quinta-feira, 23 de junho de 2016

Executivo Pobre - Quem Sou Eu ?

Olá Pessoal - tudo bem ? 

Apesar de não estar postando com muita frequencia devido a uma viagem que tive de fazer e também dos compromissos no trabalho e nos estudos, eu venho acompanhando bastante as postagens dos colegas e vi que vários deles fizeram postagens contando um pouco da sua história. Eu achei muito legal eles terem deixado um pouco de lado o medo de perder o anonimato e dividir um pouco mais de informação com o pessoal que nos acompanha. Hoje, por curiosidade, eu verifiquei que tenho uma média de 10.000 acessos por mês no blog !!! Já pensou ??? São mais de 300 pessoas por dia que lêm coisas que eu escrevo (e eu nem tenho tempo para escrever tanto assim), então acho justo que essas pessoas saibam um pouco mais sobre mim, assim como eu também adoraria saber um pouco mais sobre elas.

- Eu sou o filho primogenito de uma familia com três filhos (tenho um irmão e uma irmã). Minha ascendencia paterna é catalã e as tradições familiares sao mantidas até com uma certa rigidez. Sou filho de um pai profissional liberal (comerciante) e minha mãe trabalhou no setor administrativo de uma empresa até o nascimento da minha irmã, depois disso acabou se dedicando a cuidar da casa.

- Devido a sua profissão, meu pai não tem uma renda estável e por este motivo nós tivemos periodos de bonança e periodos de vacas magras. Posso dizer que do meu nascimento até os 10 anos de idade tinhamos uma condição financeira muito boa e dos 10 anos até os meus 25 anos foi uma fase muito dificil, financeiramente falando, devido a uma doença que debilitou bastante meu pai e o impediu de trabalhar e minha mae também teve de ficar cuidando dele. Desta forma, além de não ter rendimentos pois nao conseguia trabalhar, ainda fomos obrigados a dilapidar o patrimonio adquirido para poder sobreviver. Depois desta fase, meu pai se restabeleceu em termos de saude e também se recuperou financeiramente através do seu trabalho e acabou reconstruindo seu patrimonio, não sem muita dificuldade.

- De forma geral, eu tive uma adolescencia sem muitos luxos (devido a condição financeira do meu pai), estudei sempre em escola publica e comecei a trabalhar bem cedo para os padrões atuais - comecei a trabalhar com 14 anos como aprendiz do SENAI. Ainda assim, tenho algumas boas lembranças de amizades que construi e tenho até hoje boas recordações e experiencias como acampamentos com amigos escoteiros, treinamentos e partidas de futebol, empinar pipas, andar de bicicleta e muitas outras brincadeiras.

- Depois que meu pai ficou doente e os medicos recomendaram mudança de cidade para evitar stress e procurar um ambiente mais calmo, eu acabei sofrendo bastante no sentido de preconceito. Como não tinhamos dinheiro, os colegas da escola acabavam me humilhando bastante (principalmente nesta fase que querem impressionar as garotas e acabam usando de crueldade para se impor sobre os demais); e ainda por cima, eu sempre usava roupas mais velhas e nao tinha dinheiro para excursoes, lanches na escola, formaturas, roupas, video game, brinquedos, etc ... 

- Sempre tive facilidade nos estudos, muito graças ao habito de ler que cultivei desde muito cedo. Sempre ganhava revistas em quadrinhos dos meus avós e adorava ler, isso me ajudou muito na escola e nunca tive muitas dificuldades em tirar boas notas e acabava me destacando na turma, o que era mais um motivo para os colegas ficarem pegando no meu pé. 

- Quando fiz 14 anos comecei a trabalhar como menor aprendiz após fazer um curso no SENAI. Comecei como aprendiz de inspetor de qualidade em uma industria metalurgica e isso foi uma verdadeira escola para mim. O ambiente de camaradagem no chão de fabrica é muito grande e voce percebe como é a vida de verdade, os caras dividem até o pao com manteiga, a mistura da marmita, tem muito cara gente boa trabalhando por ai, muita gente antiga que te ensina se voce for uma pessoa humilde e com vontade de aprender. 

- E, claro, tem também muito fdp querendo subir a qualquer preço e puxando o tapete de todo mundo. Ja neste meu estagio tinha um camarada que aprovou um lote de peças não conformes e quando o lote de peças foi rejeitado no cliente ele foi até o relatório de inspeção que ele tinha assinado e jogou fora. Então, ele criou um relatorio novo, colocou valores aprovando as peças e assinou com o meu nome. Só não me compliquei porque olharam o registro de ponto e viram que no dia que o relatório foi feito eu  nao estava na empresa: como eu era menor aprendiz eu trabalhava das 13:00 as 18:00 horas e o relatório tinha sido feito as 11:23 horas (fiquei tão puto que lembro até hoje do horário).

- Quando chegou a época de prestar vestibular, meu pai ainda estava doente e minha familia estava em situação bem dificil (somente eu trabalhava, pois minha mae precisava cuidar do meu pai) a ponto de morarmos de favor em uma casa do meu avô e uma tia nos ajudar com uma cesta básica (nesta época, meu sonho de consumo era poder pedir uma pizza de lombo canadense com catupiry...rsrsrs); então fazer faculdade era uma coisa impensável, mas mesmo assim meu pai e minha fizeram questão que eu prestasse o vestibular. Eu me inscrevi na faculdade publica mais próxima (nao tinha dinheiro para fazer faculdade particular) e para minha surpresa, eu fui aprovado nas primeiras colocações. Me lembro da alegria da minha mae ao ver meu nome no jornal, na lista de aprovados. Ela guarda o jornal até hoje e minha tia que ajudava com a cesta básica também tem um exemplar do jornal guardado. 

- Quando comecei a faculdade vi que a coisa estava mais complicada que eu imaginava pois o fato de trabalhar nao me deixava muito tempo para estudar e eu nao conseguia acompanhar as materias direito. Conversei com os professores, procurei ajuda de monitores, frequentava biblioteca, corri atras de verdade para recuperar o prejuizo e consegui passar nas materias (algumas passei raspando....rsrsrsrs). Arrumei um trabalho para complementar a renda, pois precisava comprar livros, xerox, alimentação, transporte para faculdade, etc.... Fui trabalhar de garçom em um boliche que tinha aberto na cidade e permitia complementar a renda - então eu estudava de manha, trabalhava na empresa no segundo turno até as 22:00 hs e depois ainda tocava no boliche para ganhar uns trocados. Essa foi a epoca mais complicada, pois dormia poucas horas e sempre em periodos curtos de duas horas nos intervalos.

- Quando estava no terceiro ano de faculdade, eu consegui arrumar um estagio na area de Engenharia Mecanica (nao sei se mencionei, mas esse é o curso que eu me graduei) e a bolsa era bem melhor, entao consegui deixar o emprego de garçom e minha carga horaria ficou bem mais acertada. Comecei a trabalhar com projetos, aprendi a desenhar em Autocad e outros softwares de desenho e comecei a me envolver com processos de produção.

- Quando me formei, minha familia voltou para São Paulo (cidade onde nasci e cresci) e eu deixei a empresa onde estava fazendo estagio pois eles nao tinham vaga para me efetivar. Pela primeira vez fiquei desempregado e comecei a procurar emprego. Mandei diversos curriculos, fiz diversas entrevistas, dinamicas e nada. Depois de quatro meses eu ja estava ficando bem desesperado ate que uma empresa me chamou para uma entrevista e a recrutadora foi muito bacana; ela deu varias dicas de como formatar o curriculo, de como colocar palavras-chave, de como mencionar experiencias e resultados, de como explicar experiencias para pessoas que nao sao de areas tecnicas, etc... e me encaminhou para entrevista com o gestor. O gestor era um cara muito legal e simpatizamos logo de cara, eu queria muito trabalhar com ele e falei isso, disse que precisava muito do trabalho mas que alem disso eu tinha simpatizado com ele e seria um prazer trabalhar com um cara bacana e ele me contratou. Até hoje foi o melhor chefe que eu tive e me ensinou muita coisa. 

- Depois de quatro anos nesta empresa, surgiu uma oportunidade em outra empresa (um amigo recebeu uma oferta e depois de tres meses ele também me convidou para ir para lá) para ganhar bem mais do que eu ganhava e eu acabei aceitando. A experiencia foi importando, pois era uma empresa onde só falava ingles (tive um chefe indiano e outro americano; ou seja, ingles 10 horas por dia) e as minhas habilidades no idioma melhoraram muito; além da oportunidade de viajar para outros paises e assumir a coordenação de projetos globais, que sempre ajudam bastante no curriculo. Tambem aproveitei para obter ajuda de custo nesta empresa para fazer um MBA.

- Depois de 08 anos nesta empresa, senti que era o momento de mudar. Meu antigo chefe estava na berlinda (a ponto de ser demitido) e como eu era muito proximo dele, fatalmente eu seria demitido também. Então, decidi me antecipar e voces acompanharam o processo no blog e mudei para uma empresa do setor de energia eolica onde estou ha quase dois anos. Ate o momento as coisas estão favoraveis e estou concluindo o mestrado que vai abrir um pouco mais o leque de oportunidades profissionais.

- Em relação ao lado pessoal, eu sou casado - nao tenho filhos. Casei relativamente novo, quando tinha 25 anos. A Sra Executiva Pobre é uma velha conhecida, as nossas familias se conhecem desde muito antes de a gente nascer (para terem uma ideia, existe uma foto de eu ainda bebe no colo da minha sogra) e minha mae conhece meu sogro desde criança e assim por diante. A Sra Executive Pobre vem de uma familia pobre e também passou por dificuldades financeiras, nao é apegada ao dinheiro e cumpre o nosso orçamento a risca. Ela se formou na area da saude, fez mestrado e acabou de concluir o doutorado. Agora esta aguardando o resultado da bolsa de pos doutorado que se nao for aprovada, provavelmente ela ira lecionar durante um tempo enquanto prepara a documentação para solicitar bolsa para o pos doutorado fora do Brasil.

- O nosso plano daqui para frente como voces sabem é ir acumulando ativos geradores de renda passiva para depender cada vez menos dos respectivos empregos; ir aproveitando as ferias com as merecidas viagens pois conhecer o mundo, diferentes lugares, pessoas e culturas é um objetivo de vida que a independencia financeira ira possibilitar.

Acho que é isso pessoal !!! Tentei mostrar um pouco mais de quem é o Executivo Pobre e um pouco mais da minha trajetoria de vida. Claro que tudo muito resumido, mas ficarei feliz de responder o que voces quiserem saber nos comentarios.

Um grande abraço a todos.

41 comentários:

  1. Olá Executivo

    Muito bacana e inspiradora a sua história, você tinha tudo para desanimar e virar um mero peão de fábrica mas não desanimou e está vencendo. Meus parabéns, de verdade.

    Agora, aproveitando a sua experiência de vida gostaria de lhe pedir um conselho, lá vai...

    Possuo formação acadêmica e atualmente estou empregado porem descontente. Digo isso porque a empresa em questão não me oferece boas oportunidades de carreira, pelo menos na região em que ela atua apesar de ser uma multinacional. Eu até teria sim, mas teria que ter disponibilidade total para mudança de cidade e esse não é o meu objetivo. Quero ficar aonde moro.

    O ponto é que, diante destas circunstancias limitantes estou preso em um cargo com um baixo salário sem perspectivas de crescimento. No momento estou pensando em procurar alguma outra ocupação de preferencia em uma empresa grande mas com sua produção instalada em um só local pois assim as chances de crescer dentro dela na minha visão se tornam mais reais pois por estar centrada em um unico local os departamentos existentes são diversos.

    O que me preocupa no entanto é essa crise. Claro que não preciso sair da onde estou sem antes encontrar tal ocupação porem o meu maior medo é de nao estar preparado para dar conta de um cargo mais elevado ou mesmo diferente do que já estou habituado e ficar chupando dedo no final das contas. Uma coisa é voce estar a 5 anos em uma empresa e já estar acostumado com a rotina e os processos, isso nos deixa comodos, porem inertes no que tange o desenvolvimento profissional. Outra coisa é começar em outra empresa tudo do zero ganhando até menos devido ao tempo de casa mas se desenvolver profissionalmente com o risco de nao se habituar a nova situação.

    Complicado eu sei... mas na sua visão, se fosse com voce... o que faria?

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Mestre dos Centavos - tudo bem ? O fato de estar empregado neste momento é uma coisa muito boa; mas eu sei bem como pe trabalhar descontente. Isso atrapalha demais e as vezes chega a um nivel que é insuportável. Não sei se é esse o seu caso, mas se ainda nao chegou lá eu recomendo que espere um pouco mais e continue no seu emprego atual e vai acumulando um pouco mais de patrimonio e tambem de FGTS para poder trocar de emprego com mais segurança no momneto de retomada da economia.

      Quanto a procurar emprego, isso nunca é um problema e eu recomendo a todos que sempre fiquem de olho no mercado, esteja empregado ou não. Nunca se sabe quando uma boa oportunidade pode aparecer e nao se paga nada para enviar curiiculos e participar de entrevistas; mas o fato de nao querer mudar de cidade vai te limitar bastante. Eu nao sei onde voce mora, mas se não é em um grande centro com certeza voce terá poucas oportunidades com salários realmente acima da média.

      A fluencia em idioma e mobilidade sao dois fatores primordiais para evolução de carreira nas corporações multinacionais. Os maiores aumentos que tive foi quando topei passar uma temporada na Coreia do Sul e quando passei uma temporada no Sul do Brasil implantando um projeto. Nos dois casos, eu fiquei longe da familia e priorizei a carreira - sei que é uma decisão dificil, mas é algo a se pensar.

      Um grande abraço,

      Excluir
    2. "A empresa em questão não me oferece boas oportunidades de carreira, pelo menos na região em que ela atua apesar de ser uma multinacional. Eu até teria sim, mas teria que ter disponibilidade total para mudança de cidade e esse não é o meu objetivo. Quero ficar aonde moro."

      A diferença entre um vencedor e um perdedor pode está bem ai nessa parte. Veja tudo que o executivo passou. Mudar de cidade seria um sacrifício leve comparado com o que os grandes vencedores passam.
      "Grandes conquistas dependem de grandes sacrifícios".

      Mestre. Na situação que vc se encontra, com um patrimônio tao baixo e sem perspectiva, não deixaria jamais uma oportunidade dessas.

      O nosso psicológico inventa mil desculpas para evitar uma mudança. Vencer essa barreira é necessário pra quem deseja crescer.

      Abraço

      Excluir
    3. Estou de acordo com voce anon,

      Não há vitórias sem sacrifício. O medo da mudança e do desconhecido realmente atrapalha e muito quem quer crescer mas tem estes obstáculos a frente. Preciso passar por essa barreira!

      Obrigado pelo comentário.

      Abraço!!!

      Excluir
    4. O anon está certíssimo. Centavos, esqueça isso de "não sei se sou capaz de fazer". Você aprende tudo cara. Pesquisa no YouTube, faz cursos, pergunta, diz que nao sabe, mente que sabe... Sempre busque um emprego melhor.

      Excluir
    5. Obrigado pelo conselhor CF.

      Abraço

      Excluir
    6. sua sorte q sua mulher tem estudo e n quer enche a casa de filho.

      Excluir
    7. Acho que mais do que ter estudo, a minha sorte é que ela passou por dificuldades (inclusive financeiras) bem parecidas com as minhas. Isso faz a pessoa perceber o valor do dinheiro. Hoje em dia, vemos muitas pessoas mimadas por ai, que querem tudo na mão e sem fazer o menor esforço - temos de tomar cuidado com esse tipo de pessoa .... se casar com uma mulher assim e passar por dificuldade financeira, voce nao vai ter nenhum tipo de apoio, muito pelo contrario. Provavelmente, ela vai te afundar ainda mais.

      Por isso é importante antes de assumir um relacionamento, tomar as devidas precauções em relação a parte patrimonial. Se der errado, cada um pega o que é seu e sai andando. Se der certo, nao sera preciso dividir nada.

      Um grande abraço,

      Excluir
    8. não sei se foi no seu blog que eu li um artigo falando sobre algumas dicas, e uma delas era sobre a pessoa com quem vc vai passar boa parte de sua vida juntos, sobre ela ter as mesmas perspectivas que vc (sobre dinheiro, educação etc).
      eu sofri uma vez muito pois tinha umanamorada que na minha visão era interesseira, enquanto eu trabalhava numa multi e ganhava razoavelmente bem para meu estágio na carreira, enquanto eu podia leva-la para restaurantes, hoteis, cidades, comprar presentes bacanas, tudo bem,, mas quando eu falei pra ela que ia sair do job pra procurar outra coisa e que no meioperíodo iria ficar sem sair muito, ela concordou e diz que entendia, porém quando as coisas pioraram e eu não conseguia nada e minhas reservas se acabaram foi aí que conheci a verdadeira mulher com quem eu estava. pouco tempo depois ela terminou comigo por e-mail. outra coisa, enquanto eu pensava em casar com ela, ela deixava claro que só casaria com alguém que já tivesse uma casa, carro, trabalho estável etc.

      hoje tenho trauma com isso. certa feita uma pessoa me referenciou para uma mina que eu já tinha ouvido falar, já sabia que era interesseira. não sei o que a pessoa que me indicou pra ela falou mas só sei que essa pessoa falou que a tal queria me conhecer... interesseira na certa. na cabeça dela eu tenho muito dinheiro kkkk não tenho e nem saiodizendo quanto tenho. ainda bem que sou fei e ela quando viu meu a foto whats perdeu o interesse kkkkkk

      Excluir
  2. Bacana a história

    OBS: Sem querer ser chato, só pra comentar mesmo: engenharia mecânica, assim como outros títulos, ramos e profissões (médico/medicina, advogado/advocacia, analista, corretor, professor, etc.) não possuem letras maiúsculas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola anon - obrigado pela dica. Eu realmente nao sabia disso, preciso até olhar meu curriculo, linkedin, etc... acho que está tudo escrito com letra maiuscula. Obrigado pela dica.

      Um grande abraço,

      Excluir
  3. Baita exemplo de vida pois teria tudo pra estar diferente, mas não deixou os obstáculos te derrubarem. Sempre teremos dificuldades na vida seja uma doença, períodos de crise financeira, chefes malditos, carga horaria estressante, problemas na família/relacionamento, etc e é exatamente nessa hora que testamos nossa persistência, nossa força de vontade em superar todas essas dificuldades em busca de dias melhores!

    abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gaucho Pobre - tudo bem ?

      Eu tenho grande exemplo no meu pai. Ele teve uma vida bem mais sofrida do que a minha. O meu avo, que é imigrante catalão, chegou no Brasil sem nada e meu pai começou a trabalhar com 06 anos vendendo panelas de porta em porta. Contruiu um bom patrimonio e ajudou os irmaos e meu avô; depois ficou doente e perdeu tudo. Quando se curou da doença, reconstruiu o que tinha com muito trabalho, mas começou de baixo pois nao tinha capital para reiniciar o negocio, então começou comprando sucata e revendendo para uma empresa. Este tipo de historia acaba nos influenciando e ajuda a manter a motivação.

      Um grande abraço,

      Excluir
  4. Olá EP.

    Muito bacana conhecer sua história e como conseguiu superar os obstáculos.

    Lendo sua história vi partes muito parecidas com a minha própria, que também envolve superar adversidades, estudar bastante e correr muito atrás para conseguir uma boa posição no mercado de trabalho.

    Eu também não me contentei em ser somente mais um, eu sempre quis buscar um emprego que pagasse mais.

    A diferença que vi é que você foi ainda mais corajoso e mudou de empresa duas vezes (se errei, desculpa, pois li ontem a noite estou comentando hoje de manhã), eu mudei de setor dentro da minha empresa, e por gostar muito do ambiente e da empresa em si, acabei ficando por aqui mesmo, e nem lembro a última vez que olhei vagas externas.

    Já passei por estes problemas de colegas que tentam nos prejudicar: Eu era muito esforçado e correto, e um grupo de outros jovens contratados me excluiu, faziam de tudo para me prejudicar, foi uma fase bem ruim, mas tive também um excelente gestor que conversou muito comigo e me fez amadurecer.

    No setor atual, este tipo de coisa não acontece, também tenho função mais gerencial, então são ‘outros ares’.

    Também passei pela fase da falta de sono, pois acordava tipo 05:40 e ia dormir 00:00 / 00:30, quando tinha algum trabalho da faculdade dormia 01:00 / 01:30 ...

    Achei muito boa sua história, vários pontos comigo, e desejo sucesso e que você continue crescendo sempre.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal VdC - sabe que gosto muito do seu blog.

      Inclusive, parte do meu plano de IF quando atingir 500K investidos é começar a construir casas para revender. Meu pai também fez isso no passado e teve um retorno interessante, acho que vai ser algo bem bacana que pode alavancar resultados no longo prazo. Existem algumas cidades que tem uma demanda atrativa como Jundiai, Vinhedo, Indaiatuba, Sorocaba, Boituva - para falar de algumas que conheço.

      Falando da mudança de empresas, eu acredito que esse é o caminho mais rapido para aumento de salario. É quando voce consegue negociar mais facilmente o seu salario, entretanto, existe um risco alto atrelado a este movimento. Ate o momento foram taticas que deram certo, mas nao existe estabilidade na iniciativa privada e posso ser mandado embora a qualquer momento (alias, quase fui mandado embora diversas vezes).

      Minha experiencia no setor gerencial é oposto a sua - quanto mais alto o cargo, mais gente querendo puxar o tapete, mais cobras querendo te "matar". Hoje mesmo tenho uma reunião com um diretor e com uma gerente doida que esta querendo discutir a relação comigo e fez diversas reclamações (precisei até chamar testemunhas - depois conto melhor esta historia).

      Um grande abraço e desejo sorte para voce na venda das casas.

      Excluir
  5. Excelente história de vida EP!

    Muito inspirador. As nossas histórias tem muitas diferenças mas também muitas semelhanças. Atribuio a isso o fato de recebermos de nossos pais valores tão fortes que superam qualquer dificuldade.

    Gostei muito da trajetória na carreira, menor aprendiz, garçon, poucas horas de sono. Estas coisas trazem uma bagagem de valor inestimável. Me preocupo muito se vou, algum dia, conseguir passar a essência disso para minhas filhas.

    Se puder detalhe mais um pouco sobre sua situação atual, idade, patrimônio e seus planos futuros!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá EI - tudo bem ? Eu também acredito que os valores que recebemos de nossos pais contam muito. Uma breve historia que me recordo muito foi uma vez que vi um tio meu, na epoca com 28 anos, reclamando que a comida da minha vó estava um pouco salgada (estava mesmo). Meu avô se levantou da mesa, pegou o prato do meu tio e colocou na pia, voltou e sentou no lugar dele e continuou a comer. Meu tio disse que estava com fome e meu avô falou que quem está com fome não reclama e que ele só poderia reclamar de algo se ele fizesse e como ele não tinha feito a comida ele nao poderia reclamar e naquele caso, também nao iria comer para aprender a respeitar o trabalho da minha avó em cozinhar para toda a familia.

      Eu sempre trouxe isso comigo e se não sou eu que faço algo, eu nunca reclamo. Assim como não admito que reclamem de algo que eu fiz. Acho que sao valores importantes para a vida.

      A respeito da minha situação atual, como eu disse sou casado, sem filhos, tenho patrimonio de 188K de acordo com o ultimo ranking do amigo pobretão, tenho outros investimentos em moeda estrangeira pois pretendo viver fora do pais, plano imediato de atingir 200K até o final do ano, ja tive oportunidade de conhecer diversos paises (Espanha, Argentina, USA, Luxemburgo, Coreia do Sul, Holanda, Belgica, França, Alemanha, Inglaterra), estou no meio do processo de cidadania portuguesa, sou engenheiro mecanico, fiz MBA e estou terminando mestrado, trabalhei de garçom, meu carro quebrou no dia que comecei a namorar a minha esposa e ela teve que empurrar o carro e voltamos para casa de onibus (comecei bem), uma semana depois acabou a gasolina do carro e ela teve que me ajudar a empurrar o carro de novo, ofereci um cachorro quente para ela e só tinha dinheiro do onibus para voltar para casa achando que ela nao ia aceitar mas ela aceitou e eu tive que voltar a pé, arrumei uma briga com um motorista de micro-onibus que me fechou e meu irmão entrou dando uma voadora no cara, meu irmao arrumou uma briga com um vizinho e eu entrei dando uma voadora no cara, meu plano futuro é comprar uma Kombi e adaptar para dar uma volta por varias cidades do Brasil assim que tiver uma renda passiva
      de 10K / mês e poder tirar um periodo sabatico.

      Acho que é isso .... qualquer coisa, pergunta mais ai e eu vou respondendo...rsrsrs

      Um grande abraço,

      Excluir
    2. Se vc tivesse feito carreira no MMA ia ser campeão com essas voadoras. Rrsss

      Excluir
    3. Verdade, rsrsrs. Não me orgulho muito disso, mas são historias que a gente leva para a vida, principalmente quando vemos um irmão em uma situação de ameaça fisica.

      Um grande abraço,

      Excluir
  6. Respostas
    1. Obrigado seu Madruga - que bom que gostou da postagem !!!

      Um grande abraço,

      Excluir
  7. Lendo o relato pensei que fosse alguém escrevendo sobre mim.rsrs

    Diego

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que se identificou com o relato e ao mesmo tempo fico triste, pois é sinal que enfrentou dificuldades também na sua vida. As vezes penso que a vida deveria ser mais facil para todo mundo, mas conheço pessoas que tiveram a vida facil e em geral são pessoas arrogantes e com carater um pouco duvidoso (claro que existem exceções); então realmente nao tenho uma opinião 100% definida sobre o que é melhor na formação de um jovem.

      Um grande abraço,

      Excluir
  8. EP, me identifiquei muito com tua história cara, praticamente temos a mesma trajetória( mas eu sou mais novo, rsrsrs). PODE SER que já nos encontramos profissionalmente (via e-mails) desenvolvendo bed plates e hubs.

    Sucesso,

    TAILOCO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tailoco - será que já fizemos negocios no mundo corporativo ? É interessante imaginar que as vezes podemos ate conhecer alguns leitores do blog pessoalmente e nem sabemos. Seria muito curioso isso.

      Um grande abraço,

      Excluir
  9. Rapaz, vc merece vencer. Força.

    Todos aqui buscamos a IF, que traz mais qualidade de vida, mais liberdade, mais tempo pra praticar esportes, mais tudo.


    Cada um tomou um caminho diferente, uns na iniciativa privada, outros iniciando no mundo dos concursos como o Doutor Honorários, eu que já sou concursado busco ganhar 15k. Muito diferentes mas com o mesmo objetivo de receber renda passiva.


    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anon - com certeza a renda passiva será o caminho para muitos se libertarem e terem mais tempo disponivel para investir no seu lazer. Acho concurso uma ferramenta também interessante, o unico problema é que o investimento (tempo e dedicação no estudo) é bem alto pois o nivel de exigencia para os concursos com remuneração alta também é altissimo e voce tem praticamente que gabaritar a prova. Acho dificil conciliar trabalho e estudo para passar em concurso com esse nivel de exigencia e também acho dificil abrir mao do trabalho com o meu salario atual para me dedicar 100% a me preparar para concurso - mas pode ser uma opção para o futuro dependendo das circunstancias.

      A principio um cargo que acho bem interessante é Fiscal do Ministerio do Trabalho - além da remuneração e do porte de arma funcional, a função propriamente dita é interessante, pois voce pode de fato coibir abusos que ocorrem nas empresas, além de combater fraudes trabalhistas e trabalho escravo.

      Um grande abraço,

      Excluir
    2. Os fiscais do trabalho perderam o porte. Pesquise sobre chacina de Unaí para ver um exemplo do que foi esse retrocesso.

      Excluir
  10. Você é um vencedor, meus parabéns! Incrível sua história.

    Se puder falar, qual doença seu pai teve?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rumo Livre - tudo bem ? Muito obrigado pelo seu comentário. Como voce percebe pelo texto, na verdade, foi um longo tempo que meu pai ficou com a saude debilitada. Na verdade o que ocorreu foi um problema de saude fisico (uma doença que prefico nao comentar por aqui, pois realmente é algo muito ruim que faz a familia inteira sofrer); mas após a cura desta doença ocorreu umevento que a gente nunca espera. Entre as varias fontes de renda que meu pai procurava ter, uma delas era um caminhão que ele colocava para fazer frete e um dia sequestraram meu pai (nao por causa do meu pai, mas por causa da carga do caminhão). foi mais um sequestro relampago, mas durou 38 horas e ele ficou muito traumatizado com isso e desenvolveu uma especie de sindrome do panico oou algo assim ... hoje se fala muito nisso, mas na epoca nao era muito comentado e se levou muito tempo para diagnosticar e conseguir tratar de forma eficiente ... entao ele nao estava trabalhando ja havia uns 5 ou 6 anos por causa da doença fisica e depois logo quando voltou aconteceu esse fato e ficou por mais uns quatro ou cinco anos a gente tentanto descobrir um medico que conseguisse diagnosticar o que havia ocorrido. O legal é que quando apareceu umemdico competente e diagnosticou e receitou alguns remedios em uma semana ele se sentiu melhor e ja foi atras de umas sucatas e ja vendeu para uma empresa e ai na volta ja comprou umas baterias e revendeu para outro cara e começou a levantar algum dinheiro para montar um negocio novamente.

      Hoje ele tem novamente seu apartamento quitado, tem seu carro, paga suas contas, minha irma estuda em escola particular, nao tem uma vida de luxo, mas tambem nao falta nada na casa dele e para quem teve de recomeçar do zero eu considero ele um vencedor.

      Um grande abraço,

      Excluir
    2. Corrigindo: Você e seu pai são vencedores. hehe. Vale mais um post a história de vida do seu pai. Abraços.

      Excluir
  11. Muito inspiradora sua história. Sempre admiro um pouco mais pessoas pobres que estudaram engenharia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá CF - tudo bem ? Eu acho que todos que buscam estudo são merecedores, mas eu entendo o seu ponto. Eu concordo que existem cursos que sao mais dificeis do que outros e engenharia com certeza é um deles. É um curso muito exigente (se feito em uma boa faculdade) e se voce pega aqueles professores das antigas então ... meu amigo, pode se preparar que vai passar muitas noites em claro estudando.

      Mas é um periodo muito bom de formação não sõ academica mas também do carater do camarada. Quem entra na POLI por exemplo e acha que só porque é riquinho vai passar sem estudar, ja toma boma logo em todas materias e pede transferencia para a FEA porque senao vai ser convidado a se retirar da USP. É muito legal os veteranos do quarto e quinto anos fazendo o corredor dos caras que pedem transferencia para a FEA (que fica do lado da POLI) - é um ritual humilhante. A criatividade do ser humano para humilhar outro ser humano nao tem limites ... lembro de uma vez que tinha um riquinho e os veterenos queria que ele fosse pelo corredor falando "Eu sou um bosta " e ele disse que nunca ia fazer isso. No dia seguinte os caras apareceram com quilos e quilos de esterco que pegaram no joquei (que fica perto da USP), mas tinha muito esterco mesmo. E fizeram o corredor para o cara passar, e o cara falando que nunca ia falar que era um bosta, os caras tacaram esterco ate na orelha dele, deve ter entrado ate no cerebro, coitado do cara. Imagina mais de duzentos caras tacando esterco em voce - é muita humilhação !!!

      Isso também ocorre com quem faz Engenharia de Produção - eles sofrem muito bullying na faculdade. Ate me veio uma nostalgia agora - bons tempos de faculdade...rsrsrs

      Um grande abraço,

      Excluir
  12. Excelente história cara, parabéns. Curto muito ler relatos de vida como esse, pois são sempre muito inspiradores e motivacionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anon - que bom que gostou !!! Eu tambpem gosto muito deste tipo de relato e decidi escrever o meu baseado nos relatos dos demais colegas da blogosfera que escreveram os deles também.

      Um grande abraço,

      Excluir
  13. Legal Executivo pobre!! o que achei mais interessante é que sempre ficou muito tempo nas empresas em que trabalhou. Meu pai sempre diz"" filho, temos que criar lodo naquilo que a gente faz para prosperar""....abraço!! companheiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Beto Fiscal - tudo bem ? Eu acho que seu pai tem uma certa razão, mas sabe que está cada dia mais dificil ficar muito tempo em uma empresa ? A rotatividade esta cada vez mais alta, eu percebo isso sempre que preciso contratar alguem para minha equipe. Antes era comum encontrar alguem com 10 anos de empresa, agora encontrar alguem com 05 anos é raridade. Acho que esse será o futuro.

      Um grande abraço,

      Excluir
  14. Que história bacana Executivo. Até conseguiu achar a mulher exceção haha. Que mais vitórias possam vir.

    Abraço do Lixo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ser Lixo - tudo bem ?

      Esse negocio de mulher exceção é bem complicado - por isso mesmo casei com separação total de bens. E detalhe, quem propos isso foi ela. E com um argumento muito bom -ela disse se a gente nunca se separar nao fará a menor diferenca qual o regime de bens que casarmos, basta deixar um testamento deixando 50% dos bens para o conjuge (o que eu acho bem justo) e se separar, cada um leva exatamente o que é seu (o que eu também acho bem justo). Então, nao sei se ela é uma mulher exceção - talvez seja apenas uma mulher inteligente (deve ser ja que fez mestrado e doutorado). Mas o que acho que faz diferença, no caso dela, é que ela foi criada por uma mae rigida (aquela das antigas que nao deixa sair fazendo o que quer e impoe respeito)e tambem passou por dificuldades financeiras na infancia e adolescencia; entao sabe desde cedo a dificuldade que é ganhar dnheiro.

      Acho que isso ajuda na formação da pessoa, mas a separação pode ocorrer por inumeros motivos, amanha ela pode encontrar alguem mais interessante do que eu, eu posso encontrar alguem mais interesante do que ela, simplesmente podemos achar que nao vale mais a pena ficar juntos, etc... Neste caso, ja esta tudo acertado no nosso contrato - quem fica com o que e mtudo o mais ... para ter ideia, nem conta conjunta nos temos (prevemos isso no pacto pre-nupcial).

      Enquanto for bom para os dois, ficamos juntos. A hora que nao for mais ai separamos. O mais legal e que podemos afirmar tranquilamente que ela nao esta comigo por dinheiro e nem eu estou com ela por dinheiro.

      Um grande abraço,

      Excluir
  15. Olá Executivo Pobre, muito legal esse tipo de postagem.
    Poderia me adicionar no seu blogroll? te adicionei aqui.
    www.doutormuquirano.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Doutor - Tudo bem ?

      Ja está adicionado. Um grande abraço.

      Excluir