terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Meu Orçamento Mensal nos Estados Unidos

Ola pessoal - tudo bem ? O ano já começou, um mes inteiro ja passou e eu preciso fazer meu planejamento 2018 já considerando a transferencia para os Estados Unidos. Com esse planejamento, eu pretendo estimar as minhas despesas gerais e verificar se conseguirei manter minhas metas de aportes e investimentos. 

Obviamente, antes de ter a confirmação do visto que irei obter, eu irei trabalhar sempre com a pior hipotese, que nesse momento seria uma permanencia máxima de 05 anos na Terra do Tio Sam. Para esclarecer um pouco mais, dependendo do tipo de visto L1 obtido, voce pode permanecer de 05 a 07 anos nos Estados Unidos, isso já considerando as renovações do visto. A boa noticia é que o visto L1 é um caminho mais fácil para o Green Card e com ele em mãos voce tem residencia permanente nos Estados Unidos - mas esse é um assunto para uma outra postagem.

Voltando ao tema dessa postagem, o primeiro passo no meu plano foi descobrir quanto vai ser o meu salário liquido. Eu já tenho as informações de salário bruto e utilizei algumas calculadoras de salário liquido para compreender os impostos que incidem sobre o meu salário nos Estados Unidos.

A primeira curiosidade é que os impostos são retidos na fonte a cada pagamento (e nao somente no final do mês, como é comum no Brasil). Dessa forma, voce recebe um pagamento a cada duas semanas com valores exatamente iguais. 

Nos Estados Unidos, assim como no Brasil, existe o Imposto de Renda Federal (Federal Income Tax). Entretanto, por lá também existe o Imposto de Renda Estadual e Municipal. Alguns locais cobram esse imposto e outros locais isentam os moradores do pagamento desses tributos. Felizmente, esse será o meu caso - terei somente o Federal Income Tax a ser retido diretamente na fonte, no momento do pagamento do meu salário.

Além disso, também existe a cobrança FICA (Federal Insurance Contributions Act), que é composta pelo pagamento do Social Security (especie de INSS aqui do Brasil) e também do Medicare. Esse ultimo é uma contribuição para o sistema de saude americano que oferece como beneficio um seguro de saude para pessoas com mais de 65 anos, porém a cobertura do Medicare é bastante restrita.

Com essas informações eu tenho a seguinte figura:

Salário Bruto (Gross Salary): $7.667

Taxes - Federal Income (12,38%): $949

FICA - Social Security (6,2%): $475

FICA - Medicare (1,45%): $111

Salário Liquido (Net Salary): $6.131

Então, inicialmente, eu poderei contar com $6.131 no bolso mensalmente. Mas nao será exatamente isso, pois nao estou considerando ainda bonus e alguns beneficios para o ano de 2018 e também ainda nao estou considerando algumas despesas que são dedutiveis de imposto. Vale a pena considerar  a contribuição para o plano 401K da empresa, já que a mesma contribui o mesmo valor (100% da contribuição do empregado) até um limite de 4% do salário bruto. Além disso, irei contribuir com o plano medico da empresa (ainda nao decidi qual das tres opções, mas para efeitos desse planejamento, irei considerar o plano médio) e também irei contribuir em uma conta HSA - Health Safety Account para ter fundos para despesas medicas com incentivo fiscal. Como tenho um filho pequeno e uma esposa que utiliza medicamentos de uso continuo, então a conta HSA faz sentido, além de poder carregar as contribuições feitas em um ano para o ano seguinte.

Dessa forma, avançando um pouco mais na análise, tenho o seguinte cenário:


Salário Bruto (Gross Salary): $7.667

Taxes - Federal Income (10,46%): $802

FICA - Social Security (5,84%): $447

FICA - Medicare (1,36%): $105

Pre-tax Deduction Plano de Saude (Medical Insurance): $250

Pre-tax Deduction 401K (4%): $307

Pre-tax Deduction HSA: $200

Salário Liquido (Net Salary): $5.556


Então, agora com um valor um pouco mais apurado, eu consigo estimar como ficarão as minhas despesas e capacidade de aporte nos Estados Unidos:

Salário Liquido (Net Salary): $5.556

Aluguel (House Rental): $1.700

Agua, Luz, Gas (Utilities): $350

Compras (Groceries): $500

Combustivel (Gas): $120 

Seguro Carro (Car Insurance): $150

TV + Internet + Telefone Celular: $250

Restaurantes / Bar / Lanchonete: $150 

Viagens / Passeios (Travel): $500

Investimentos / Aporte: $1.836


A principio, esse é um orçamento para viver uma vida bem tranquila - diria até que luxuosa - no lugar onde vou morar. Obvio que faltou detalhar algumas categorias (como roupas, sapatos, etc...) mas essas são compras esporádicas, que é possivel fazer frente simplesmente economizando nas saidas a restaurantes ou mesmo passeios, já que para essas categorias eu deixei um valor relativamente alto. Com $500 por mês é possivel fazer duas viagens de carro por mês (viagem de final de semana) para ir conhecendo os locais proximos onde eu irei morar, e depois disso, esse valor pode ser economizado para viagens mais distantes, pois terei $6.000 / ano - um valor mais do que suficiente para viajar pelos Estados Unidos, ou mesmo viajar para Europa ou Brasil.

O valor de $1.836 tem de ser somado as contribuições individuais e da empresa para o plano 401K., já que se trata de uma conta de investimentos para aposentadoria. Minha contribuição será de 4% do salário ou $307 e a empresa deposita um valor igual a 100% do que eu depositar, ou seja, outros $307 dolares. Então, eu tenho $614 dolares extras de investimento.

Dessa forma, o total de aportes seria $1.836 + $614 = $2.450

Esse valor representa 39,96% (vou arredondar para 40%) da minha renda liquida ($6.131)

Desta forma, estuo falando de um aporte anual de $29.400 - porém, ainda tem o bonus anual que pode chegar a 10% da renda. Considerando então $9.200 como bonus e impostos de 30%, terei um adicional liquido de $6.440

Somando o aporte + bonus existe um potencial aporte de $35.840 / ano, ou seja; o equivalente 48,71% da minha renda anual liquida. Claro que ajustando um pouco mais os valores é possivel atingir 50% da renda anual como aporte, o que seria ótimo por se tratar de aporte já em moeda forte.

Também nao estou considerando um eventual trabalho da Sra EP, o que pode incrementar muito o valor do aporte. No primeiro ano ela ficará em casa com o Estagiário Pobre (esse é um beneficio extra a ser considerado, já que no Brasil ela iria retornar ao trabalho em Abril), e a partir de então, com a situação melhor definida em relação ao Green Card, ela vai se aventurar no mercado de trabalho americano. No primeiro ano, mesmo em casacom o Estagiário Pobre, ela vai ajudar uma amiga que mora na Carolina do Norte com um trabalho home-based que basicamente consiste em comprar e organizar remessas de encomendas para clientes no Brasil.

Inicialmente, fico satisfeito com meu plano de investimentos. Os valores assumidos para as despesas foram confirmados com amigos que já moram por lá e tem uma generosa "gordura" em cada um deles, já que em um ambiente desconhecido é mais dificil prever o custo de cada item.

Então é isso pessoal - sigo firme agora com objetivo de aportar $35K / ano.

Um grande abraço,

47 comentários:

  1. Grande EP!

    Seu posts recentes sobre os EUA ficaram muito didáticos. Além de esclarecedores são objetivos.

    Parabéns e desejo uma ótima jornada nos EUA!

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Termos Reais - que bom que gostou dessas postagens. Estou tentando dividir com os colegas as minhas impressoes sobre esse processo de transferencia e a experiencia de viver em outro pais - que bom que estão gostando, é sempre uma motivação adicional para continuar escrevendo.

      Um grande abraço,

      Excluir
  2. Demais!

    Já estudou sobre o IRA? https://www.fidelity.com/building-savings/learn-about-iras/what-is-an-ira

    Pelo que leio nos foruns americanos, é o ideal calcular e investir o máximo possível no ROTH IRA.

    Outra curiosidade, como seu plano é ficar por lá mesmo, como vai pensar na questão do "college tuition" do seu filho?

    custo de faculdade são absurdamente altos por lá, e pelo que li, os americanos fazem uma poupança praticamente quando a criança nasce só para essa finalidade.

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola animal - tudo bem ? Eu também ja ouvi falar muito sobre IRA, mas ainda nao estudei do que se trata. Vou iniciar meus estudos com o link que enviou (obrigado) e voltarei a tratar do tema por aqui.

      A respeito dos custos de faculdade, eu nao entendo porque os americanos se desesperam tanto com esse tema. Claro que seu filho for estudar em Harvard, Yale, Duke, MIT, etc... voce vai ter custos muito elevados; mas pesquisando boas universidades como: Universidade Central Florida, Universidade de Michigan, Universidade Bolse Colorado (entre outras) as despesas anuais sao da ordem de USD 8.000, caso a pessoa seja residente no Estado onde a universidade está situada. Nao é um valor impossivel de se pagar e tampouco requer um malabarismo financeiro absurdo.

      Estou monitorando os preços das universidades em locais onde pretendo viver por lá (o local onde vou viver agora e onde pretendo viver caso consiga o Green Card) e nenhuma tem anuidade superior a USD8K.

      Um grande abraço,

      Excluir
    2. Dê uma lida no FAQ Reddit:

      https://www.reddit.com/r/personalfinance/wiki/iras


      abs

      Excluir
    3. Opa - obrigado novamente pela dica de leitura. Ja salvei o link aqui para aprender mais sobre IRA.

      Um grande abraço,

      Excluir
  3. Maravilha! Deus lhe proteja.
    Abc

    ResponderExcluir
  4. Ótimo post, por curiosidade que curso você fez faculdade?

    Será um excelente aporte, no fim de alguns anos você com um enorme patrimônio.

    Abraço e sucesso nos EUA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei curioso quanto a formação também.

      Excluir
    2. Ola DIL - tudo bem ? O meu objetivo é somar os R$300K que tenho hoje com minha meta de aporte de USD150K nos proximos 5 anos (USD30K / ano). Considerando o cambio atual de 1USD = R$3,32 (valores da minha corretora de cambio para compra em especie já incluso IOF), eu teria então:

      R$300K + (USD150 * 3,32) = R$798K

      Tenho de somar também os rendimentos (ainda que de poupança) sobre os R$300K aqui no Brasil e isso daria mais R$100K aproximadamente (no prazo de 05 anos, juros compostos); então minha meta até 2022 é ter patrimonio financeiro de R$898K

      No prazo de cinco anos, eu saberei se consegui ou não o Green Card. Caso consiga, o plano será continuar aportando e investindo nos USA até 55 anos de idade - e depois deixar de trabalhar da forma como faço hoje.

      Caso nao consiga o Green Card ao termino de 05 anos, eu pretendo mudar para Europa e iniciar vivendo em Portugal com os rendimentos do meu quase milhão (investidos no Brasil) e procurar outra atividade financeira na União Europeia.

      Um grande abraço,

      Excluir
    3. Ola Pobre vencedor - tudo bem ? Esqueci de responder sobre a formação na pergunta do colega DIL acima, então vou aproveitar e deixar tudo por aqui.

      Minha formação profissional começou com o curso tecnico em mecanica do SENAI, depois fiz colegio tecnico em Contabilidade (tinha intenção de ter um emprego que nao tivesse dependencia de patrão), acabei entrando na faculdade de Engenharia Mecanica e segui nesse caminho. Me especializei com um MBA quando ainda trabalhava em uma area tecnica da Engenharia.

      Depois disso passei a atuar na parte mais comercial / financeira / suprimentos e também quis me especializar um pouco mais com o Mestrado em Finanças.

      Essa é minha formação educacional ate o momento.

      Um grande abraço,

      Excluir
    4. Tudo bem, que legal ter feito engenharia, depois ter especializado em área de finanças no mestrado achei super interessante!

      Abraço e bons investimentos.

      Excluir
  5. Se ler o blog do Mr money mustache encontrará muitas boas dicas de como economizar bem alguns destes itens do orçamento (ex: internet e celular).
    Seguro, pesquise na geiko, que tem fama de ter os melhores preços.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - obrigado pelas dicas. Eu acompanho o MMM (tenho ele aqui no blogroll) e acho muito legal as dicas que ele passa por lá. Com certeza dá para ter um orçamento bem mais enxuto e viver com bem menos do que estou colocando no meu orçamento (essa é a intenção).

      Entretanto, sabendo que se trata de uma oportunidade que poucas pessoas tem (viver legalmente em outro pais), eu pretendo aproveitar e conhecer bastante os Estados Unidos com viagens de final de semana e feriados. Tem algumas road trips que quero fazer e ja estão no meu planejamento, por isso prefiro ter um orçamento onde mais despesas estão previstas, pois onde eu economizar poderei destinar esse dinheiro para viajar ainda mais, já que os USD30K / ano já se trata de um valor consideravel de aporte.

      Um grande abraço,

      Excluir
  6. Farmacêutico Investidor30 de janeiro de 2018 19:34

    Olá EP!

    Seus posts sobre o planejamento financeiro nos EUA realmente são muito bons. Além do Money Mustache - também um engenheiro - recomendo a leitura do blog Money Commando. Ele faz alguns contrapontos interessantes ao que se propaga usualmente - um post que me chamou a atenção é a teoria da retirada de 4% (essa tese basicamente alega que, após alcançar um valor ideal, a retirada de 4% não dilapidaria seu patrimônio). Outro, é o porque dele não investir em fundos de índice, com argumentos bem bacanas.

    Uma pena que você teve que se desfazer dos FIIs - os aluguéis isentos de tributação são uma das poucas coisas que eu acho vantajoso no Brasil em relação ao mercado americano. Deste, continuo comprando blue chips - empresas que passaram por guerras mundiais, governos bons, governos ruins, crises mundiais e nunca pararam de distribuir dividendos? Só lá mesmo. Com a reforma tributária do Trump, penso que algumas empresas vão retornar com tudo aos EUA - realmente seu timing foi impecável, rs!
    Abraços meu caro e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola FI - tudo bem ? Obrigado pela dica do blog, com certeza eu vou acompanhar e tentar entender os argumentos para nao investir em fundos de indice. Essa discussão é sempre muito interessante, já que pouquissimos gestores profissionais de fundos de investimento conseguem bater o mercado no longo prazo.

      Também fiquei um pouco chateado de vender os FII´s mas a burocracia para manter eles no Brasil é muito grande. Começa pela dificuldade de encontrar corretora que aceite investimentos de nao residentes. Como eles tem de ter um controle muito maior, acaba nao valendo a pena. Muitos colegas simplesmente deixam o pais e mantem investimentos e contas sem alterar a condição de nao residente, mas isso pode gerar dor de cabeça no futuro, pois se a corretora continua informando seus investimentos como residente, voce continua sendo tributado como residente, pagando suas DRAF's como residente ... a receita federal pode entender que seu domicilio fiscal é aqui e voce deixou de declarar a renda obtida no exterior, tendo de pagar os impostos relativos a essa renda.

      Nesse momento, quero focar mais em aproveitar a oportunidade e experiencia e um pouco menos em complicações para obter um rendimento pouco superior ao que posso obter aplicando por lá. Se considerar a remuneração de poupança já é um valor absurdo para os padrões americanos (claro que sempre existe o risco cambial, por isso a ideia de ir levando o patrimonio aos poucos para lá). Como nao sei se vou conseguir o Green Card, eu vou fazendo essa migração financeira de forma um pouco mais controlada.

      Um grande abraço,

      Excluir
  7. Enquanto uns vem outros estão voltando. Tão decepcionado com EUA. Estou com L1-A e rejeitei receber green card pela minha empresa por que não me adaptei a cultura. E digo mais..ganho 1k a mais que vc por mes.
    Gosto é gosto. Espero que se adapte melhor que eu. O Frio aqui tá insuportável e o transito em Chicago não dá, 10x pior que SP.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quais as maiores dificuldades ou diferenças que você encontrou aí?

      Excluir
    2. Ola anon 19:52 - tudo bem ? Sua história é bem interessante. Conheço pouquissimas pessoas que abriram mao de um Green Card, ainda mais tendo um salário bem razoavel para os padroes americanos. Eu conheço bem Chicago (ja estive ai diversas vezes por periodos prolongados) e sei que o inverno é muito complicado - eu cheguei a enfrentar -26°C e periodos com bastante neve, além do vento.

      Ainda assim, eu acredito que continuaria por ai, pois gostei muito da cidade. No seu caso, nao seria interessante deixar a empresa aplicar para o Green Card através do L1A (que sai bem rapidinho), segurar as pontas mais um tempo e depois do Green Card mudar para um local que te agrade mais (mais quente e mais tranquilo em termos de transito)?

      Mas eu também compreendo que as pessoas sentem falta do local, cultura, idioma onde cresceram. Essa identidade é importante e muitos optam por voltar. Eu tenho um colega que voltou da Alemanha, mesmo tendo a oportunidade de ficar por lá em definitivo com um otimo trabalho em uma excelente cidade. Hoje ele se arrepende, mas na época, a pressa que ele tinha de voltar parecia que estavam prendendo ele em um campo de concentração.

      Eu sei que vou enfrentar dificuldades - muitos falam que estou indo para um lugar maravilhoso (principalmente na minha familia, alguns tios e primos); mas tenho consciencia de que os Estados Unidos também tem seus defeitos e dificuldades. Acho que vale pela experiencia de viver fora - depois dos cinco anos que sei que estarei por lá, caso eu obtenha o green card, ai eu verifico melhor como planejar os anos seguintes.

      Um grande abraço e boa sorte no seu retorno.

      Excluir
    3. Excelente pergunta anon 21:13 - também fiquei curioso. Além do frio e transito especificos da cidade onde voce está, o que mais faz voce retornar e abrir mao do Green Card ?

      Um grande abraço,

      Excluir
    4. Então, vários motivos além dos citados. Ainda estou aqui mas pensando seriamente em voltar a morar no RS. A vida lá era mais tranquila, sossegada, perto da familia, sem violencia..não era nada ruim. Se tivesse que voltar para SP ou RJ capital ai certamente nao voltaria.
      EUA não é só coisa boa não. Tem muitos problemas. Você vive para trabalhar. Minha empresa me dá 2 semanas nao consecutivas de ferias por ano não remuneradas apenas. Nao consigo nem ir ao Brasil. Passagens para o BR carríssimas atualmente. Plano de saúde não é 100%. Tive um filho aqui e paguei muito caro (parto custou 36 mil para o plano e paguei out of pocket 7,8k usd). Qualquer consulta é 100 dol.
      Passo a vida no escritorio aqui aproveitando muito pouco a vida la fora. Ficar 4 meses com frio abaixo de zero tempo todo. Custo de vida nao é baixo mas o orçamento do EP tá próximo mas veja que vai te sobrar só 1800 por mes. Nao dá uma passagem pro Brasil e qualquer imprevisto nao aportará nada. Nao tem essa que são 6 mil reais...vc vai gastar em dolar e terá que esquecer o real e ver o pessoal dos blogs se esbaldando na renda fixa brasileira e aqui ou é bolsa (arriscado agora) ou savings com yield de 0.01%aa ridiculos.
      Nao sei onde vai morar, espero que num lugar mais "brasileiro". Você vai chegar super entusiasmado e vai se deparar com praticamente nascer denovo aqui, tirar SSN, carteira motorista do zero, sem credito history nenhum entao nao consegue financiar nada nem carro ou celular; abrir uma conta de luz é um parto ...mesmo assim vai amar os primeiros 2 anos...depois meu amigo é que a coisa muda, salario nao dá pra nada mais, sua esposa vai querer comprar tudo pq é "barato", enfim cara..espero que sua experiencia seja diferente! abcs e se precisar de alguma coisa podemos marcar de encontrar aqui e trocar uma idéia.

      Excluir
    5. Sou o anon 21:13

      Não conheço os EUA pessoalmente e nem penso em morar fora do Brasil, perguntei mais por curiosidade mesmo.
      Já li em blogs e sites que tem várias cidades americanas com problemas sérios de violência e até pouco tempo atrás desemprego e estagnação economica como: Detroit e Memphis.

      São Estados diferentes de onde você mora e talvez você nem conheça essas cidades, mas pelo que lí morar nessas cidades nã é muito mais seguro que morar em cidades brasileiras, não sei qual sua percepção, mas é interessante saber a opinião de quem vive no exterior.

      Excluir
    6. Sim Detroit e Cleveland são aqui do lado e realmente são perigosas em várias áreas como qualquer cidade brasileira. Em Chicago não tem violencia aparente (acho que ninguem sai por causa do frio kkkk) mas nunca se sabe. Vi agora o comentario do amigo abaixo e parece que não sou só eu com este sentimento. Acho que a cultura americana não é tão aberta como se pensa e vc é sempre visto como estrangeito roubando oportunidade de trabalho deles infelizmente. Nao digam nao venham, tem que vir pra sentir na pele que nao é esta maravilha que todos pensam

      Excluir
    7. Ola colegas anons - eu conheço bem Detroit e realmente existe um bolsão de violencia grande por la (com atividade forte de trafico de drogas).

      Se voce falar com um americano, ele vai te dizer que Detroit provavelmente seria o ultimo lugar onde ele queria morar. Em compensação, bem pertinho de Detroit existe Ann Arbor que foi eleita novamente a melhor cidade para morar nos USA. Eu conheço Ann Arbor e a cidade é espetacular; então dá para verificar que nos USA existe esse contraste (aqui no Brasil também) de lugares muito bons perto de lugares ruins para se viver.

      O anon que esta vivendo em Chicago menciona outro ponto interessantissimo que é o fato de sempre sermos encarados como estrangeiros (o que de fato nós somos) tentando roubar os empregos dos americanos. Esse comportamento é caracteristico dos americanos (na média, claro que existe exceção) já que eles sao bastante territorialistas. Um dos grandes trunfos do Trump durante a eleição foi o discurso anti-imigração - isso está no subconsciente dos americanos. Apesar de ser uma nação construida por imigrantes, eles nao gostam de imigrantes por lá.

      Logo, é esperado que voce sofra uma certa resistencia no trabalho. O pessoal tenta dificultar sua vida, voce tem dificuldade em obter informações, o pessoal é mais fechado a amizades e seu trabalho terá sempre de ser melhor do que o trabalho feito pelo local, cada erro seu será exposto e ampliado.

      Porém, eu vivi a mesma coisa aqui no Brasil, quando fui trabalhar em outro Estado. Também era visto como o cara de fora que estava roubando o trabalho dos locais e demorou bastante para me integrar e conseguir a confiança do pessoal; e finalmente eles pararem de me boicotar.

      Infelizmente, essa posição defensiva é natural do ser humano. Somos animais territorialistas e creio que isso vai acontecer em qualquer lugar que formos viver.

      Mas está muito interessante ver esse outro lado da vida americana. Se os anons puderem ou quiserem citar mais dificuldades ou situações que viveram, isso será bem legal. Eu tambem vou tentar pesquisar mais casos de dificuldades enfrentadas e criar uma postagem a respeito.

      Um grande abraço,

      Excluir
    8. Sou o anon 21:13 e 14:19 e agradeço as respostas do EP e do anom de Chicago.

      Apesar de nunca ter saído do Brasil reconheço que mesmo aqui, quando se muda de Estado ou região muitas vezes é possível encontrar uma certa resistência por parte das pessoas do local.
      Concordo que essa é uma questão humana que vai além de nacionalidade. Tanto que há resistência de muitos brasileiros com relação a estrangeiros que vem de países mais pobres, assim como acontece no primeiro mundo.

      Pelo que eu saiba poucos brasileiros moram em Estados mais "pobres" como Mississipi e Alabama, mas já lí relatos de uma brasileira falando da dificuldade de se relacionar com parte dos americanos da cidade do Alabama onde ela estava morando.
      Creio que o Sul dos EUA até por questões históricas e menor número de imigrantes seja uma região mais tradicionalista nesse sentido.
      Há também essas diferenças em morar em cidades mais cosmopolitas e locais mais "raíz".

      Se um dia for para os EUA como turista, tenho vontade de conhecer os EUA fora do circuito turístico, queria conhecer Estados do Interior e cidades com poucos imigrantes pra ver a vida de um amercano típico interiorano.
      Acho que iria pra Idaho, mas como disse não penso em morar, só conhecer.
      E seria interesante mais relatos sobre brasileiros que moram nos EUA pra entendermos as dificuldades e peculiaridades desses locais.

      Excluir
    9. Ola anon 10:04 - tudo bem ? No seu comentário voce menciona sobre os poucos brasileiros vivendo no Alabama e Mississipi. Trata-se de estados do sul onde o preconceito contra imigrantes é muito forte.

      Se for aos Estados Unidos como turista existe muita coisa para se ver, mas se pretendo um passeio mais para o interior, além de Idaho, o estado de Montana com certeza vai te agradar. É um lugar muito preservado onde só moram realmente o pessoal "local" como fazendeiros, mineradores, lenhadores, etc...

      Um grande abraço,

      Excluir
  8. EP, visitei seu blog agora e percebi que vai morar nos EUA? Legla. Não sei muitos sabem mas tive uma experiência parecida com nosso amigo anon 13:51 ai acima e hoje estou de volta ao Brasil faz um tempinho e não me arrependo. O vaga do blog Vagabundo teve uma experiencia semelhante também pelo que ele me contou.
    Acho que você pode aproveitar este artigo nosso: http://www.aposenteaos40.org/2016/11/brasileiros-morando-nos-eua-como.html

    visite-nos e sucesso lá!
    AA40

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola AA40 - tudo bem ? Venho acompanhando suas postagens e elas sao muito bacanas. Acabei de ler a postagem do link e é bem interessante.

      Se puder, nos passe mais informações da sua experiencia ... quanto tempo ficou por lá, as maiores dificuldades, as maiores facilidades, o que faria diferente se fosse novamente, o que motivou a voltar para o Brasil, essas coisas.... acho que esse tipo de conversa enriquece muito a discussão.

      Um grande abraço,

      Excluir
  9. Antes de tudo. Parabéns pelo blog, nunca vi posts tão completos sobre como é a vida nos EUA.


    Executivo Pobre tenho uma dúvida e gostaria da sua opinião (se possível).


    Fiz uma bolada com cryptomoedas, comprei um lote grande em 2015 e hoje com a cotação atual tenho perto de 500 mil dólares. Bom o problema é que não quero converter para real e muito menos declarar esse montante para esse desGoverno.

    Meu sonho sempre foi morar nos EUA, não suporto mais morar nesse país e também tenho medo de ficar aqui porque o Brasil está se encaminhando para um comunismo/socialismo.

    Bom com esses 500 mil dólares já me dariam uma grande ajuda caso imigrasse, só que não tenho visto de trabalho e nem de estudante, e muito menos de investidor. Meu plano era imigrar ilegalmente e converter os cryptoAssets nos EUA, mas tenho receio de fazer isso porque não é um dinheiro declarado.

    Será que pode dar algum problema caso eu faça isso? Por exemplo se eu imigrasse para os EUA e criasse uma conta em um banco e usasse uma corretora gringa para transferir uns 300mil dólares para minha conta. É viável fazer isso?

    E também gostaria de saber sua opinião sobre meu caso. O que você faria no meu lugar?

    Abraço



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc é doido. QQ corretora ou banco lá é FDIC/FINCEN/FACTA aderente. Vc não pode colocar 1 dolar sem declarar ao IRS ou te bloqueiam e vc perde tudo além de tomar uma multa e até cadeia em alguns casos se tiver indicio de lavagem.
      Faz isso não. Brasil sempre foi isso cara, não melhora e nao piora...melhor ficar aqui livre do que lá na cadeia!

      Excluir
    2. Olá Anon, se me permite gostaria também de comentar sua estratégia. Não acho que seria indicado vc ir ilegal pra lá - EP e outros comentaram que existe grande desconfiança do americano com o estrangeiro, e isso, somado às políticas mais rígidas contra imigrantes poderiam afetar de maneira irreversível seus planos de se mudar. Por outro lado, se vc pudesse extrair uma forma de renda passiva (talvez em forma dividendos de empresas boas), uma possibilidade seria se tornar um "estudante eterno" com o visto F. Ah e também leve em consideração nos seus planos que o IR deles sobre dividendos é alto (30%).

      Excluir
    3. Ola pessoal - tudo bem ? Ao anon das criptomoedas, eu nao sou fã desse tipo de investimento (nao considero um investimento na verdade) mas com certeza tem colegas que estão investindo e poderão comentar um pouco melhor sobre o tema. Do pouco que sei, uma das qualidades proclamadas por quem é fã da tecnologia é exatamente o fato de voce poder movimentar as moedas sem declarar para o governo.

      Esquecendo um pouco o lado das criptomoedas e indo para o lado patrimonial, com USD500K voce pode aplicar para o visto investidor nos USA (visto EB-5). Eu tentaria esse caminho pois é mais rapido (claro que voce vai ter de converter suas criptomoedas em dinheiro real e justificar de onde veio esse valor para o governo americano).

      Eu nao iria ilegal de forma nenhuma. Eu sei que varias pessoas foram e tiveram sucesso, porém varias pessoas foram, construiram algum patrimonio e foram deportadas, perdendo tudo o que construiram.

      Talvez valha a pena voce ir convertendo as criptomoedas aos poucos e pegar um montante e ir como turista (se voce tiver sorte, o agente de imigração vai permitir que voce fique por lá por até 6 meses como turista). Aproveite o tempo para conhecer a cultura e melhorar o idioma (acredite em mim, por melhor que voce fale é diferente quando voce vai viver no local).

      Depois disso, volte ao Brasil e verifique com os especialistas como voce pode converter suas criptomoedas em dolares. Eu realmente nao tenho como ajudar nesse ponto - mas considere também o pagamento de impostos. Com USD500K, se voce pagar 20% de ganho de capital, ainda teria USD400K totalmente limpos. É um valor mais do que consideravel para pensar em imigrar.

      Um grande abraço,

      Excluir
  10. Olá EP.
    Boa sorte em sua mudança. Minha experiência com os EUA é limitada, morei um ano como intercambista na adolescencia, e na época realmente a diferença cultural era notável, mas nada intransponível. Porém o que mais me chamou atenção foram meus colegas que foram em "aventuras" similares à sua (não tão organizadas...). Todos voltaram ao Brasil, nenhum se estabeleceu por lá em definitivo, e ainda mais voltaram sem nenhum dinheiro.
    Acho que isso ocorreu pelo lifestyle inflation americano. Fácil se impressionar com a acessibilidade de comprar uma BMW novinha e cair nessa corrida de ratos...
    Boa sorte e mantenha o foco, seu e da família.
    Um abraço
    Leandro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Leandro - tudo bem ? Eu nao tive oportunidade de fazer intercambio. Eu invejo muito as pessoas que conseguiram porque era algo que eu queria muito ter feito. Estou planejando para que meu filho faça isso quando ele for adolescente.

      Eu também tenho diversos colegas que foram aos USA (e também alguns paises europeus) e voltaram ao Brasil. A grande dificuldade relacionado aos USA é o Green Card para poder ter a residencia permanente.

      Se nao consegue o Green Card, voce tem de voltar ao Brasil ao termi no do seu visto (05 ou 07 anos, dependendo do tipo de visto L1 que voce conseguir). Eu estou me planejando para retornar no periodo de 05 anos (sempre considerando o cenario mais pessimista).

      De qualquer forma, nós combinamos (A Sra EP e eu) que nao retornaremos ao Brasil após o periodo de 05 anos (caso nao consiga o Green Card) e vamos para Europa para fazer uso da minha cidadania portuguesa (acabei de fazer a solicitação e nos proximos 03 a 05 meses devo me tornar um cidadao europeu).

      É muito facil se perder em relação ao dinheiro nos Estados Unidos. Estamos falando do pais que basicamente inventou o consumo em massa e a classe media. Eles sabem como fazer voce abrir a carteira e gastar dinheiro.

      Por esse motivo, estou reservando um valor até alto para os padrões de pessoas que estão buscando a IF, apenas para gastos com passeios/viagens. Sei que é algo que vou querer fazer para aproveitar o tempo livre e reduzir o stress que sei que vou ter em outras areas da vida (é dificil voce ter de recomeçar tudo de novo, tirar todos os documentos, etc...)

      Ainda assim, tenhi possibilidade de aportar USD35K/ano; mas considero somente USD30K/ano, tendo então USD5K de reserva para aportes ou gastos imprevistos. Se utilizar esses USD5K para viajar/passear, eu teria então USD11K/ano para essa finalidade (USD6K ja previsto no orçamento + USD5K extras).

      Espero conseguir me controlar e gastar bem menos do que isso.

      Um grande abraço,

      Excluir
    2. Discordo que o motivo é green card. Conheco várias pessoas com cidadania já que conseguiram na época do bill clinton de volta aqui em Valadares. Cultura é muito diferente e a discriminação agora em temps de Trump ficou muito clara. Te rejeitam em creche, escola e varios outros lugares pq vc é estrangeiro (alegam que nao tem vaga claro pq nao podem dizer diretamente caia fora estrangeito embora alguns falam).
      Além disso o imposto te come uma perna, vários americanos estao renunciando cidadania para fugir do IRS e indo pra europa. Sonho americano já era e logo EP vai ver isso

      Excluir
    3. Ola anon 13:31 - tudo bem ? Nao entendi sua colocação. Pelo que voce comenta que tem varias pessoas com Green Card que voltaram ao Brasil, voce quer dizer que eles voltaram nao porque estavam sem Green Card e sim porque sofriam discriminação por lá ?

      Se for isso, eu concordo com o que disse. Infelizmente, é comum o ser humano tentar isolar os que eles consideram diferentes. Somente um ponto do que voce comentou é muito estranho - eles recusarem vaga em creche ou escola. Isso é proibido por lá desde 2002.

      Nao importa se voce está legal ou ilegal, existe o No One Behind Act que é uma lei que diz que nenhuma criança pode ficar fora da escola. Claro que creche nao faz parte do sistema e eles podem recusar receber qualquer criança; mas nas escolas eles nao podem fazer isso e me parece improvavel que alguma escola o faça porque o imigrante (legal ou ilegal) pode entrar na justiça e ser reparado, inclusive com indenizações em dinheiro.

      Eles nao podem alegar nao ter vaga - se voce mora naquele distrito, a escola tem de receber a matricula do seu filho. Isso é muito claro e praticado nos USA.

      Quanto ao imposto, tenha certeza de que o imposto é mais alto aqui no Brasil e voce ve menos resultado do seu dinheiro, ja que de cara eu teria de pagar uma escola particular para meu filho.

      Os americanos que renunciam a cidadania fazem isso para pagar menos imposto, mas nao quer dizer que o imposto de lá é absurdo. A carga tributária é proxima de 25%, bem abaixo da nossa carga tributária. O problema é o imposto sobre herança e sobre grandes fortunas, que afastam os milionários.

      Como mencionei na postagem sobre atualização patrimonial - eu nao vivo o sonho americano. Nao estou deixando o meu pais para tentar ganhar a vida nos USA. Eu tenho um bom emprego aqui, uma boa renda e um certo patrimonio. Estou indo para os USA porque apareceu uma oportunidade profissional, além da experiencia de viver em outro pais.

      Voce pode ate ver pelo meu orçamento que meu foco lá nao é aportar tudo o que conseguir. Deixei uma parte ate generosa para passeios, pois pretendo conhecer o pais.

      O meu sonho é na verdade europeu, pois é onde pretendo usufruir da minha IF através da minha cidadania portuguesa.

      Um grande abraço,

      Excluir
    4. EP, é isso sim.
      Cara vc acha que todos cumprem a lei só pq é EUA? Eles nao podem discriminar diretamente mas eles sempre acham um jeito de dar uma desculpa para emcobrir isso. Se vc ta indo pra lá achando que isto é diferente do Brasil vai quebrar a cara. Lé é pior só que muito bem maquiado pelos republicanos !!
      Muitos que vao tentar a vida lá - como eu ja fiz legalmente e me arrempedi - não tem a minima ideia do que vao enfrentar.
      Se seu sonho é morar na europa ai sim concordo, lá eles tem a cabeça muito mais aberta, cultura é mais parecida com a nossa, mas EUA meu amigo é pura ilusao. Logo vai ver..deixa dar uns meses por lá e vai lembrar no Anon de Valadares! abcs

      Excluir
    5. Ola anon de Valadares - tudo bem ? Eu nao tenho a menor duvida de que os Estados Unidos também tem seus problemas e que nem sempre as leis sao respeitadas. Nao tenho nenhum tipo de ilusao na Terra do Tio Sam. Estou indo para lá por uma oportunidade profissional e de experiencia de vida; nao estou tentando viver o sonho americano.

      Mas a minha experiencia trabalhando em multinacional americana (no passado) com centenas de colegas indo viver nos Estados Unidos e todos os contatos de colegas vivendo lá atualmente, eu nunca tive um unico relato de terem problema para matricular filhos na escola. Em tudo o que disse, apenas isso me causou um pouco de surpresa. Com certeza sua experiencia foi incomum baseado no que vi ocorrer com literalmente centenas de pessoas transferidas dos mais diversos paises para os Estados Unidos e ninguem enfrentou essa dificuldade. Espero que eu também nao tenha esse problema.

      Um grande abraço,

      Excluir
  11. Interessante, EP. Pensei que fosse muito mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Enriquecendo - pensou que fosse muito mais despesas ou muito mais aportes ? rsrsrs

      Um grande abraço,

      Excluir
  12. Muito bom !!! essa última série de posts sua está sendo bem didático, haja network para conseguir essas informações né? rsrsrs não é fácil achar essas coisas assim pela Internet, até acha, mas deve dar um trabalhão para consolidar..

    Ativa o Ad-Sense ai no blog, assim você ganha uns troquinhos por toda essa dedicação que está em nos explicar !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola SP - tudo bem ? Que bom que o pessoal esta gostando dessa serie de postagens. Também estou aprendendo e me preparando para a mudança atraves dos estudos e conversas que estou tendo.

      Os colegas que mantenho contato e ja moram por lá há algum tempo me ajudam bastante com as informações de custos; mas na internet é possivel encontrar muitos relatos de coisas positivas e negativas dessa experiencia.

      O segredo de uma rapida adaptação e controlar as expectativas e ter a mente aberta para o novo. Nao pode ir achando que por ser Estados Unidos vai ser melhor ... tem muitas coisas que eles sao mais atrasados, mais burocraticos, mais complicados ... rsrsrs

      Além disso, também tem de estar preparado para um ambiente de trabalho diferente e mais agressivo. As pessoas que nao estão acostumadas em trabalhar em ambientes multi-culturais podem ter essa dificuldade ampliada. Mas é sempre um choque pois eu me lembro a primeira vez que um chefe americano me cobrou sobre um trabalho - eu achei que seria demitido, porque ele me cobrou muito diretamente, apontando as falhas e erros do meu trabalho. Depois eu percebi que isso faz parte da cultura americana e nao é igual a cultura latina onde em uma cobrança nao é esperado que se destaque de forma ostensiva os erros cometidos.

      Nunca pensei em ativar ad-sense e para falar a verdade nem sei bem como funciona. Nao tenho muitos acessos, mas vou me informar melhor sobre como funciona porque uns trocados em dolares já paga o "Lego" do Estagiário Pobre ... rsrsrs

      Um grande abraço,

      Excluir
  13. Olá EP. Muito bom seu blog e em especial, esse texto sobre orçamento mensal nos EUA. Sei que existe muita diferença de custo de estado para estado, principalmente com Housing. Mas gostaria de tirar algumas dúvidas com vc, até porquê, também estou pleiteando uma transferência pela minha atual empresa e tenho tido muitas incertezas em relação a custo.
    1- Custo de US$ 120,00/mês com combustível. Isso é para apenas 1 carro? Sabe quantas milhas vc percorre por mês com esse valor?
    2 - Custo de US$ 150,00/mês com seguro auto. Isso é para apenas 1 carro?
    3 - Custo de US$ 500,00/mês com compras (Groceries). Isso é para família toda? Cobre o mês inteiro ou é necessário fazer compras adicionais?
    Muito obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - tudo bem ? Muito obrigado pela visita e comentário. Espero que sua transferencia de certo e que possa aproveitar a experiencia.

      Em relação a sua pergunta 1 e 2 - os custos sao relacionados a apenas 01 automovel. Eu nao pretendo ter um segundo carro por lá. No local onde vou morar com 120 dolares voce consegue abastecer 3,5 tanques e dependendo do consumo do carro que voce escolher, dá para voce rodar bastante - considerando cada tanque com cerca de 17 galões, se voce escolher um carro que faz 18 a 20 milhas por galão - dá pra voce rodar cerca de 340 milhas por tanque. Considerando 3 tanques por mes, isso daria 1.020 milhas ou 1.632 Km - creio que nao utilizarei mais do que isso, pois no dia a dia pretendo ir trabalhar de bicicleta e o carro será para uso no final de semana para pequenas viagens e passeios.

      A pergunta numero 3 considera o custo de mercado para a familia toda; mas vale lembrar que minha familia é a Sra EP e eu. O Estagiario Pobre ainda é bem pequeno e só consome leite materno. Esse valor cobre o mes todo, mas depende do seu padrão de consumo - eu considerei consumir o mesmo que consumo atualmente no Brasil. Se voce entrar nos sites dos supermercados americanos, voce consegue verificar os produtos e ter ideia do que gastará por lá para ter um consumo similar ao do Brasil.

      Um grande abraço,

      Excluir
  14. Bom dia, EP.
    Gostei muito do seu blog. Você já está nos USA? Eu estou atualmente avaliando a possibilidade de me candidatar a uma posição para NY state pela companhia em que já trabalho. Se você puder compartilhar suas experiências inicias aí, seria de grande valiar. Mais vez, parabéns pelo blog. Ass.: BP

    ResponderExcluir
  15. Boa noite EP, estou aposentada e mknha filha americana está pedindo o gren card para mim. Você sabe me informar sobre a tributação de IR que terei que pagar pelos meus investimentos bancários no brasil e pelas minhas receitas vibdas das aposentadorias?
    Adorei seu blog e te desejo muito sucesso lá

    ResponderExcluir