorte !!!!

      Um grande abraço,

      Excluir
  23. Rapaz, a culpa disso é do Getúlio Vargas. Rss. Ele obrigou TODO mundo a ter filhos pois queria povoar a Amazônia e o Centro-Oeste. Com isso foi criada a cultura da natalidade, toda mulher pobre acha que tem a obrigação de ter filhos.

    Na Europa, por sua vez, as mulheres pensam em fazer pós graduação e ganhar dinheiro, depois, talvez, ter filhos. Quanto melhor a educação de um povo, menos gente nasce.

    Estamos com excesso de NEM NEM, gente que nasceu para só brincar e curtir.

    Por isso não terei filhos, poderei ter mais alegrias com a Venda Coberta longe do dinheiro.

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - respoeito a sua decisão de nao ter filhos. Com certeza, do ponto de vista financeiro, é uma decisão acertada.

      Nao consigo enxergar a relação entre natalidade e ter pessoas fora da realidade. Pelo que vejo, inclusive, tenho uma percepção diferente. As familias que tem bastante filhos, normalmente, acabam tendo uma situação socioeconomica mais dificil. Desta forma, os filhos começam a trabalhar cedo (apesar de ter a penalidade de ser mais dificil conciliar os estudos) e obter mais experiencia, bem como estar mais conectado ao que é a realidade da sociedade brasileira.

      Os melhores estagiários que eu efetivei (e alguns hoje sao meus pares) sao pessoas que vieram de familias numerosas com padrao socioeconomico mais baixo, mas que se esforçaram para conciliar os estudos. Esses caras aproveitaram cada oportunidade que foi dada e quando nao havia oportunidade eles demonstravam tanto interesse e vontade que acabvam por praticamente criar uma demanda para o trabalho deles. Sao profissionais muito competentes.

      Um grande abraço,

      Excluir
  24. Sobre empreender, acho muito mais arriscado que comprar ações. O pequeno empresário corre muito mais riscos, como assaltos, furtos efetuados pelos funcionários, extorsão de bandidos.

    Para empreender teria de ter um retorno sobre Patrimônio líquido anual de 40%. Menos que isso ganho mais comprando ações que pagam bons dividendos.

    Fiz planilha no Excel mostrando quando chegarei ao 1º milhão, é questão de disciplina. Depois disso continuo a ganhar dinheiro por meio do reinvestimento. Sem contar a vantagem de não precisar contratar um NEM NEM inútil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - concordo com voce. Entre empreender e se expor no mercado de renda variavel, o primeiro oferece mais riscos. Ate porque na renda variavel voce se torna socio de uma empresa ja operacional (tirando o caso das empresas X), onde tem possibilidade de verificar a vantagem competitiva, o historico de desempenho da empresa, a expectativa de fluxo de caixa futuro; além de nao ter de se preocupar "muito" com a parte burocratica (RH, Contabilidade, facilities, etc...).

      Um grande abraço,

      Excluir
  25. EP, veja um documentário muito bom no youtube, Born Rich, sobre herdeiros bilionários e seu modo de vida.

    Nele aparece a filha do Trump, que tem todos os defeitos do mundo, mas soube ensinar aos filhos, AOS 5 ANOS DE IDADE, a maior verdade da vida: devemos casar por dinheiro, separar por dinheiro, pois dinheiro é o Rei deste mundo.

    A geração NEM NEM só quer aparecer no facebook, instagram, zap etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - obrigado pela dica do documentário ... vou procurar sim. este tema me parece bem interessante e deve ser legal saber como vivem os que nascem com o bilhete premiado da loteria genetica.

      Um grande abraço,

      Excluir
  26. Puxando o gancho do investimento em ações no exterior queria te perguntar algumas coisas.

    Sei da sua vontade de emigrar e de investir em moeda forte, mas já calculaste qual é a carga tributária de Portugal e dos EUA?

    Pelo vi que no site do SoulSurfer, as coisas não são tão simples assim. No EUA os dividendos são taxados DUAS vezes, tanto a empresa quanto o acionista pagam impostos beeem pesados.

    Será que a emoção e/ou o desencanto com o Brasil não estão afetando os teus cálculos ?

    Algumas empresas brasileiras têm surpreendido e valorizado muito depois do impeachment. Se olharmos as dívidas menores que o patrimônio líquido e os dividendos ainda é possível achar umas 20 empresas boas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - tudo bem ?

      Realmente eu tenho vontade de viver fora do Brasil ... mas nao preciso de investimentos no exterior para isso. Posso viver com rendimentos de aplicações feitas no Brasil e apenas usar um dos varios mecanismos para transferir dinheiro para uma conta fora do Brasil. O ponto negativo é ficar exposto a variação cambial.

      A reserva em moeda forte é exatamente para ter patrimonio suficiente para as despesas de mudança (aluguel de uma nova casa, talvez a compra de carro, dinheiro para reforma, dinheiro para compra de eletrodomesticos, etc...). Quando ainda nao tem historico de credito no pais novo é interessante ter dinheiro para pagto a vista.

      Quanto a tributação de dividendos - o Brasil é um dos poucos paises que nao tributa o investidor nesse quesito. As empresas sao tributadas (como em qualquer lugar do mundo), mas aqui o investidor recebe dividendos isentos de imposto de renda. Temos de ver ate quando esse almoço gratis vai durar. De qualquer forma, minha intenção nao é viver nem nos EUA (apesar de nao ser má ideia) e tampouco em Portugal (apesar de nao ser má ideia também).

      A emoção nao afeta os meus calculos simplesmente porque a decisão de viver fora nao esta atrelada a questão de oportunidades financeiras e sim de experiencia de vida. Se for por oportunidade financeira iria para Hong Kong, Malasia, etc... Se fosse para empreender, com certeza iria para os EUA. Mas o que estou buscando é a experiencia de viver e aprender outra cultura...

      Gostei da informação de que temos 20 empresas boas listadas na BOVESPA - você poderia listar quais sao essas empresas para fomentarmos o debate ??? Eu realmente nao enxergo 20 empresas boas na BOVESPA quando olho diversos indicadores fundamentalistas.

      O meu artigo de mestrado trata da relação governança corporativa x desempenho e posso te dizer que nao encontrei nem 15 empresas com boas relações de desempenho e também de governança. Por isso gostaria de aprofundar neste tema pois pode existir coisas que nao estou enxergando.

      Um grande abraço,

      Excluir
  27. Nunca pensei em sair do Brasil, meus planos são viver de dividendos, venda coberta e morar em pequenas cidades litorâneas do Brasil. Algo como ficar 6 meses em Araruama/RJ, ficar 6 meses em Fernando de Noronha. Como a vasectomia também está nos meus planos, ficará muito mais fácil me mudar na hora em que quiser.

    Para sair do Brasil, no meu caso, somente com US$ 1M, no mínimo, acho que dá uns R$ 3, 3M aproximadamente. Não tenho vocação para aturar neve nem chefes chatos de lugar algum do mundo. Com menos que isso vivo numa cidade tranquila aqui mesmo e corro na pria todo dia.

    Entrei na bolsa para ficar rico. Estudei muito e ainda estudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - seu planos sao interessantes. Com certeza deve ser muito bom morar em cidades do litoral do Brasil - eu moro em uma capital que nao tem mar. Acho que sair do Brasil com USD1 milhão, voce estará indo em uma condição muito boa.

      Se tem problemas com neve, realmente boa parte dos paises do mundo nao serão adequados para voce. Eu acho muito legal morar tranquilamente no litoral ou no interior do Brasil - o ritmo de vida é diferente e ainda é possivel conciliar excelente qualidade de vida.

      Um grande abraço,

      Excluir
  28. Empresas com P/L menor que 20, pagadoras de dividendos e com dívida/patrimônio líquido <1

    HYPE3, TAEE11, MPOLU3, ITSA4, CGRA3, HGTX3, BEES4, ITUB3, GRND3, EZTC3, BBDC4, SAPR4, ALPA3, SHUL3, TRPL3, VIVT4, MDIAS3,


    Empresas com p/l menor que 20, pagadoras de dividendos e com dívida/ patrimônio < 1,6
    CGAS5, UGPA3,CIEL3, EMBR3.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - muito interessante a sua lista. Se eu fosse investir o meu dinheiro hoje eu apostaria apenas nos bancos ... as demais empresas (salvo algumas exceções) nao possuem um nivel de governança que eu considero adequado.

      Mas é bacana saber que investidores enxergam essas possibilidades todas na Bolsa brasileira. Quem está investido em ações conseguiu capturar este recente movimento de alta e deve estar bem feliz.

      Um grande abraço e obrigado pela lista.

      Excluir
  29. Impressionante ver esses primeiros relatos da entrevista. As pessoas estão reamlente perdendo a noção do bom senso em todos os ambientes! Creio tb que isso seja uma mudança de comportamente das últimas gerações que estão entrando no mercado de trabalho, possivelmente influeciada pela forma que foram criados pelos pais e como enxergam o mundo (totalmente distorcido).

    Daqui a algumas semanas, também terei que entrevistar candidatos a uma vaga na minha empresa e já imagino a qualidade das entrevistas.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola EP - tudo bem ? Eu acho que alguns candidatos realmente nao tem noção da realidade. Acham que sao mais preparados do que realmente sao e acreditam que realmente merecem a vaga, mas sem demonstrar nenhuma qualificação que os faça merecer.

      Mas vai tranquilo para as entrevistas que sempre aparecem alguns bons candidatos com um perfil mais esforçado do que o pessoal criado vendo serie no IPAD.

      Um grande abraço,

      Excluir
  30. Com essa bolsa ai e esse vale alimentação eu estaria sorrindo pras paredes. No meu estágio ganho apenas 500R$ e me sinto muito grato pela real oportunidade de realmente aprender com meus superiores. Ainda bem q n sou uma exceção e tem mais gente com boas oportunidades de ser formado profissionalmente. Boa sorte com sua contratação e graças a seu post que percebi que meus conhecimentos de finanças ( DRE, fluxo de caixa...) são diferenciais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Marco Antonio - essa tambe´m foi minha surpresa frente a reação de alguns candidatos. Eu considero que a bolsa oferecido por aqui é muito boa... eu, quando fiz estagio, recebia bolsa de R$300,00 e ficava feliz da vida...rsrsrsrs

      Nao tenha duvida que conhecimento de finanças já te coloca varios passos a frente dos concorrentes. Se conseguir Ingles fluente estará ainda mais a frente.

      Um grande abraço,

      Excluir
  31. Obrigado por ter compartilhado essa experiência. Como atualmente estou na faculdade, foi de grande ajuda o seu texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Einstein - que bom que gostou do texto. Espero que possa te ajudar em algum momento da sua carreira.

      Um grande abraço,

      Excluir
  32. Olá Executivo Pobre! Como funcionário de uma grande organização e em contato com o R.H, qual a razão da dinâmica de grupo na contratação de um funcionário ? quando trabalhava em empresa privada, achava deprimente participar desse tipo avaliação. Em poucas empresas, que participei de seleções para contratações fiz uma prova teórica ou objetiva de conhecimentos técnicos, más não preferem as humilhantes dinâmicas de grupos. No serviço público, me livre disso, ainda bem. Parabéns pelo post, muito bom...abraço..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Beto Fiscal - voce colocou uma excelente pergunta. Eu também nao vejo razao nenhuma para dinamicas de grupo. Neste processo de contratação de estagiário, eu solicitei para cancelarem a dinamica e o RH respondeu que seria obrigatório.

      Entao eu disse que eu nao acompanharia pois nao concordo com o método e me recusava a eliminar alguem por apenas uma dinamica. Meus criterios seriam o Ingles e o Excell ... os que tiveram boa pontuação em um ou outro, eu chamaria para entrevistar e iria eliminar atraves das entrevistas.

      Mas, também nao vejo muito sentido em uma dinamica de grupo.

      Um grande abraço,

      Excluir
  33. Amigo, voltei com o blog reformulado.

    Vou postar apenas em inglês, mas você pode ver em português traduzindo com o plugin do Google que coloquei lá.

    O intuito da mudança é pra eu me forçar a escrever em inglês e também para o blog ganhar o mundo.

    A linha do blog continua a mesma: ações, ETFs, investimentos no exterior, John Bogle, comportamento pessoal, biografias, livros, sites, dicas de economias pessoais, superação, trabalho e estudo, Jéssica Chastain também.

    Atualização mensal e resultado anual continuam. Análise de resultados de ações brasileiras sempre que sair o anual.

    Mudei o sistema de comentário para o sistema do Disqus (lê-se “Discuss”), essa é uma ferramenta muito bacana pq assim vc vai ver todos os seus comentários e suas respostas e discussões num canto só, se não conhece se cadastre no site Disqus.com vale a pena sim.

    Agora dá pra treinar o inglês lá e deixar sua participação. Você está no meu blogroll.

    Grande abraço,

    Frugal Simple.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Frugal - excelente a iniciativa de escrever em Ingles. Acho isso uma forma muito produtiva de praticar outro idioma. Voce ja esta aqui no blogroll também.

      Um grande abraço,

      Excluir
  34. Opa! Se puder adicionar meu outro blog no blogroll, ficarei grato: Porta dos Investimentos (http://portadosinvestimentos.blogspot.com.br)

    Adicionarei seu blog neste novo blog também!

    Muito obrigado e um abraço!

    Ps.: Desculpe a mensagem fora do tema, blog novo, tem que pedir aos amigos ajuda! Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola VDC - ja esta adicionado.

      Um grande abraço,

      Excluir
  35. EP excelente post. Esta geração está perdida mesmo... Mas tenho visto raras exceções por ai... Mas vendo o futuro do Brasil nas mãos destes jovens, acho que o país não terá futuro..... Cada geração está vindo pior........

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Maluco Beleza - com certeza temos as exceções. Esse comportamento que eu considero ruim, eu observo mais em jovens vindos de classe media alta com boas condições sociais. Temos muita gente querendo aprender e trabalhar de verdade.

      Um grande abraço,

      Excluir